Safeway: Água com ozono limpa covid de escritórios, hotéis e restaurantes

Gerador portátil, cabines e túneis de desinfeção para empresas eliminam 98% do novo coronavírus em poucos segundos e sem causar contaminação. Autoeuropa é um dos clientes nacionais.

Combater todos os dias a covid-19 é o propósito da Safeway. Nascida no início deste ano, esta startup portuguesa desenvolveu geradores portáteis, cabines e túneis de desinfeção que eliminam em 98% o novo coronavírus. Através de água misturada com ozono, é possível desinfetar todas as superfícies sem risco de contaminação.

Os geradores portáteis são os mais vendidos e ajudam na desinfeção de escritórios, hotéis e restaurantes. Numa caixa preta ligada à corrente, com mais de 4 quilos, entra ar do exterior e sai ozono limpo de bactérias. "É uma solução melhor do que as luzes ultravioleta, que não conseguem desinfetar o que está atrás dos móveis", justifica Diogo Mocho, cofundador.

A Autoeuropa é um dos principais clientes nacionais: "O gerador fica a trabalhar durante a noite nos escritórios e garante que na manhã seguinte os trabalhadores entrarão num lugar completamente seguro".

Nos hotéis, "em vez de esperarem uma noite para deixar o quarto apanhar ar, é possível fazer uma rotação tão próxima como antes da pandemia". Nos restaurantes, este equipamento "pode limpar o ar entre o almoço e o jantar".

As cabines e túneis de desinfeção foram criadas sobretudo para grandes empresas e eventos, respetivamente. Instaladas à porta de edifícios, espaços de exposições ou complexos desportivos, estas soluções recorrem a vaporizadores de água com ozono, produzida através um processo de eletrólise.

A desinfeção ocorre em 15 segundos e a roupa não fica molhada. Cada cabine desinfeta uma pessoa de cada vez; com os túneis, três utilizadores ficam livres do vírus de uma só assentada.

Apesar de boa parte das peças vir da China, a montagem final é assegurada numa unidade em Santa Iria da Azóia. De momento, são produzidas 1000 unidades por mês, mas há capacidade para triplicar o número se for necessário.

Em Portugal, os equipamentos são vendidos através da Altice Empresas e a SGS assegura a formação necessária para utilizar os equipamentos. A Safeway conta ainda com uma equipa de 10 pessoas.

Além do mercado doméstico, já é possível encontrar os produtos desta startup portuguesa em países como Reino Unido, Suíça, Canadá e Dubai.

A Safeway nasceu por iniciativa dos investidores portugueses Olisipo Way, Tocha e José Serra. "Em janeiro, fevereiro, quando fomos confrontados com a possibilidade de uma pandemia, o Tocha, com as suas ligações à China, já estava muito a par do que lá se passava. Pensámos então que isto iria afetar a economia e que iria restringir a liberdade de movimento."

Logo nessa altura, os fazedores começaram a olhar para várias opções e chegaram à conclusão que recorrer ao ozono seria a forma mais eficaz de desinfeção. Este gás é 3200 vezes mais eficaz do que o cloro na eliminação de bactérias, segundo a Organização Mundial da Saúde, e era utilizado no passado para a desinfeção de blocos operatórios e de laboratórios. Só que era preciso garantir que tudo funcionava.

"Pedimos à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa para trabalhar connosco. Eles são dos poucos laboratórios autorizados a manipular o vírus e pedimos-lhes um teste em condições reais com um dos nossos equipamentos. Ficou comprovado que o nosso aparelho elimina o vírus a 98%."

Depois de "centenas de milhares de euros" de injeção de capital, a Safeway começou a vender os primeiros produtos nas últimas semanas. A certificação europeia e norte-americana garante mais mercados de exportação.

A startup portuguesa tem outros produtos na calha e garante que está para ficar. "Quando o mundo mudar, poderemos utilizar a mesma solução de outra forma. Estes equipamentos também vão dar segurança às pessoas para os eventos."

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de