Porto já tem um guia para quem quer comer bem e beber melhor

Paulo Russell-Pinto escreveu e Sérgio Jacques fotografou
Paulo Russell-Pinto escreveu e Sérgio Jacques fotografou

"O Porto é uma cidade do vinho, que cresceu com o vinho e que, hoje em dia, com uma oferta gastronómica muito diversificada, apresenta uma oferta global de vinhos para todos os gostos". Este foi o ponto de partida para o "Guia de Gastronomia & Vinhos da Cidade do Porto para Apreciadores", da autoria de Paulo Russell-Pinto com fotografia de Sérgio Jacques.

Com lançamento marcado para dia 7 de julho, às 19h, no Pavilhão Brasil, no Lx Factory, em Lisboa, no âmbito do Congresso Nacional dos Cozinheiros, o guia surge porque o “Porto precisava de uma
sistematização da oferta gastronómica e vínica”, diz Paulo Russell-Pinto, ao Dinheiro Vivo.

Ler também: “O Porto é um produto muito bom”

Para o autor, o Porto já não
é mais uma cidade fechada sobre si própria. “É hoje uma cidade
aberta e cosmopolita, que consegue manter a identidade que a
caracteriza e que apaixona os visitantes”, pelo que “um guia
baseado em propostas pessoais, mas bem definidas no início
do livro, de alguém que é ‘um local’, é aquilo que mais
queremos quando estamos de visita a outra cidade”, reforça.

Ler também:

E os vinhos portugueses premiados no Canadá são…

Destinado a quem visita a cidade, estrangeiro ou
não, mas também a quem passeia pela cidade, mesmo que seja local, o guia tem como principal critério de selecção dos
locais a harmonia entre as propostas de comida e a oferta de
vinhos. “Acredito que estes dois elementos têm que estar equilibrados
para que uma refeição ou uma experiência gastronómica seja levada
ao máximo”, diz Paulo Russell-Pinto.

Ler também:

Sabe o que é gastronomia emocional? Psicóloga Matilde Amil Silva dá a resposta

Com uma profunda ligação ao vinho, Paulo Russell-Pinto alia agora a da gastronomia. “Com humildade, é preciso
perceber que a comida faz parte da cultura e da identidade dos povos.
Portugal é um manancial de receitas e de comida que cada uma das
regiões criou e apurou com o que tinha à sua volta ou trazia do
mar. Comida também é cultura e conhecê-la é ficar mais rico.

O guia pretende pois, de um ponto de vista pessoal e
abrangente, recomendar locais onde a experiência de comer e beber,
em função dos nossos gostos pessoais, seja levada ao máximo. “Não
é possível comer bem, sem beber bem”, remata o autor.

Todos os locais que constam no guia foram visitados pelo autor, e
sempre sem se anunciar. “Depois de fechada a lista dos restaurantes e
espaços que iam figurar no guia, o Sérgio Jacques, que fez a
fotografia do livro, contactou e visitou os locais”, diz Paulo Russell-Pinto.

Para muito breve, o autor promete a versão inglesa do guia – “o passo mais óbvio”, bem como edições futuras actualizadas, com
novos capítulos. Até lá, vá à página 102 do guia e fique a saber que a marisqueira Os Lusíadas, na Rua Tomás Ribeiro, 257, em Matosinhos, possui uma extensa lista de vinhos, com cerca de 200 referências muito variadas. Aconselha-se.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Porto já tem um guia para quem quer comer bem e beber melhor