Pleez levanta 2 milhões de euros para duplicar equipa e conquistar mercado ibérico

Ronda de investimento liderada pela Lince Capital vai permitir à startup portuguesa, focada em otimizar as vendas dos restaurantes nas plataformas de delivery, expandir a equipa de 30 para 60 pessoas e consolidar a presença em Portugal e Espanha.

A Pleez, startup portuguesa que criou um algoritmo de menu que se compromete a aumentar as vendas dos restaurantes em plataformas de delivery, anunciou esta quarta-feira que captou dois milhões de euros numa ronda de investimento (Serie A) liderada pela sociedade de capital de risco Lince Capital, na qual participaram os investidores prévios Atlantic Food Labs e Axel Springer Porsche.

"Estamos expectantes com o futuro e certos de que esta nova ronda de investimento nos ajudará no processo de internacionalização, com o intuito de ajudar todos os players da indústria da restauração a tomar decisões mais informadas em relação aos seus negócios", refere o cofundador do negócio, Afonso Pinheiro, citado em comunicado.

O capital angariado vai, assim, permitir à startup duplicar a sua atual equipa para 60 pessoas durante o próximo ano e consolidar a presença no mercado ibérico. De recordar que, em abril deste ano, a Pleez tinha a sua tecnologia implementada em cerca de 300 restaurantes portugueses e a sua meta para os 12 meses seguintes passava por conquistar 10% do mercado ibérico.

A solução tecnológica desenvolvida pela Pleez dá aos restaurantes a oportunidade de explorar o potencial que existe por detrás dos menus, fornecendo não só uma análise de desempenho do "menu 360 graus", mas também sugestões da concorrência, com vista a otimizar a oferta e aumentar as vendas em até 25%. A adoção da ferramenta "tem permitido aos restaurantes aderentes aumentar as suas vendas em cerca de 15%, sendo esse aumento ainda maior no médio e longo prazo". Em apenas seis meses, "mais de 72 mil pedidos por mês foram geridos pela Pleez", refere a empresa.

"Em apenas um ano, temos uma carteira com mais de 300 clientes, abrimos em Madrid, fundamos o primeiro Food Tech Hub em Portugal juntamente com outra empresa da área, lançámos o nosso dashboard e passamos de uma equipa de cinco para mais de 30 colaboradores", nota o também cofundador da startup, Vasco Sampaio.

Vasco Pereira Coutinho, CEO da Lince Capital, destaca que "a pandemia veio intensificar a utilização das plataformas como a Uber Eats, a Glovo ou Bolt Food, tendo os restaurantes sentido um grande aumento das vendas através da vertente de delivery". Deste ponto de vista, "o posicionamento único da Pleez permite criar valor para todos os intervenientes, quer sejam consumidores, restaurantes ou plataformas", termina.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de