Fazedores

Portugal Ventures deverá lançar nova call de turismo em setembro

Muro dos Bacalhoeiros na Ribeira do Porto. 
(Rui Oliveira/Global Imagens)
Muro dos Bacalhoeiros na Ribeira do Porto. (Rui Oliveira/Global Imagens)

Capital de risco público prevê lançar em setembro call de turismo. O fundo Turismo Crescimento tem uma dotação de cerca de 30 milhões de euros.

O turismo foi durante vários anos um dos motores da economia nacional e uma das atividades em crescimento. A aposta na inovação nesta área tem sido também desenvolvida em Portugal. Desde o início do ano passado e até ao momento, a Portugal Ventures, sociedade pública de capital de risco, realizou 13 novos investimentos, de acordo com as respostas enviadas ao Dinheiro Vivo. O fundo Turismo Crescimento tem uma dotação de cerca de 30 milhões de euros.

“Em estreita colaboração com o Turismo de Portugal, prevemos lançar a Call for Tourism durante o mês de setembro, com o objetivo de estimular a criação de novas startups e alavancar o desenvolvimento dos negócios no setor turístico”, indica Pedro de Mello Breyner, Executive board Member.

No total, a Portugal Ventures conta 21 empresas de turismo, quer de âmbito tecnológico, quer não tecnológico. “Destas 21 empresas, 13 correspondem a investimentos realizados há menos de 2 anos, o que se traduz numa carteira (na área do Turismo) muito dinâmica e muito jovem no que diz respeito ao seu ciclo de vida no nosso portefólio. Por norma, a Portugal Ventures mantém-se no capital social das empresas por um período de cerca de 6 anos, altura em começa a trabalhar a concretização da sua saída. Para que esta saída aconteça com sucesso, os projetos por nós acompanhados terão de estar preparados para o mercado global e os seus negócios terão que ser atrativos para líderes de mercado internacionais. Nessa altura, os exits ocorrem, fechando um ciclo na vida destes projetos”.

Apesar de ter sido até há alguns meses uma das principais atividades económicas do País, gerando milhões de euros em receitas e sendo responsável por milhares de postos de trabalho, o turismo sofreu uma travagem a fundo. Abril e maio foram meses em que a atividade esteve quase reduzida a zero e em junho, de acordo com os dados mais recentes, registou-se uma ligeira melhoria. Todos os negócios ligados, direta ou indiretamente, ao turismo estão a sentir os efeitos da pandemia. As startups não são excepção.

Pedro de Mello Breyner reconhece que, para o segmento do turismo, a capital de risco lançou a segunda edição da Call FIT, destinada aos projetos finalistas dos programas de aceleração do Programa Fostering Innovation in Tourism do Turismo de Portugal, “onde recebeu 30 candidaturas”.

“A Portugal Ventures realizou apenas 1 follow-on investment na área do Turismo, fruto das contingências da crise pandémica, estando mais 4 operações em análise dentro da nossa carteira de participadas. No entanto, os follow-ons são reforços de investimento normais, que fazem parte da nossa atividade regular, uma vez que o investimento da Portugal Ventures é realizado por tranches, mediante o cumprimento de milestones, definidas conjuntamente com os promotores”, acrescenta o responsável.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Portugal Ventures deverá lançar nova call de turismo em setembro