fazedores

Primeiro programa estruturado de apoio a ‘scaleups’ chega a 20 empresas

Adelino Costa Matos, presidente da ANJE. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens
Adelino Costa Matos, presidente da ANJE. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens

O primeiro programa estruturado de formação e preparação para crescimento exponencial destinada a gestores de "scaleups" chega a 20 empresas

O primeiro programa estruturado de formação e preparação para crescimento exponencial destinada a gestores de “scaleups” chega a 20 empresas, tecnológicas e tradicionais do tecido empresarial do Porto, iniciativa da autarquia portuense e Associação Nacional de Jovens Empresários.

Denominado “ScaleUp Porto — The growth champions”, este é um programa já em curso, criado especificamente para empresas que apresentam um crescimento exponencial e um desenvolvimento de mercado, inserido no “ScaleUp Porto”.

À agência Lusa, o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, explicou que a cidade “tem um ecossistema muito vibrante, onde surgem muitas ‘startups'” e por isso a autarquia decidiu criar um programa — o ScaleUp Porto – para fomentar as empresas que estão a ganhar escala e a subir a escada do crescimento.

No âmbito desta iniciativa mais abrangente surgiu o “ScaleUp Porto — The growth champions”, – realizado em parceria com a ANJE – que segundo Filipe Araújo é “um programa de formação para dar competências às empresas”, trazendo a Portugal “os maiores especialistas do mundo em áreas como o marketing, vendas, setor financeiro ou operações”, para que com eles os responsáveis das empresas possam aprender.

Durante a Web Summit – onde o ScaleUp Porto esteve a ser exibido num stand – o presidente da ANJE, Adelino Costa Matos, explicou à agência Lusa que “é importantíssimo olhar para os jovens empreendedores não só na componente tecnológica, com todas as ‘startups’, mas também com todas as ‘scaleups’ tecnológicas que estão a dar o passo seguinte, a crescer, a internacionalizar-se e a expandir-se”.

“Devemos interligar isto ao nosso tecido empresarial porque não temos só ‘scaleups’ tecnológicas, temos muitas mais a quem nem sempre lhes damos a devida atenção”, como é o caso dos setores mais tradicionais”, acrescentou.

Foi precisamente esta a lógica que obedeceu à escolha deste programa juntar empresas tecnológicas a pequenas e médias empresas de grande crescimento do tecido empresarial do Porto, num total de 20 que vão receber este apoio totalmente gratuito.

As empresas, para poderem integrar este programa, tinham que obedecer pelo menos a três critérios: volume de negócios entre cinco milhões e 50 milhões de euros, exportações iguais ou superiores a 15% e crescimento superior a 20% ou mais nos últimos três anos.

Na primeira ação desta iniciativa, em junho, no Porto, os empresários puderam ter uma sessão de dois dias com o especialista internacional em crescimento de empresas Verne Harnish.

Depois da formação deste mês em ‘marketing’, os gestores vão ter formação especializada em vendas, operações, recursos humanos e setor financeiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Francisco Pedro Balsemão, CEO do grupo Impresa. Foto: DR

Impresa.Reestruturação já atingiu 20 trabalhadores. E chegou ao Expresso

PCP

Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018

Turistas no novo terminal de cruzeiros de Lisboa, Santa Apolónia. Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Instituto alemão prevê boom na construção em Portugal até 2020

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Primeiro programa estruturado de apoio a ‘scaleups’ chega a 20 empresas