Inovação

Origem Brand. Óculos escuros que trazem sol, moda e bambu

André Barbosa e Pedro Romão lançaram a sua marca de óculos sustentável, Origem Brand em 2017. Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens
André Barbosa e Pedro Romão lançaram a sua marca de óculos sustentável, Origem Brand em 2017. Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens

A marca portuguesa escolheu o bambu como matéria de excelência para produzir óculos de sol, um passo importante na luta contra o plástico

Foi numa viagem ao Brasil que Pedro Romão descobriu o bambu, planta originária da China, de rápido crescimento e infinitas aplicações. “Fiquei surpreendido por estar a contactar com uma solução tão criativa, autêntica, robusta, sustentável e inovadora”, que tanto serve para produzir óculos, carteiras ou chapéus, como é utilizada na construção de casas e pontes, e ainda se destaca como alimento. A versatilidade desta matéria-prima e a capacidade de se apresentar como uma alternativa ao plástico amiga do ambiente, acessível e de qualidade despertaram o empreendedor. Conversa puxa conversa e, em 2017, Pedro Romão, em conjunto com André Barbosa e Guilherme Vasques lançam a Origem Brand, marca portuguesa de óculos de sol fabricados em bambu.

Desde a primeira hora que a Origem Brand quis assumir um perfil diferenciador e afirmar-se como mais uma peça no movimento para um mundo melhor. Os óculos de sol apresentaram-se como “a solução mais eficaz para introduzir o bambu no dia a dia das pessoas”, pois são “um acessório muito poderoso e que pode desencadear um movimento mais geral de mudança estrutural e consciencialização” da sociedade para a preservação do ambiente, defende Pedro Romão. E sublinha: “Conseguir criar e de-senvolver um produto que seja verdadeira alternativa ao plástico ao nível de qualidade, estilo e preço é colocar na cara de cada um dos nossos clientes um statement sobre o futuro e sobre o poder que cada um de nós tem enquanto consumidor.”

Os óculos de sol da Origem Brand são fabricados com bambu sustentável, são apresentados numa caixa também feita deste material e acompanhados por um pano e bolsa de fibra de bambu e uma etiqueta de sementes.

A empresa planta cinco árvores por cada unidade vendida, para mitigar as emissões de carbono. Em três anos, já plantou mais de quatro mil árvores. Em simultâneo, oferece a possibilidade ao cliente de plantar a sua marca na natureza. Como frisa Pedro Romão, a etiqueta é fabricada num papel especial que contém sementes de flores silvestres prontas (respeitando os devidos cuidados) a brotar da terra.

Nas mãos de artesãos
É com bambu produzido na China e por artesãos chineses especializados no seu manuseamento que nascem os óculos da Origem Brands. Com um quilo desta matéria-prima, constroem cerca de cinco a seis pares, ou seja, cada par utiliza entre 150 e 200 gramas de bambu. Das suas mãos, só no ano passado, saíram mais de mil óculos de sol para 15 países na Europa, com Portugal e Espanha a destacarem-se como os principais mercados.

O design dos atuais nove modelos – que se desdobram em 15 se contabilizarmos todas as variantes de lente – é fruto de parcerias nacionais e internacionais.

A Origem Brand marca atualmente presença em seis lojas espalhadas por Lisboa, Costa de Caparica, Coimbra e Vila Nova de Milfontes, a que se soma o canal online, que neste ano tem apresentado “um ritmo impressionante” de crescimento. Como em múltiplos setores económicos, a pandemia também atingiu as vendas da empresa. A covid obrigou a suspender a relação com a Natura, o maior parceiro da Origem Brand, e os pedidos das lojas registaram uma forte diminuição.

Agora, o negócio começa a recompor-se, tendo voltado desde julho a Vila Nova de Milfontes e Costa de Caparica. Em negociação, está a presença em novas lojas na Carrapateira e na Zambujeira do Mar. “Se tudo correr bem (e o tempo ajudar), estamos confiantes que conseguimos recuperar parte das vendas perdidas de março a junho.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

Ramiro Sequeira TAP

Novo CEO da TAP diz ser vital ter “bom senso e calma” para tomar decisões

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

Origem Brand. Óculos escuros que trazem sol, moda e bambu