equity crowdfunding

Quer investir numa startup? Vá à Indiegogo!

indiegogo

Plataforma global de crowdfunind já permite o financiamento de empresas.

A Indiegogo acaba de se lançar no mercado do equity crowdfuning. Até ao momento, podia-se utilizar a plataforma para financiar campanhas, projetos e produtos. A partir de agora vai ser possível procurar também investimento para startups. Por cada montante investido, terá direito a recompensas que, nalguns casos, poderão ser a uma percentagem no capital da empresa.

Nesta iniciativa, a Indiegogo associa-se ao banco de investimentos Micro Ventures e as startups à procura de financiamento vão estar listadas nos sites de ambas as companhias. O lançamento foi feito com quatro projetos: o jogo Crowfall, o sensor desportivo Play Impossible, a rede social de música Beat Stars e a destilaria norte-americana Republic Restoratives.

O investimento começa nos 100 dólares (93 euros) e está aberto a qualquer utilizador, maior de 18 anos. O financiamento pretendido será revelado pelas startups, que ficam obrigadas a indicar o que farão com os montantes angariados e a fazer atualizações sobre a evolução dos projetos.

A Indiegogo não é a primeira a apostar no equity crowdfunding. Existem outras plataformas do género no mercado, entre as quais a luso-britânica Seedrs, que é já uma referência na Europa e que tem ajudado várias startups portuguesas a financiarem-se. Devido ao seu reconhecimento mundial no setor do crowdfunding, a Indiegogo poderá vir a ser um competidor de peso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Quer investir numa startup? Vá à Indiegogo!