QuintoAndar prepara-se para abrir centro tecnológico em Lisboa. "É uma forma de aceder a mais talentos"

À margem da Web Summit, que termina esta tarde, o Dinheiro Vivo falou com Gabriel Braga, o fundador da plataforma de arrendamento, compra e venda de imóveis no Brasil. Empresa prevê contratar 50 pessoas até ao final de 2022.

Reduzir a carga burocrática, aumentar a segurança e facilitar o processo de arrendamento de imóveis foram três dos principais objetivos de Gabriel Braga e André Penha quando fundaram a QuintoAndar. "O processo de aluguer de imóveis no Brasil é muito burocrático e complicado", começa por enquadrar o empreendedor em entrevista ao Dinheiro Vivo. "Começámos em 2013 simplificando o processo numa plataforma onde é possível reunir tudo, desde procurar o imóvel, visitá-lo, negociar e fechar a transação", explica. De lá para cá, o crescimento não parou e a empresa acaba de anunciar a abertura de um centro tecnológico em Lisboa, já em março, prevendo contratar 50 colaboradores até ao final do próximo ano. "Temos pessoas espalhadas em todo o mundo, esta é uma forma de aceder a mais talentos que gostaríamos de atrair", assume o gestor.

Este "tech hub" que Gabriel Braga está a desenhar "vai servir como plataforma facilitadora e catalisadora para todo o negócio", que se mantém, para já, focado no mercado brasileiro. Apesar de não adiantar o montante de investimento, o CEO prefere falar no número de colaboradores a contratar e nas posições que procura preencher. "Queremos pessoas de engenharia de software, engenharia de dados, de design e product management", lista, realçando que, se o projeto correr bem, "vamos investindo e ampliando esta base".

Questionado sobre uma eventual expansão da plataforma de arrendamento, compra e venda de imóveis para Portugal, Gabriel Braga diz que "neste primeiro momento, esse não é o plano". "O nosso foco ainda está no Brasil e na América Latina, estamos a preparar-nos para chegar ao México", revela. No entanto, admite ter "o sonho" de atuar em vários países do mundo, até porque, diz, "parte dos problemas que ajudamos a resolver existem em vários locais".

A fada-madrinha do arrendamento

Procurar uma nova morada não é tarefa fácil, seja para arrendar ou comprar. Do lado contrário, de quem arrenda ou vende, a missão pode ser igualmente uma dor de cabeça. Esta realidade é comum à generalidade dos países, mas particularmente naqueles que, como Portugal, enfrentam um mercado dinâmico, com muita procura e pouca oferta. "Tentamos tornar o processo o mais invisível possível. O utilizador tem autonomia e controlo total através da aplicação móvel, que permite resolver todo o tipo de questões sem falar com ninguém ou ter necessidade de fazer uma deslocação a um escritório físico.

Porém, uma das maiores vantagens que Gabriel Braga identifica no modelo de negócio da QuintoAndar prende-se com a moderação da relação entre senhorio e inquilino, nomeadamente quando o tema é dinheiro. "Uma vez acertada a proposta, tudo é assinado digitalmente e depois, ao longo do arrendamento, fazemos a cobrança mensal ao inquilino", descreve. Através da mediação da plataforma, é possível eliminar a exigência de garantias por parte do proprietário, como cauções, fiadores ou seguros de arrendamento. "Foi onde fizemos a inovação mais peculiar do QuintoAndar", considera o cofundador.

Mas quer isto dizer que o senhorio não está protegido? Não, porque a empresa assegura que os pagamentos mensais chegam ao proprietário mesmo que, por algum motivo, o arrendatário não cumpra com as suas obrigações. "Se o inquilino atrasar o pagamento um dia, um mês ou um ano, o proprietário continua a receber da nossa parte", garante. O mesmo acontece em caso de danos à propriedade. "Além de ser mais seguro, mais fácil e conveniente, conseguimos fazer o aluguer muito mais rápido, diminuindo o período em que está desocupado e aumentando o retorno do investimento para o dono", detalha.

Atualmente avaliada em 5,1 mil milhões de dólares, a empresa gere mais de 100 mil imóveis no Brasil, conquista dez mil novas locações e vende cerca de mil propriedades mensalmente. "Queremos ser uma plataforma focada na habitação como um todo", remata Gabriel Braga.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de