Aceleração

Quer começar uma startup mas falta-lhe a ideia? Este mercado vai ajudá-lo

Celso Martinho, fundador e CEO da Bright Pixel, incubadora e laboratório que organiza o Pixels Camp. Fotografia: Fotografia: PAULO SPRANGER/Global Imagens
Celso Martinho, fundador e CEO da Bright Pixel, incubadora e laboratório que organiza o Pixels Camp. Fotografia: Fotografia: PAULO SPRANGER/Global Imagens

Bright Pixel lança programa Insert Coin para ter mais fazedores a lançar startups. E quer transformar empreendedores com fracassos em heróis.

Muitas pessoas querem criar uma startup na área da tecnologia mas ainda não encontraram a melhor ideia. Em breve, isto pode deixar de ser um problema com o programa Insert Coin, organizado pela Bright Pixel, o laboratório de startups do grupo Sonae. Além de lançar um mercado de ideias para potenciais fazedores, este programa vai discutir as causas do falhanço das startups. O objetivo é incentivar o aparecimento de protótipos (MVP) que depois possam ser transformados em empresas.

O Insert Coin é um conjunto de iniciativas para trabalhar de forma muito mais eficiente e objetiva ideias com potenciais promotores, com os quais possamos construir um produto, a empresa, financiá-los e lançá-los para o mercado”, revela Celso Martinho em entrevista ao Dinheiro Vivo. O programa será apresentado esta quarta e quinta-feira na cimeira Lisbon Investment Summit, organizada pela associação Beta-i.

O mercado de ideias estará acessível a qualquer pessoa que contacte a Bright Pixel e que depois receba um código deste laboratório. Na página da Bright Pixel será apresentada uma lista de ideias anónima de empresas e de outros fazedores.

Mais do que fazedores tecnológicos, “o objetivo é atrair outro tipo de empreendedores com capacidade para gerir negócio, liderar equipas e construir produtos para o mercado”. As ideias de negócio e de produto disponíveis “já foram validadas, de alguma forma, em mercados que conhecemos bem. Vêm de empresas reais e parceiros com os quais trabalhamos diariamente”, assinala Celso Martinho.

As ideias do Insert Coin “poderão ser transformadas potencialmente numa startup, nos verticais da Bright Pixel (retalho, telecomunicações, fintech, media, ciber segurança) e em tecnologias emergentes. Qualquer pessoa que mostre motivação suficiente e que possa ser útil poderá aceder a esse mercado.”

Se tudo correr bem, os projetos poderão entrar no programa de incubação da Bright Pixel, com duração de seis meses e que “fornece muito apoio a nível tecnológico, acesso a clientes e teste de produto.

Transformar fracassados em heróis

O debate sobre os fracassos nas startups é o outro lado da moeda do programa Insert Coin. Ao fim de dois anos de Bright Pixel, Celso Martinho entende que “Portugal está a entrar numa fase em que muitos dos investimentos começam a dar os seus frutos mas falta coisas habituais noutros ecossistemas: uma cultura de serial entrepreneurs”.

Segundo o líder da Bright Pixel, Portugal está a precisar de fazedores “que já tentaram, falharam, voltaram a tentar e foram bem-sucedidos. Isto demora muitos anos e implica uma grande mudança cultural, porque em Portugal ainda há alguns estigmas do sucesso”.

O combate ao estigma será feito com uma série de eventos à volta do falhanço, que irão decorrer em Lisboa, Porto e noutras cidades. “Convidaremos empreendedores que já passaram pelas dores de lançar uma empresa e que não a conseguirem levar a bom porto. Queremos transformar o estigma numa coisa muito positiva.”

Leia aqui: Berlim, a cidade onde quem não falha “mente ou é idiota”

Celso Martinho fala mesmo em “transformar as pessoas que falharam em heróis”. O fundador da Bright Pixel diz que “muito mais depressa investiria numa pessoa que já passou por situações de falhanço e que aprendeu, algo que não se consegue na teoria”. Estas pessoas devem ser os “embaixadores das novas gerações de empreendedores e devem ser postas à disposição da comunidade”.

Fundada em 2016, a Bright Pixel já apoiou a criação de 14 novas startups e já investiu em seis destes projetos, graças ao fundo de oito milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Fotografia: REUTERS/Mike Hutchings

Construção de casas novas caiu 80% em dez anos

Hotel Pestana Palace, em Lisboa.

Turismo com 51 milhões de dormidas até outubro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Quer começar uma startup mas falta-lhe a ideia? Este mercado vai ajudá-lo