Santa Casa procura soluções tecnológicas para o ambiente

Sétima edição do Santa Casa Challenge procura ideias já testadas mas que ainda não estejam no mercado. Prémio para o vencedor é de 15 mil euros.

A Santa Casa está à procura de soluções tecnológicas para o ambiente. Abriram nesta terça-feira as candidaturas para a sétima edição do concurso Santa Casa Challenge. O vencedor terá direito a um prémio financeiro de 15 mil euros.

As propostas apresentadas terão de resolver desafios relacionados com sustentabilidade ambiental através de soluções ligadas aos novos desafios na educação e no trabalho para a transição digital e a ação climática.

As ideias poderão já ter sido testadas e serem exequíveis do ponto de vista tecnológico mas não podem ser ter isto postas à venda no mercado. Também são permitidas soluções adaptadas a propostas já existentes no mercado mas que estejam a ser utilizadas noutros contextos.

Na avaliação das propostas são tidos em conta critérios como "adequação do perfil e envolvimento dos candidatos na concretização da solução; grau de inovação; aplicabilidade da solução ao desafio; grau de replicabilidade; impacto no público-alvo da aplicação da solução; e exequibilidade tecnológica"

O concurso é promovido pelo Departamento de Empreendedorismo e Economia Social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a que também pertence a Casa do Impacto.

As candidaturas podem ser feitas até 27 de fevereiro através desta página. Depois dessa etapa, um júri com elementos da Santa Casa e da Casa do Impacto vai pré-selecionar 10 projetos, que serão anunciados em 11 de março e que serão apresentados em 14 de abril.

O projeto vencedor, além dos 15 mil euros, terá direito a um ano de incubação na Casa do Impacto e a bilhetes para a Web Summit de 2022. O segundo classificado também terá direito a um ano de incubação e a bilhetes para a Web Summit de 2022. O terceiro classificado ficará apenas com os ingressos para a Web Summit.

"Ação climática, transição digital e educação são pontos fundamentais da agenda da economia de impacto para os próximos anos. Estamos focados em descobrir e premiar os empreendedores que estão a criar soluções que respondam de forma eficiente a estes desafios tão críticos para o crescimento da nossa sociedade e da nossa economia, elementos que estão também presentes nos desígnios do próximo quadro comunitário europeu e nos grandes objetivos da Comissão Europeia para a próxima década. Queremos não só dar algum apoio financeiro, mas também espaço aos projetos vencedores para que possam acelerar as suas propostas e desenvolvê-las dentro da comunidade da Casa do Impacto", destaca Inês Sequeira, diretora do Departamento de Empreendedorismo e Economia Social da SCML e Diretora da Casa do Impacto, citada em comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de