Fazedores

Skoach. Treinador digital para pôr talento a render melhor

Os fundadores da Skoach, Rita Ribeiro da Silva e João Ferreira. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)
Os fundadores da Skoach, Rita Ribeiro da Silva e João Ferreira. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Fundada em 2019, esta startup entra nos sistemas de comunicação das empresas através de uma aplicação instalada no Slack e fala com os trabalhadores.

A Skoach é uma ferramenta para resolver os problemas de retenção de talento e para melhorar o desempenho dos trabalhadores. Criada no ano passado, esta solução entra nos canais de comunicação das empresas através de uma aplicação e fala diretamente com os funcionários.

“Queremos capacitar as equipas para falarem melhor sobre processo que não correm tão bem e dar às empresas a hipótese de aumentarem a produtividade”, explicam Rita Ribeiro da Silva e João Ferreira, os fundadores desta startup de Lisboa, criada no ano passado.

Para falar com os trabalhadores, a plataforma da Skoach cria um perfil em plataformas colaborativas como o Slack, de forma personalizada. “Mandamos desafios durante a semana para as pessoas treinarem uma determinada competência que a empresa queira desenvolver”, detalham os dois fundadores.

A escolha de uma plataforma como o Slack tem a ver com o comportamento diário dos trabalhadores. “Se é naquele sistema que passam o dia, faz muito mais sentido integrarmo-nos nesta plataforma”. Os desafios do Skoach abordam sobretudo a área das competências sociais (soft skills). “Tentamos criar uma dinâmica de feedback construtivo. Por exemplo, temos desafios sobre escuta ativa, que pode ser treinada em todos os momentos do dia a dia”.

Além disso, acrescenta Rita Ribeiro da Silva, “os pequenos comportamentos são aqueles que acabam por ter mais impacto na vida de uma pessoa dentro de uma empresa. Queremos programar as pessoas para terem uma atitude muito mais construtiva dentro de uma equipa.”

No final de cada semana, “medimos os impactos de cada uma das nossas sugestões. Se o desafio for cumprido, é recebido um ponto para a equipa. São pequenos hábitos que ajudam a desenvolver competências dentro das equipas.” Os progressos da equipa são depois avaliados através de uma escala.

Apesar de a ferramenta poder ajudar os trabalhadores, as empresas também podem beneficiar deste sistema. “Pode demorar várias semanas encontrar um substituto, que depois tem de ser formado, para um funcionário que saiu e que pode sentir-se mal por abandonar o posto”.

Empresas como a JLL, Aptoide e Beta-i já utilizaram este sistema, no ano passado, durante a fase de testes e por um período limitado.

Rita Ribeiro da Silva teve a ideia para a Skoach em 2018. Economista de formação, tirou um mestrado avançado em Gestão e trabalhou no Boston Consulting Group, na área de recursos humanos. Já no ano passado, conheceu o outro fundador, João Ferreira, que é o responsável tecnológico da startup.

Depois de terem participado, em 2019, no programa de aceleração Lisbon Challenge, a Skoach tem a mira apontada para o setor empresarial, “sobretudo para empresas digitalizadas, que valorizem uma cultura de feedback e que estejam mais presentes do que apenas nas avaliações de desempenho”.

Por ter todos os conteúdos em inglês, a startup conta ter os primeiros clientes internacionais ainda neste ano. Antes disso, a plataforma portuguesa está a levantar uma ronda de investimento de 300 mil euros, para fazer crescer a equipa. Contratar especialistas em neurociências é a principal prioridade para aumentar o envolvimento com os trabalhadores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Skoach. Treinador digital para pôr talento a render melhor