Portuguesa Coverflex com investimento de 5 milhões e contrata 30 em 2021

Startup que reúne compensações dos trabalhadores numa só plataforma obteve a maior ronda de sempre pre-seed em Portugal e uma das maiores da Europa.

A Coverflex obteve a maior ronda de investimento de sempre na fase pre-seed para uma startup portuguesa. Arrecadou cinco milhões de euros de financiamento e, com este montante, pretende contratar pelo menos 30 pessoas até ao final deste ano, segundo o anúncio feito esta quarta-feira.

Esta startup quer mudar a forma como empresas e trabalhadores lidam com as compensações para lá do salário. É um negócio a que chama "compensação como um serviço" e que pretende aumentar a retenção das equipas.

A aposta convenceu os investidores: a ronda foi liderada pela sociedade de capital de risco francesa Breega - que se estreia em Portugal -, o fundo de coinvestimento português 200M e outros investidores nacionais

A plataforma permite a todas as empresas - independentemente da sua dimensão - conceber, operacionalizar e personalizar as suas compensações, como seguro de saúde, subsídio de refeição, benefícios sociais e descontos. Ou seja, esta solução vai muito além dos bónus dos trabalhadores, que são uma rubrica salarial extraordinária.

Os trabalhadores poderão aceder a estes descontos, conforme as suas necessidades, através de um cartão Visa, uma aplicação e a orçamentos e opções definidos pela empresa.

Além da liberdade de escolha para os funcionários, as empresas também poupam custos, através de "benefícios fiscalmente eficientes", assim refere o comunicado.

Mais de três mil trabalhadores já beneficiam com esta solução. Pertence a empresas e startups como PwC, Bolt, Emma - The Sleep Company, Landing.Jobs, Startup Lisboa, Rows, Paul Stricker, Velocidi e Unbabel.

Com sede em Portugal, a Coverflex adotou um modelo que privilegia o trabalho remoto. Atualmente com 30 elementos, a equipa vai duplicar para 60 elementos até ao final deste ano, sobretudo nas equipas de produto, engenharia e design.

Esta startup foi fundada por quatro experientes fazedores portugueses: Miguel Santo Amaro (ex-Uniplaces e presidente executivo), Nuno Pinto (ex-Kide e responsável de negócio), Rui Carvalho (ex-Unbabel e responsável operacional) e Luís Rocha (ex-TUI Musement e responsável de marketing).

"Esta ronda valida o nosso modelo de negócio e confirma que o nosso foco na adaptação dos processos de recursos humanos à procura atual, relacionada com uma experiência de compensação mais personalizada, é mais do que relevante hoje em dia", destaca Nuno Pinto, um dos fundadores, citado em comunicado de imprensa.

(Notícia corrigida às 10h29: a plataforma lida com o universo de compensações dos trabalhadores e não apenas com o bónus salarial)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de