Startup Lisboa. Há ano e meio a ajudar estrangeiros a fixarem-se em Portugal

O programa Launch in Lisbon arrancou na altura da Web Summit de 2017. Vai já na sexta edição.

"Lisboa está a viver um momentum, em termos de crescimento e exposição do seu ecossistema empreendedor e nós, estando na linha da frente, éramos muito procurados. Vinham entidades e pessoas que aqui se queriam estabelecer pedir-nos ajuda, de forma muito persistente, mas avulso. E nós não tínhamos condições para responder," conta ao Dinheiro Vivo Miguel Fontes, diretor da Startup Lisboa.

A atratividade da cidade que deixava a incubadora da capital sem mãos a medir foi o pretexto para o lançamento do programa Launch in Lisbon, uma espécie de formação compacta sobre negócios em Portugal para todos os empresários e fazedores, a título individual ou com uma empresa, que se queiram estabelecer no país.

A Web Summit de 2017 foi o pretexto ideal para o lançamento da primeira edição. Uns dias antes da conferência, entre 2 e 4 de novembro, participaram 15 pessoas, de países como os Estados Unidos, França, Brasil e Israel. Mais de um ano e meio depois, o programa vai já na sexta edição e muita coisa mudou.

"Está a correr muito bem e a prova é que aumentámos o número de edições e até o perfil das mesmas. Começámos por fazer três dias e agora estamos a fazer em cinco, porque sentimos que havia procura de conteúdos suficiente para fazer isto de uma forma mais estendida," conta o responsável. Para além da duração (a atual sexta edição arrancou a 24 de junho e vai estender-se até dia 28) e da extensão dos conteúdos, o preço também subiu. De 375 euros (sem IVA) por participante passou a 600 (em venda antecipada) ou 725 euros (para participações de última hora).

Os participantes consideram a experiência positiva. Numa escala de um a cinco, avaliam o programa com 4.8. Muitos acabam mesmo por ficar em Portugal e alguns até estão atualmente incubados na Startup Lisboa. "São mais de cinco as startups que estão incubadas cá e que ficaram na sequência de um Launch in Lisbon. Temos um nível de avaliação muito simpático e são os próprios participantes que nos recomendam a outros para que participem também no programa", sublinha Miguel Fontes.

Jeferson Valdares é um dos participantes que transitou de um Launch in Lisbon para a incubação na Startup Lisboa. O brasileiro participou na terceira edição, em junho de 2018 e acabou por sediar na capital portuguesa a sua empresa, a Doppio, uma startup de jogos ativados por voz. "São uma espécie de histórias interativas, em que o utilizador conversa com as personagens, ou podem também ser quizzes, tudo para ser utilizado com dispositivos como a Alexa ou Google Home que as pessoas têm em casa," explica.

O fazedor veio da Califórnia para Portugal. " Eu antes estava em São Francisco, nos Estados Unidos, e decidi que queria montar uma empresa. Só que lá era muito caro, por isso fui procurar outros locais para o fazer. Vi o que havia na Europa: Helsínquia, Berlim, Londres ou Barcelona e um amigo meu no Reino Unido falou-me de Lisboa."

Jeferson considera que o programa da incubadora da capital foi essencial para aprender o básico de criar um negócio em Portugal e o pôr em contacto com as pessoas certas. Destaca também a vertente de networking. "Estamos ali com outras pessoas que estão na mesma situação que nós e a troca de ideias e experiências é muito positiva."

 

O braisliero está no país desde julho de 2018 e, para já, não tem data de regresso. "Quando se tem uma empresa, nunca se sabe. Posso ficar dois anos ou dez. Eu quero, pelo menos, ficar cinco anos e está a correr bem. Estamos até a fechar uma ronda de investimento", revela.

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de