novos negócios

OSF Clothing. Roupa nacional espalha inspiração de Kendrick Lamar e Kanye West

Gonçalo Afonso é o criador da OSF Clothing. Tem 19 anos e está no segundo ano do curso de Gestão do ISCTE. É ainda consultor de marketing num projeto desta universidade. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens
Gonçalo Afonso é o criador da OSF Clothing. Tem 19 anos e está no segundo ano do curso de Gestão do ISCTE. É ainda consultor de marketing num projeto desta universidade. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

Tshirts, sweats e corta-ventos são as peças vendidas exclusivamente na internet e que já conquistaram fãs desde a Austrália aos Estados Unidos.

O que acontece quando alguém decide juntar peças de roupa com mensagens de artistas como Kendrick Lamar, Kanye West ou Frank Ocean? Está um passo à frente. Ou One Step Forward (OSF), no caso de Gonçalo Afonso, que criou a marca de streetwear há três anos, em janeiro de 2013.

Tudo começou na escola. “Tinha um grupo de amigos de 30 pessoas no secundário. Eu e mais dois, numa conversa no Facebook, lembrámo-nos de aparecer com umas camisolas com um nome na escola.” Parecia uma mera brincadeira. Só que logo aí Gonçalo já dava indícios de que queria mais do que isso. “Como o meu pai e uma das minhas irmãs são designers gráficos e consegui aprender a usar o Photoshop, fiz uns desenhos e ficou muito melhor do que estava à espera.”

Foi nesta altura que o Facebook voltou a ser uma ferramenta essencial para o nascimento da OSF Clothing. “Metemos lá as roupas e criámos uma campanha de marketing: a cada 100 gostos lançávamos uma sweat nova.” Foram 11 sweats em pouco mais de um mês.

Gonçalo não precisou de pedir dinheiro aos pais. “Gastei 10 euros por camisola. Vendia a 15 aos amigos e 20 aos restantes.” Ou seja, ganhava cinco e 10 euros por peça. Isto permitiu ao agora estudante de Gestão “ter margem de manobra” para os próximos passos. Para isso, apostou na profissionalização das sessões fotográficas. Mais uma vez, Gonçalo pediu ajuda a uma das irmãs, Joana Afonso, que faz as produções em parceria com o namorado, Leone Niel.

Exclusividade é a palavra-chave da OSF Clothing, mesmo que já venda as suas roupas para países como Austrália, Canadá, Hungria, Estados Unidos, Espanha, França, Suíça, Dinamarca, Alemanha.

As roupas são feitas de algodão e são fabricadas em Portugal, na zona de Lisboa. As tshirts, por exemplo, custam 25 euros e são enviadas à cobrança.

Gonçalo Afonso faz questão de manter um número limitado de peças. “Não quero fazer produção em massa. Não quero ser uma Billabong ou uma Quiksilver. Quero que uma pessoa esteja atenta para que consiga comprar as coisas online e que as peças esgotem sempre. Podia vender 20 peças de uma assentada, em vez de 10. Mas, se vender uma vez 10 peças, vou deixar as outras 10 pessoas à espera da próxima ‘vaga’”.

Exclusividade é a palavra-chave da OSF Clothing, mesmo que já venda as suas roupas para países como Austrália, Canadá, Hungria, Estados Unidos, Espanha, França, Suíça, Dinamarca, Alemanha. Para isso contribuiu, logo no início deste ano, a presença desta marca em plataformas como a What Drops Now, que faz uma seleção de vestuário disponível nas lojas online. “Conseguimos maior reconhecimento internacional com esta presença.”

As peças também são usadas por músicos como Mike El Nite. “Os artistas do hip hop são muito recetivos. Nunca patrocinámos um artista. Eles usam a tshirt por vontade própria”, garante o criador da OSF Clothing.

Este estilo musical é mesmo uma das grandes inspirações no dia-a-dia de Gonçalo Afonso, um “fanático” pela música. “Kendrick Lamar e Kanye West estão entre os meus artistas favoritos. O Kendrick tem o poder da mensagem, que é muito interventiva; no Kanye, além da mensagem, adoro a maneira como ele age e os ideais dele. Ninguém faz igual a ele.”

Leia aqui: Web Summit tem mais 200 oradores. Conheça os três reforços de Portugal

O artista de Atlanta é tão inspirador que permitiu que a OSF lançasse uma coleção baseada na expressão “listen to the kids”, que foi usada em 2015 por Kanye West no discurso de aceitação do prémio Video Vanguard, nos Video Music Awards, da MTV.

Futuro
Mais de três anos depois, a OSF Clothing continua a lançar novas peças, apesar de “ter aparecido numa altura em que nasciam muitas marcas no Facebook. A maior parte delas morreu, mesmo conseguindo fazer mais coisas do que eu”. Gonçalo Afonso justifica: “Muitas das pessoas eram mais velhas do que eu e têm contas para pagar.”

Mas uma coisa garante: “Nunca tive de pedir dinheiro aos meus pais e fui conseguindo alavancar as coisas. Isto dá-te mais segurança. Com um empréstimo ao banco teria de ser mais calculista.” Mesmo que a marca, para já, não seja uma fonte de rendimento. “As receitas servem sempre para fazer novas coleções e novos investimentos de marketing.”

A segurança e a independência permitem que Gonçalo Afonso esteja a começar o segundo ano da licenciatura em Gestão pelo ISCTE e que seja consultor de marketing na ISCTE Junior Consulting, que atua nas áreas de consultoria, formação e investigação e que até já trabalhou com algumas empresas do PSI-20, o principal índice da bolsa nacional. Gonçalo diz que gosta de estar muito envolvido em tudo aquilo em que entra e que isso vai permitir “conseguir conciliar as coisas até ao final do curso”.

“Nunca tive de pedir dinheiro aos meus pais e fui conseguindo alavancar as coisas. Isto dá-te mais segurança. Com um empréstimo ao banco teria de ser mais calculista.”

E depois de acabar a licenciatura, o que vai acontecer à OSF Clothing? “Quero que a marca continue a ser minha, mas não rejeito, de todo, ter uma equipa a ajudar-me a fazer coisas.” Afastada está a hipótese de a marca de roupa entrar numa incubadora. “No início da marca estava ‘incubado’ na empresa do meu pai, mas, ao mesmo tempo, acho que poderia perder alguma liberdade a curto e médio prazo”, admite, mesmo que assuma que a marca “já podia estar mais evoluída com algumas ajudas”.

E o que podemos esperar nos próximos meses da OSF Clothing? A próxima coleção está quase concluída, mas deverá ser das últimas a ficarem disponíveis na Internet. “Quero deixar de fazer isso. Quando fazemos isso, ficamos restritos ao que fazemos numa coleção.”

Gonçalo Afonso quer explorar uma outra forma de lançar as roupas, de forma periódica. “Ao lançar várias peças podemos adaptar muito mais facilmente as coisas e adequá-las ao que estiver em voga durante um determinado momento. Isto funciona sobretudo a nível internacional.”

Tal como o nome da marca, a ideia é estar um passo à frente. “Não queremos ir atrás da moda; é tentar prever e permitir que eu faça coisas diferentes, mantendo a coerência e fazendo sessões fotográficas diferentes. Tenho mais liberdade de criação.”

A ideia da OSF Clothing é “esgotar as novas peças em menos de uma semana.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
OSF Clothing. Roupa nacional espalha inspiração de Kendrick Lamar e Kanye West