novos negócios

Sensi Guitar. Como um Momentum muda uma vida e um negócio

João Neves da Sensi Guitar, vencedor do Startup Momentum em 2015.
Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens
João Neves da Sensi Guitar, vencedor do Startup Momentum em 2015. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens

João Neves foi o vencedor do Programa Momentum, quando a iniciativa ainda era exclusiva da Startup Lisboa

Estávamos em julho de 2015, em pleno verão. Era tarde. Na casa de João Neves, na aldeia de Alcobertas, em Rio Maior, já todos dormiam. Exceto ele. De televisor ligado, o jovem com 22 anos na altura, de curso terminado mas ainda sem um emprego em vista, pensava no que ia ser feito da sua vida. Até que, do programa de televisão que estava a dar no canal sintonizado, surgiu a resposta. “Apareceu o João Vasconcelos no Cinco para a Meia-Noite a falar da iniciativa Momentum. Achei que aquilo poderia fazer sentido para mim”, conta o fazedor.

O atual secretário de Estado da Indústria era na altura diretor da Startup Lisboa. No programa televisivo apresentava a mais recente aposta da incubadora da capital: o programa Momentum, que pretendia dar acesso a um ano de incubação gratuita, com direito a um quarto na residência da Startup Lisboa e a uma bolsa de 500 euros mensais, a jovens recém-licenciados, oriundos de famílias em situações económicas precárias.

João Neves era o mais novo de quatro irmãos, filho de um mecânico e de uma doméstica. Tinha terminado recentemente a sua licenciatura em Música Eletrónica e Produção Musical, na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco. O seu trabalho final tinha sido uma guitarra elétrica, construída por si, com sensores que a ligavam, recorrendo a tecnologia wireless, a outros dispositivos que conseguia controlar através do instrumento. O fazedor considerou que tinha as condições ideais reunidas para se candidatar. “Eu não sabia nada sobre isto do empreendedorismo. Tive que ir pesquisar para saber o que é que aquilo era e o que é que tinha de fazer. O meu sonho era que a minha guitarra me pudesse levar a qualquer lado e, por isso, até já a tinha apresentado na Maker Fair, em Lisboa. Mas tinha muito pouca consciência de como transformar isto num negócio rentável”, conta. Quase nove meses depois daquela noite de verão, recebeu o telefonema que lhe ia mudar o destino. O seu projeto, que tinha intitulado de Sensi Guitar, tinha sido o vencedor do programa.

Instalado na sala de cowork na Startup Lisboa, com um quarto no segundo piso da residência, na Baixa lisboeta, e as despesas asseguradas pela bolsa mensal, João Neves passou a ter toda a disponibilidade para se dedicar a tempo inteiro a encontrar uma rentabilidade para a sua Sensi Guitar.

“O melhor do Programa Momentum são os benefícios colaterais que ninguém fala. É ótimo ter as despesas pagas, mas o acesso a outros empreendedores e a todo este ambiente tem um valor incalculável. Aqui respiram-se ideias e é isso que nos faz crescer. Vim para isto sem saber nada e vou sair com algo concreto”, assegura o jovem empresário.

A ideia de negócio inicial era prestar um serviço de consultoria a músicos. Construir-lhes instrumentos personalizados de acordo com as suas necessidades, utilizando a tecnologia desenvolvida pelo fazedor, na construção da Sensi Guitar. Por exemplo, um piano que tivesse um botão que permitisse controlar as luzes de uma sala de concerto. Ou uma bateria com um sensor que regulasse o volume da voz de um vocalista. “Mas os custos iam ser altos e era difícil escalar com essa ideia. Para além disso, os músicos não se iam querer desfazer dos seus próprios instrumentos. Na verdade, só queriam adaptá-los a necessidades específicas que tivessem”.

O quarto de João reflete o ano de pesquisa e investigação que passou, até conseguir dar uma roupagem rentável ao seu projeto. Há post-its afixados por toda a parede, dois quadros de modelo Canvas preenchidos, com estudos de clientes e prospeção de mercados. Há frases de motivação no meio de fotografias pessoais e, claro, muitos elementos de música, a sua grande paixão.

Com os benefícios do programa Momentum quase a chegar ao fim, João está orgulhoso do caminho que percorreu. Neste momento, já tem uma equipa. “Somos três pessoas a tempo inteiro, mas há muita gente que tem ajudado e que eu considero que também faz parte do projeto”. E além da equipa, encontrou finalmente um modelo de negócio, rentável e escalável, assente num produto. “Decidimos, em vez de estar a fazer instrumentos de raiz, que sempre soube ser pouco exequível, comercializar apenas os controlos. Ou seja, estamos a desenvolver um produto específico, uniformizado, com a nossa tecnologia, que pode ser comprado e inserido em qualquer instrumento e personalizado às preferências de qualquer cliente”. A equipa da Sensi Guitar já validou esta nova ideia, já fez uma prova de conceito e neste momento tem um protótipo pronto.

E como qualquer fazedor que se preze, para além de equipa, de modelo de negócio e de produto, João Neves tem também planos para o futuro. O Momentum já pode acabar que ele sabe exatamente qual o caminho que vai percorrer a seguir. “Para começar vamos tratar do design e do marketing do produto. E depois finalmente passar à comercialização. Queria que essa comercialização acontecesse ainda em 2017 e a ideia seria usar a plataforma de crowdfunding Kickstarter, onde este tipo de produtos funciona muito bem, e onde há uma grande aceitação do mercado que nos interessa, que é o dos Estados Unidos. Calculo que 40% dos nossos clientes venham de lá,” conclui João Neves que, graças ao programa Momentum, deixou de ser apenas um jovem com sonhos para passar à categoria de homem de negócios.

E quanto à sua própria sustentabilidade, o fazedor espera, para já, continuar a contar com a ajuda do Governo. “Candidatei-me ao programa Startup Voucher, que tem benefícios semelhantes. Estou neste momento à espera dos resultados”. Os vencedores da iniciativa desta iniciativa deverão ser revelados este mês, tal como os beneficiários do programa Momentum que, entretanto, passou a ter âmbito nacional.

Momentum. Beneficiários já foram escolhidos

Com a entrada de João Vasconcelos no Governo, a iniciativa Momentum passou a ter abrangência nacional e a figurar na estratégia do programa Startup Portugal. As candidaturas terminaram a 31 de dezembro e o Dinheiro Vivo sabe que os beneficiários já foram escolhidos e estarão por estes dias a ser contactados e atribuídos às incubadoras da Rede Nacional que participam na iniciativa, de acordo com as suas necessidades. A divulgação pública dos nomes e projetos vencedores deverá acontecer no final do mês. Os selecionados terão acesso a incubação, alojamento e uma bolsa mensal de 691,70 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Saída de clientes da EDP já supera as entradas

Outros conteúdos GMG
Sensi Guitar. Como um Momentum muda uma vida e um negócio