Reconheça os empreendedores da sua empresa antes que batam com a porta

Portugueses arriscam menos
Portugueses arriscam menos

Qualquer CEO nos poderá dizer que encontrar ideias nem sempre é o problema. A verdadeira questão é selecionar e espalhar as melhores, testá-las rapidamente e executá-las sem falhas. Um “motor de inovação” é a capacidade de uma organização de pensar e investir em oportunidades a longo prazo, aliada à competência de promover, todos os anos, a continuidade da inovação.

Para construir um motor de inovação, a sua empresa deve especializar-se em operacionalizar as ideias dos seus empregados enérgicos e desejosos de fazer tudo para combater a resistência interna sem criar o caos. Eis o seu banco de inovadores corporativos: os seus “intra-empreendedores”.

Leia também: O livro que ensina a ser empreendedor.

Estes intra-empreendedores naturais já existem na sua empresa. A alguns, conhece-os, mas a maioria estão escondidos. Estes indivíduos nem sempre são os seus melhores talentos, nem os rebeldes ou originais óbvios. Mas são únicos e certamente o oposto dos “homens da organização”. Quando os descobre e lhes dá o apoio certo, a magia acontece.

Os intra-empreendedores podem tornar uma organização mais rápida e eficientemente que outros, porque são livres-pensadores auto-motivados, mestres em contornar a inércia burocrática e política.

Descobrimos que numa empresa com 5000 empregados, existem pelo menos 250 inovadores naturais; destes, pelo menos 25 são grandes intra-empreendedores que podem construir o próximo negócio da sua empresa.

Liderança Falhada

Muitos líderes seniores, surpreendentemente, receiam promover o pensamento fora da caixa, por medo de perderem os seus melhores empregados para o sucesso e em seguida para a concorrência; este é um sinal seguro de liderança falhada.

Tomas Chamorro-Premuzic defende que 70% dos empreendedores bem-sucedidos tiveram a sua ideia de negócio enquanto trabalhavam num emprego anterior. Estes indivíduos talentosos bateram com a porta porque não existia um processo de intra-empreendedorismo onde pudessem lançar as suas ideias e os seus patrões eram insuportáveis. Descobrimos que as pessoas inteligentes saem das empresas para começarem os seus próprios negócios porque as empresas não acreditam no intra-empreendedorismo como uma ferramenta crítica para o crescimento.

Intra-Empreendedores de Sucesso

Com base no nosso trabalho com as corporações, descobrimos seis padrões de intra-empreendedores bem-sucedidos:

Padrão 1: O dinheiro não é a medida. A motivação inicial para os intra-empreendedores é a influência com liberdade. Querem ser justamente recompensados mas, para eles, o dinheiro não é o ponto de partida. As recompensas são uma avaliação de como se estão a sair no jogo do intra-empreendedorismo.

Padrão 2: Análise Estratégica. Os intra-empreendedores estão sempre a pensar no que vem a seguir, têm um pé no futuro. Estes agentes de mudança apaixonados são extremamente dedicados, muito clara e visivelmente consistentes no seu trabalho e nas suas interações. Não ficam sentados à espera que o mundo mude: percebem que parte do mundo está prestes a mudar e chegam mesmo a tempo de influenciar as novas perspetivas. Para eles, aprender é tão necessário como o oxigénio.

Padrão 3: Semear em Estufa. Os intra-empreendedores costumam contemplar a semente de uma ideia ao longo de dias e semanas, entre telefonemas, reuniões e conversas. À medida que lhe lançam mais luz, a ideia torna-se mais clara mas ainda não é o momento de a partilharem. Sabem que os outros podem ignorá-la, sendo incapazes de a apreciar devidamente – por isso cuidam das ideias na sua estufa, protegendo-as durante algum tempo de potenciais detratores.

Padrão 4: Pensamento Visual. O pensamento visual é uma combinação de brainstorming, mapas conceptuais e design thinking. Só depois de um insight excitante é que os intra-empreendedores parecem capazes de formular e visualizar uma série de soluções na sua cabeça – raramente formulam apenas uma. Não agem impulsivamente sobre uma solução, conscientes da necessidade de respeitar a fase de descoberta da nova solução, dando-lhe tempo para se desenvolver e cristalizar.

Padrão 5: Dar a Volta. Dar a volta é fazer uma mudança significativa e frequentemente corajosa na direção estratégica atual. Parece assustador e incompreensível para a maioria das organizações maduras, embora seja muitas vezes o que é necessário para ressuscitar uma empresa moribunda.

Por exemplo, Steve Jobs deu a volta à Apple, que passou de uma empresa de computadores vocacionados para a educação e o lazer a uma empresa de electrónica de consumo. A Wipro, da Índia, deixou de ser um pequeno fabricante de óleo vegetal e tornou-se um centro nevrálgico de subcontratação de software. Tony Hsieh, CEO da Zappos, deu a volta à empresa, que deixou de vender apenas sapatos para se tornar uma empresa online de serviço ao cliente. (Em 2009, a Amazon comprou a Zappos por 1,2 mil milhões de dólares.) Com Jeff Bezos, a Amazon deixou de ser o maior centro comercial online do mundo a vender as coisas de outras pessoas para vender o seu próprio hardware-o Kindle. Esta estratégia tem sido muito recompensada – neste momento, a Amazon é proprietária de cerca de 60% do mercado de e-readers, e o seu valor de capitalização de mercado é superior a 100 mil milhões de dólares.

Padrão 6: Autenticidade e Integridade. Os intra-empreendedores que estudámos apresentam como características fundamentais a confiança e a humildade, e não os típicos comportamentos inconformistas frequentemente associados aos inovadores corporativos de sucesso. Todos eles, no entanto, transpiram um elevado conhecimento de si mesmos e um forte propósito.

Poderá iniciar uma conversa sobre este tema a nível sénior respondendo às seguintes perguntas sobre a construção de um banco de intra-empreendedores:

Qual é a definição da sua organização de intra-empreendedor corporativo?

Como é que alguém se torna um intra-empreendedor bem-sucedido?

Como pode encontrar intra-empreendedores dentro e fora da sua empresa?

Quais são os métodos e táticas para desenvolver pessoas e empresas intra-empreendedoras? Como pode a sua organização estabelecê-los para alimentar os seus intra-empreendedores?

As empresas de sucesso e possuidoras dos seus próprios motores de inovação sabem como encontrar, desenvolver e reter os intra-empreendedores. Para vencer a concorrência, promovem e alimentam um pequeno ambiente de start-up no interior de uma grande estrutura organizacional, onde apoiam a experimentação contínua com o propósito de encontrar o próximo grande negócio.

Vijay Govindarajan é professor de negócios internacionais na Truck School of Business e é co-autor do livro Reverse Innovation.

Jatin Desai é co-fundador e diretor executivo do The Desai Group e autor do livro The Innovation Engine: Driving Execution for Breakthrough Results.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Reconheça os empreendedores da sua empresa antes que batam com a porta