financiamento

Startup Braga tem um milhão de euros para arranque de startups

Carlos Oliveira, presidente da InvestBraga e da Startup Braga. Fotografia: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens
Carlos Oliveira, presidente da InvestBraga e da Startup Braga. Fotografia: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Fundo SBS Capital Fund pretende financiar as empresas entre 25 mil euros e 75 mil euros nas áreas de tecnologias médicas e economia digital

A Startup Braga tem um milhão de euros para investir no arranque das startups. O fundo Startup Braga – SBS Capital Fund pretende financiar as empresas entre 25 mil euros e 75 mil euros em fase pre-seed nas áreas de tecnologias médicas e economia digital. Entre sete e 10 projetos deverão ser contemplados já em 2017. O financiamento está restrito às startups que fazem parte do ecossistema da Startup Braga.

“A possibilidade de ter acesso ao Startup Braga – SBS Capital Fund é mais uma das vantagens de fazer parte do ecossistema da Startup Braga. Queremos as melhores startups nacionais no nosso ecossistema e estamos disponíveis para investir”, refere Carlos Oliveira, líder da Startup Braga, em declarações ao Dinheiro Vivo.

Este fundo de investimento de Braga conta com 30 sócios, 27 privados e três institucionais, como Armando Almeida, ex-presidente executivo da PT, António Murta, CEO da Pathena, Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), a Universidade do Minho e a FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento.

A WonderCover, que desenvolve os escudos e a aplicação que transformam qualquer tablet numa mesa para jogar com a família e os amigos, foi a primeira startup contemplada com um investimento do fundo de Braga. Recebeu 75 mil euros depois de ter terminado o programa de aceleração da Startup Braga.

O fundo também estará acessível para as melhores startups do próximo programa de incubação da Startup Braga. As inscrições decorrem até 30 de junho e podem ser feitas através desta página.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Startup Braga tem um milhão de euros para arranque de startups