cidades inteligentes

Smart Open Lisboa: 9 startups para transformar capital em laboratório

Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens
Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens

Fase de experimentação vai durar seis semanas, até 21 de outubro

Arranca esta segunda-feira a fase de experimentação do Smart Open Lisboa (SOL), o programa de abertura de dados da cidade de Lisboa que pretende transformar a capital portuguesa num laboratório de startups e ideias de negócio. Conheça os 9 projetos selecionados para esta fase, que vai durar seis semanas, até 21 de outubro.

360Waste – Gerir a recolha do lixo numa plataforma. Esta é a missão desta startup, que combina sensores instalados nas tampas dos contentores e uma plataforma integrada de interface gráfica e algoritmos avançados. Funciona em vários tipos de contentores e permite um planeamento mais eficiente, economizar nos gastos logísticos e a diminuição do volume de poluição.

Aidhound – Esta startup quer ser um gestor de ajuda georreferenciada para os voluntários de organizações não-governamentais poderem lidar com comunidades de sem-abrigo;

Bclose – Plataforma digital que agrega de forma simples e intuitiva diversos dispositivos tecnológicos nas componentes de segurança, saúde, bem-estar e gestão de energia num único software;

Visor.ai – Esta plataforma quer que as instituições oficiais passem a recorrer aos chatbots do Facebook Messenger para responder automaticamente às dúvidas dos cidadãos, poupando horas de trabalho aos funcionários;

eKoneksa Com esta solução pode monitorizar os níveis de consume de energia dos seu edifício em tempo-real, gerando relatórios, identificando pontes fortes de poupança, e gerindo operações de manutenção, tudo através de uma mesma plataforma;

Leia aqui: MOTO Lisbon. Este triângulo liga governos, startups e multinacionais

FI-Sonic Análise e processamento dos sons capturados através de uma rede de microfones multicanal distribuídos pela cidade. O som é um componente importante a nível ambiental com impacto na qualidade de vida das pessoas que vivem na cidade.

Load Interactive – Empresa especialista no estudo e desenvolvimento de novos produtos e serviços digitais. Temos uma equipa multidisciplinar, focada no desenvolvimento de soluções smart, web e de mobilidade, com forte enfoque no design e usabilidade;

Medcore Startup dedicada a encontrar soluções para um envelhecimento ativo;

Optishower – Esta startup pretende reduzir o consumo de água e energia, com recurso a um revolucionário sistema cyber-físico, bem como a técnicas de gamificação;

O arranque desta fase vai contar com uma cerimónia a partir das 17h na Sala do Arquivo da Câmara de Lisboa, onde os projetos vão ser apresentados com mais detalhes. Esta iniciativa conta com parcerias com instituições e empresas como a Beta-i, a Startup Lisboa, a Cisco, a PT e o Turismo de Portugal.

O programa inclui quatro grandes áreas – envolvimento da comunidade, mobilidade, sustentabilidade e turismo e cultura – que serão posteriormente transformadas em desafios distintos. É a esses desafios que os participantes deverão responder, sempre através da utilização dos dados abertos postos à disposição nesta plataforma, com ideias de produtos ou serviços.

A base de dados vai incluir dados abertos do município mas também de cerca de 30 entidades como a EMEL, Carris, Transtejo, EPAL, Ministério do Ambiente ou Porto de Lisboa, entre outras.

(Notícia atualizada às 17h36 – a versão anterior incluía as startups Pedalada e a ET Concept, que acabaram por não integrar a fase de experimentação)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

BCP

BCP propõe distribuir 30 milhões em dividendos

Miguel Maya, CEO do Millennium Bcp.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Lucro do BCP sobe mais de 60% para 300 milhões em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Smart Open Lisboa: 9 startups para transformar capital em laboratório