Farfetch

Portuguesa Farfetch já é uma “billion dollar company”

José Neves, fundador e CEO da Farfetch.
Farfetch angariou 86 milhões da DST Global numa nova ronda de investimento. O valor avalia a empresa em mil milhões de dólares, tornando-a pela primeira vez uma "billion dollar company"."> José Neves, fundador e CEO da Farfetch.

A Farfetch angariou 86 milhões da DST Global numa nova ronda de investimento. O valor avalia a empresa em mil milhões de dólares, tornando-a pela primeira vez uma "billion dollar company".

O dinheiro levantado na ronda vai ser canalizado para a expansão internacional da marca, especificamente em novos sites com linguagens locais idiomas como alemão, coreano, espanhol de Espanha e da América latina, avançou a empresa em comunicado.

Na ronda de financiamento participaram dois outros investidores da Farfetch, a Condé Nast International e a Vitruvian Partners.

“A Farfetch tem uma equipa forte, um crescimento impressionante e um enorme potencial para capitalizar no mercado de moda de luxo”, diz Yuri Milner, fundador da DST Global.

“Temos feito um caminho incrível até agora, e é ótimo acrescentar a DST ao grupo fantástico de que temos na retaguarda para a próxima fase de crescimento da Farfetch. O desafio agora é continuar a inovar e focarmo-nos numa marca global a longo prazo”, acrescentou José Neves, fundador e CEO da Farfetch, em comunicado.

Com esta ronda de investimento, a Farfetch soma 195 milhões de dólares obtidos em rondas de investidores, que incluem nomes como a Advent Ventures Partners, Index Ventures, Novel TMT e e.Ventures, informa a empresa em comunicado.

Fundada em Guimarães em 2008, a Farfetch integra mais de 300 marcas no marketplace que criou para vender para todo o mundo. No início de fevereiro, a empresa, que também tem escritórios em Londres, anunciou o lançamento da primeira campanha publicitária “UNFOLLOW” em imprensa, digital e exterior.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pardal Henriques, do SNMMP. 
(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Sem acordo “por 50 euros”, diz sindicato. “Querem impor aumento”, acusam patrões

O advogado e porta-voz do sindicato nacional dos motoristas, Pardal Henriques. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Pardal Henriques foi a personalidade mais mediática da greve

Outros conteúdos GMG
Portuguesa Farfetch já é uma “billion dollar company”