porto

Porto tem 70 mil euros para escalar eventos para fazedores

Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens
Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Cada iniciativa terá apoio máximo de 10 mil euros e terá de ser realizada até ao final de 2018.

O município do Porto vai voltar a dar apoio financeiro aos eventos que promovam na cidade a inovação, o empreendedorismo e a tecnologia. Cada iniciativa terá apoio máximo de 10 mil euros e terá de ser realizada até ao final de 2018. O vice-presidente da câmara do Porto, Filipe Araújo, espera que as propostas permitam aumentar a variedade de eventos na cidade.

“Queremos aumentar as oportunidades de networking e esperamos que as propostas tragam variedade para a cidade. Os nossos empreendedores têm vontade de fazer mais, melhor e diferente”, destaca o autarca em declarações ao Dinheiro Vivo.

Na primeira edição, em 2017, das 50 candidaturas recebidas, oito culminaram em eventos para promover a inovação na cidade, recorda Filipe Araújo. “Temos um ecossistema aberto e, além das entidades locais, damos espaço a outras organizações para conseguirmos ter mais impacto. Queremos um ecossistema mais ativo”. Estes eventos envolveram mais de 1600 pessoas ao longo de toda a cidade.

A aposta do município nos fazedores, no entanto, não fica por aqui. A cidade, ao abrigo da estratégia Scaleup Porto, procura captar investimento externo e ajudar a promover os milhares de postos de trabalho de postos de trabalho criados por empresas locais de alta tecnologia.

“Nestas áreas, as pessoas só procuram trabalho em locais apelativos e com enorme qualidade de vida. Isto torna-nos competitivos no mercado e ajuda a captar empresas internacionais – para abrir centros de competências – e ajudam a ultrapassar a crise das exportações vivida há alguns anos”, nota o vice-presidente do município liderado por Rui Moreira.

Filipe Araújo foi ainda questionado sobre se uma das empresas a investir na cidade poderá ser a Amazon. Mas não obtivemos qualquer comentário em relação às alegadas negociações para instalar um centro de Web Services da Amazon no centro da cidade Invicta.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Porto tem 70 mil euros para escalar eventos para fazedores