Fazedores

Papabubble. A arquitectura e a fotografia em ponto de rebuçado

Vasco Pinto é arquitecto de rebuçados
Vasco Pinto é arquitecto de rebuçados

Não é preciso ser artista para cozinhar doces. Mas formação em arquitectura ou design ajuda quando se trata de desenhar rebuçados.

“Isto tem tanto que ver com a forma como com a confeitaria. Há uma grande parte de trabalho manual e o facto de virmos da área das artes facilita”, explica Vasco Pinto, arquitecto e sócio da Papabubble. Todos os funcionários da loja de doces, na Baixa, em Lisboa, eram da área artística.

Nuno Couceiro, 36 anos, trabalha todos os dias uma massa de 12 quilos feita de açúcar, glucose e aromas. O fotógrafo é responsável pela produção de uma tonelada de rebuçados por mês. Do esforço resultou uma tendinite num braço, porque “os músculos não estão preparados para o esforço”.

“Tivéssemos esperado mais seis meses e não tínhamos a loja”, conta Vasco. A Papabubble abriu em Novembro de 2009, um investimento dividido entre os sócios e um empréstimo. Na loja, a cozinha está à vista dos clientes: as panelas aquecem a água até o açúcar ficar no ponto e a massa é estendida numa mesa de pedra que a arrefece. Depois passa a outra, morna, onde é “moldada.

Nuno e Vasco passaram seis meses entre Barcelona e Amesterdão, em formação intensiva, e investiram 150 mil euros no franchising da marca catalã que o fotógrafo conheceu durante o tempo em que viveu em Barcelona. Em 2010, a empresa facturou 300 mil euros: 30% da facturação vêm de encomendas feitas por empresas que querem rebuçados personalizados com as iniciais ou as cores da marca.

Os trabalhos por encomenda são os mais demorados: a produção dura pelo menos cinco horas, enquanto a dos rebuçados normais demora duas. “Compramos matéria-prima e vendemos produto acabado. Transformamos pedras em ouro. É esse o nosso negócio.” As pedras de morango e maracujá são as favoritas.

Retrato

Vasco e Nuno são ‘master franchising’ da Papabubble em Portugal e investiram 150 mil euros na primeira loja, em Lisboa. A loja da Rua da Conceição facturou 300 mil euros em 2010. A Papabubble produz cerca de uma tonelada de rebuçado por mês. Melancia, maracujá e canela picante são os sabores mais vendidos. As encomendas para empresas representam 30% da facturação.

www.papabubblelisboa.blogspot.com

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Papabubble. A arquitectura e a fotografia em ponto de rebuçado