Os empreendedores são os novos navegadores portugueses, diz a Forbes

Portugal é o país que mais recentemente descobriu o seu espírito da aventura empreendedora, de acordo com a Forbes.

Numa reportagem escrita pela jornalista Alison Coleman, a revista dá conta de que a crise na Europa e as medidas de austeridade têm possibilitado a muitas pessoas a oportunidade de começarem os seus próprios negócios, que servem de "combustível" ao crescimento de incubadoras e aceleradores tecnológicos.

"Não há outro lugar onde a transformação tenha sido tão impressinante como em Portugal, um país famoso pelos seus exploradores marítimos, rico em História e em cultura e, agora, inspirador na maneira como acolhe as empresas", escreve a jornalista.

No artigo, a Forbes descreve que os empreendedores portugueses souberam aproveitar as lacunas existentes no mercado e usar a sua "criatividade engenhosa" para as preencher. A revista destaca ainda o apoio do governo ao empreendedorismo, com a aposta na agência Portugal Ventures e o seu fundo de 450 mil milhões de euros para apoio a startups inovadoras e também focadas nos sectores económicos mais tradicionais.

O nascimento de incubadoras como a Startup Lisboa e de eventos ligados ao empreendedorismo, tais como o Lisbon Challenge, têm também ajudado na construção deste novo espírito de descobridores.

A revista escreve ainda sobre casos de fazedores de sucesso: a Taldesk, a Feedzai - cujo CEo foi na semana passada considerado um dos melhores do mundo na área de startups tecnológicas - e a Veniam - que, no ano passado, angariou 3,9 milhões de investimento para a expansão nos EUA - são alguns dos exemplos bem sucedidos.

Leia mais: 13,4 milhões. Portuguesa Talkdesk levanta investimento nos EUA

Há quatro anos que o Dinheiro Vivo dá a conhecer histórias de fazedores, na secção com o mesmo nome. Se conhece gente que começou negócios e quer mudar o mundo escreva-me para mariana.barbosa@dinheirovivo.pt.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de