Investimento

Sky Valley. Casa própria em Vilamoura ao fim de dois anos

Jorge Rodrigues, fundador e proprietário dos restaurantes Sky Valley. Fotografia: Artur Machado/Global Imagens
Jorge Rodrigues, fundador e proprietário dos restaurantes Sky Valley. Fotografia: Artur Machado/Global Imagens

Jorge Rodrigues prevê investir meio milhão de euros no novo restaurante, em plena pandemia

Depois de dois anos a funcionar em regime sazonal, só no verão, no Tivoli Marina Hotel, Jorge Rodrigues acaba de abrir um restaurante próprio junto à marina de Vilamoura, com dois pisos e uma piscina. O empresário prevê investir mais de meio milhão de euros no seu novo espaço ao longo dos próximos quatro anos.

“O mundo a partir de agora vai ser visto de uma perspetiva diferente e há que haver uma adaptação. Os clubes não vão funcionar da mesma forma, por isso, a tendência passa pelo dinner and fun. O cliente janta e desfruta da vertente bar mas na sua própria mesa onde jantou”, é assim que Jorge Rodrigues define o novo conceito que quer imprimir ao projeto.

O investimento estava previsto antes da pandemia: “Já estava decidido que tínhamos de o fazer, necessitávamos de crescer. O espaço que tínhamos no Tivoli já não era suficiente. Além disso, tínhamos o negócio apalavrado e o espaço estava sinalizado como referência para o que pretendíamos, nunca foi opção não avançar”.

E foi assim que nasceu o terceiro restaurante do investidor. Da carta do novo espaço, que mantém a aposta no paladar japonês, o empresário destaca o Diamond Sky, um combinado de 50 peças de sushi.

A ideia de Jorge Rodrigues é ter o restaurante aberto todos os dias ao jantar até final de setembro, mas continuar a funcionar durante o resto do ano para “encontros pontuais com o turismo de golfe, hipismo e eventos náuticos”.

Em simultâneo, o empresário mantém abertos ao público, em Esposende, o Sky Valley Lounge Terraza, também de comida japonesa, e o restaurante Attytude, com “sabores do mundo”.

As três unidades asseguram emprego a 60 pessoas, 20 das quais na mais recente unidade algarvia.

Há um ano, o gestor antecipava que tinha em preparação expandir, este ano, para Espanha, mais concretamente, para Barcelona, um negócio que “ainda não foi possível efetivar”, embora assegure que “continua em cima da mesa”.

Lisboa em perspetiva
No entanto, há outros projetos em carteira dos quais o gestor apenas revela: “Em breve teremos novidades de mais um espaço Sky Valley, desta vez, na capital”.

Jorge Rodrigues ainda não chegou aos 40, mas já tem uma vida repleta de diversidade. Nasceu no Montijo, mas conhece bem outras paragens no mundo onde até chegou a viver, como Marrocos, Bélgica ou Estados Unidos.

Do currículo não se podem omitir os 12 anos em que foi disc jockey . Há sete anos, abriu um ginásio em Esposende, o maior do concelho, mas entretanto vendeu-o.

Nos últimos cinco anos, a restauração tomou conta do seu destino, num processo que se iniciou com a abertura do Sky Valley no complexo municipal das piscinas de Esposende, junto ao rio Cávado. O segundo, o Attytude, fica logo ali à beira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Economia portuguesa afunda 16,3% entre abril e junho

Visitantes na Festa do Avante.

Avante!: PCP reduz lotação a um terço, só vão entrar até 33 mil pessoas por dia

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 235 infetados e duas mortes por covid-19 em Portugal. Números baixam

Sky Valley. Casa própria em Vilamoura ao fim de dois anos