Lisbon Investment Summit

Sofia Benjumea: “É preciso dar tempo para startups portuguesas terem sucesso”

Sofia Benjumea, diretora do Google Campus em Madrid. Fotografia: DR
Sofia Benjumea, diretora do Google Campus em Madrid. Fotografia: DR

Principal aposta da Google está na diversidade, através de programas para atrair mulheres e seniores para o empreendedorismo

Sofia Benjumea é a diretora do Google Campus Madrid e voltou a Lisboa por causa do Lisbon Investment Summit (LIS). Espanha está a começar a conhecer as startups portuguesas e os dois países têm alguns elementos em comum. Mas para a responsável do espaço da Google no país vizinho, é preciso dar algum tempo para que estas empresas possam desenvolver-se no mercado internacional.

Estamos a assistir à primeira vaga de empreendedores globais em Portugal, que têm sucesso no estrangeiro. Mas é preciso dar tempo para estas startups terem sucesso”, destaca Sofia Benjumea em conversa com o Dinheiro Vivo à margem do LIS. “Vim a Portugal pela primeira vez em 2013 e sinto que tem havido uma evolução incrível nos últimos cinco anos”.

Quando questionada sobre as startups portuguesas mais conhecidas em Espanha, a responsável do Campus Madrid não hesita em dar alguns exemplos bem conhecidos: Unbabel, Uniplaces, Farfetch e Seedrs são consideradas as startups mais promissoras.

Só que “há muito a fazer”, entende Sofia Benjumea. “É preciso continuar a nutrir as startups. Tal como Espanha, Portugal é um ecossistema menos maturo”.

30 mil metros quadrados de diversidade

O Campus Madrid é um dos seis espaços da Google dedicados ao empreendedorismo. Nas palavras de Sofia Benjumea, “é um espaço físico onde as startups ou as pessoas podem ligar-se à comunidade empreendedora, como investidores e fundadores de startups. As pessoas podem aprender e ligar-se à comunidade”.

Com 30 mil metros quadrados em plena capital espanhola, a Google conta com mais de 30 mil membros e centenas de eventos por ano. No espaço, “há talks e workshops onde todos podem aprender”. A principal aposta está na diversidade. “Temos programas dirigidos a mulheres e seniores. Queremos uma comunidade a mais diversa possível, se queremos a inovação para cada vez mais pessoas”.

A responsável do Google Campus destaca o aumento, de 30% para 38%, da representação das mulheres na comunidade empreendedora em Madrid.

Para já está afastada a hipótese de abrir um Google Campus em Portugal. A próxima aposta será em Berlim, conforme a tecnológica anunciou no início de junho. A cidade alemã irá juntar-se a Madrid, Londres, São Paulo, Varsóvia, Tel Aviv e Seul.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: António Pedro Santos / Lusa

BCP devolve 12,6 milhões aos trabalhadores para compensar cortes salariais

light-1208275_1280

Bruxelas diz sim: Governo pode baixar IVA da luz de 23 para 6%

A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré Costa Cabral. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

Conselho das Finanças elogia Centeno pelo “controlo das despesas”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Sofia Benjumea: “É preciso dar tempo para startups portuguesas terem sucesso”