Inovação

Simplicasa. Limpar e reparar coisas em casa? Clica na app

Afonso Trindade de Araújo nasceu em Lisboa há 27 anos. Já foi ator e jornalista. Agora é empresário e vive no Porto. Fotografia: Igor Martins/Global Imagens
Afonso Trindade de Araújo nasceu em Lisboa há 27 anos. Já foi ator e jornalista. Agora é empresário e vive no Porto. Fotografia: Igor Martins/Global Imagens

Afonso Trindade de Araújo criou no Porto uma startup que com seis meses de vida já emprega 30 profissionais.

Aos 16 anos, Afonso Trindade de Araújo já era ator, em novelas e em teatros, mas sem deixar o percurso tradicional de estudante, via que lhe garantiu uma licenciatura em Comunicação Social. Já como jornalista regressou às televisões, numa passagem teve tanto de intenso como de efémero. A vida deu-lhe uma terceira saída: montar um negócio para que não faltasse aos outros o que ele não arranjou no mercado: serviços domésticos.

Mesmo tendo frequentado o conservatório, viu que no teatro escasseavam oportunidades. Por outro lado, dois anos de televisão, no Porto, deram-lhe a amarga experiência do desgaste profissional acelerado, mas, em simultâneo, a inesperada possibilidade de identificar uma lacuna que lhe abria as portas para um novo rumo. A viver longe da terra natal, Lisboa, percebeu a dificuldade de contratar quem lhe assegurasse os serviços domésticos e aí nasceu o esboço da sua empresa.

No final de 2017, criou a Simplicasa, uma sociedade unipessoal com sede no Porto, onde continua a viver. Com a colaboração de duas empresas, uma para a parte da programação e outra para o design gráfico, concebeu uma app gratuita, compatível com os sistemas da iOS e Android, que chegou ao mercado quase um ano depois, em setembro do ano passado.

Porto e Coimbra para já
Por agora, apenas os residentes do Porto e de Coimbra podem beneficiar dos serviços, embora a meta seja cobrir o território nacional. Uma das vantagens da nova aplicação é a possibilidade de o interessado escolher o técnico que pretende, em função de uma fotografia identificativa, de uma nota curricular e das avaliações do profissional, que cada cliente pode pontuar e comentar no final de cada prestação.

A Simplicasa faculta técnicos especializados em serviços, como limpeza, engomadoria, cozinha, reparações e instalações elétricas, pequenas obras, pintura e jardinagem, mas a ideia é alargar a outras áreas.

Alguns serviços são pagos por hora, outros avançam mediante um orçamento prévio. No caso da limpeza e engomadoria, o custo é de oito euros por hora. O serviço de cozinha fica por dez euros. Afonso Araújo dá o exemplo de quem precise de contratar um cozinheiro, para preparar até as refeições do dia-a-dia, como é o caso da população estudantil. O profissional, pago à hora, é disponibilizado e trabalhará com os ingredientes comprados pelo cliente. A esse custo acresce uma taxa de deslocação, no valor de 2,50 euros. O pagamento é efetuado antes do serviço, “evitando assim habituais surpresas desagradáveis na fase final”, salvaguarda o jovem empresário de 27 anos.

No caso de intervenções que careçam de um orçamento, a empresa cobra uma taxa de deslocação de 9,99 euros, “que será integralmente devolvida no momento da aprovação do serviço”. Os pedidos serão respondidos em duas a três horas e a ida a casa do cliente ocorre, no máximo, até 48 horas após a solicitação do pedido, assegura o CEO.

Os serviços são prestados entre as 8 e as 24 horas, mas também estão previstas respostas em urgências, para avarias ou reparações. Afonso Trindade de Araújo garante que, “em qualquer caso, a resposta é dada em tempo útil, com o processo de agendamento a rondar os 60 segundos, desde a entrada na aplicação até à confirmação do pagamento”.

Ao adquirir qualquer serviço – assinala o empresário -, todos os clientes estão protegidos com um seguro de responsabilidade civil, para responder a situações de dano, quebra de peças ou acidentes.

Certo é que, em seis meses, a empresa já contratou uma equipa de 30 pessoas, “apesar da dificuldade em recrutar profissionais nestas atividades”, assume o empresário. “São profissionais estigmatizados e nós queremos mudar isso. Queremos valorizá-los. Por norma, não estão habituados a serem respeitados pela entidade patronal”, sublinha, explicando que os 30 funcionários estão repartidos por Porto e Coimbra, em maior número a norte.

Até agora, a empresa já registou 2500 downloads da aplicação, maioritariamente feitos por mulheres (51%). Sem surpresas, o maior número de clientes está no Porto (60%) e em Coimbra (40%). O público alvo mais forte situa-se na faixa etária dos 20 aos 50 anos.

Para futuro, Afonso Trindade de Araújo tem a ambição de ampliar o alcance da prestação de serviços a outras cidades. A prioridade é chegar a Braga e a Lisboa “no curto prazo”, isto é, até ao final de 2020.

Mais destinos, mais serviços
O empresário espera conseguir chegar a todo o país até 2025, mas, para isso, já está a iniciar uma ronda de investimento para obter financiamento junto de Business Angels e do programa Portugal 2020.

Na componente dos serviços, o objetivo também é diversificar. Nesse sentido, até ao final do ano, conta poder disponibilizar serviços de babysitting (tomar conta de crianças) e de petsitting (tomar conta de animais), no Porto e em Coimbra.

A criação da Simplicasa representou um capital social de 45 mil euros, através de fundos próprios. Para este ano, Afonso Trindade de Araújo quer atingir um volume de negócios acima dos 250 mil euros, na esperança de cativar 350 a 500 clientes fixos, aos quais conta prestar um total de 20 mil serviços.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Simplicasa. Limpar e reparar coisas em casa? Clica na app