Aceleração

Protechting: Aceleração de startups da Fidelidade cresce para Alemanha

Bdeo venceu a competição internacional Protechting em 2017, após ter sido um dos três vencedores em Portugal. Fotografia: DR
Bdeo venceu a competição internacional Protechting em 2017, após ter sido um dos três vencedores em Portugal. Fotografia: DR

Programa que conta com colaboração da Beta-i vai apostar numa apresentação internacional para cativar mais candidatos.

O programa de aceleração Protechting está de volta e vai alargar a aposta nas startups internacionais. A Fosun e a Fidelidade apresentaram esta quarta-feira a terceira edição desta iniciativa vai procurar novas empresas nas áreas da saúde, seguros e finanças. O programa conta com um novo parceiro internacional e a fase de aceleração vai dividir-se entre Portugal e Alemanha.

O banco alemão Hauck & Aufhäuser, que entrou em 2016 no grupo Fosun, juntou-se à Fosun, Fidelidade, Luz Saúde e Beta-i como parceiro do Protechting. A fase de aceleração, por causa disso, vai dividir-se entre Lisboa – para as insurtech e healthtech – e Frankfurt ­- para as fintech, de acordo com a apresentação à imprensa realizada esta quarta-feira em Lisboa, na sede da Fidelidade.

O Protechting, na terceira edição, vai reforçar a colaboração entre startups e as empresas do grupo Fosun, que procura novas empresas para integrar soluções e novos produtos. Das duas primeiras edições, há seis startups do grupo que continuam a colaborar com as empresas do grupo chinês. As startups que se candidatarem têm de ter um protótipo já desenvolvido.

A Fidelidade, por exemplo, admite que já retirou algumas lições das duas primeiras edições deste programa. “O Protechting tem sido uma oportunidade única de aprendizagem para nós. Na nossa primeira edição, tivemos algumas dificuldades na área dos seguros; na área hospitalar foi mais fácil porque estão mais habituados a lidar com inovações tecnológicas. Na segunda edição, a situação melhorou bastante. Esta é uma ação fundamental para acelerar a transformação digital das nossas empresas”, destacou Jorge Magalhães Correia, presidente executivo da Fidelidade.

As inscrições para o Protechting 3.0 estão abertas até 29 de abril. Este ano, o programa vai apostar na captação de startups de São Paulo, São Francisco, Frankfurt, Berlim e Munique. Nestas cidades, irá decorrer uma apresentação internacional nas próximas semanas.

Após um mês de aceleração, de 18 a 22 de junho, irá decorrer o bootcamp, que irá contar com três startups do eixo Macau-Cantão-Hong-Kong, em parceria com o governo local. Segue-se o desenvolvimento de pilotos, entre 9 de julho e 24 de outubro, com até 15 finalistas. Os três melhores projetos serão escolhidos a 25 de outubro e terão direito a um roadshow na China.

Além da incubação na Beta-i, haverá um prémio monetário de 10 mil euros e a possibilidade de investimento de até 350 mil euros do grupo chinês.

Até agora, o Protechting 3.0 já recebeu 130 pré-registos; nos últimos dois anos, houve 252 candidaturas, de 42 países.

Em 2017, a Bdeo, além de ser um dos vencedores do programa realizado em Portugal, ganhou a competição internacional Protechting/Innostar, cuja final decorreu na China.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Protechting: Aceleração de startups da Fidelidade cresce para Alemanha