fazedores

Startup Lisboa serve prémios de 25 mil euros na área da restauração

TempJobs, Lemon'Mate e Breadfast foram as três startups acabaram por levar a melhor e foram servidas com um total de prémios de 25 mil euros.
TempJobs, Lemon'Mate e Breadfast foram as três startups acabaram por levar a melhor e foram servidas com um total de prémios de 25 mil euros.

Programa de aceleração From Start to Table distinguiu três startups. Novos conceitos serão testados no Mercado de Campo de Ourique.

A Startup Lisboa esteve a cozinhar nas últimas nove semanas um programa de aceleração para novas ideias na área da restauração. 21 equipas apresentaram os seus conceitos na terça-feira, em Marvila, na capital. TempJobs, Lemon’Mate e Breadfast foram as três startups acabaram por levar a melhor e foram servidas com um total de prémios de 25 mil euros, que foram atribuídos em parceria com o Turismo de Portugal, a Delta e a associação de hotelaria e restauração AHRESP.

A TempJobs, fundada por Tiago Pereira, ganhou a categoria tecnológica com uma solução para que trabalhadores independentes possam encontrar uma vaga no prazo máximo de cinco horas, em vez de cinco dias. Esta ideia é particularmente útil para os restaurantes que necessitam de encontrar pessoas para responder aos picos de procura que possam surgiu em determinadas refeições. Ficou com um prémio de 10 mil euros, que será utilizado para contratar pessoas e colocar a solução no mercado o mais depressa possível.

A Lemon’Mate dominou a categoria não-tecnológica com um refrigerante artesanal produzido em Portugal criado por dois alemães, Stefanie Hunstock e Hendrik Raufmann. Estes fazedores estão a criar a primeira marca portuguesa de refrigerante biológico artesanal com cafeína energizante. Na final do From Start to Table foi possível provar o primeiro sabor, mistura de chá de limão e mate. Também ficaram com um prémio de 10 mil euros

Houve ainda um prémio-surpresa, de cinco mil euros, para a melhor equipa deste programa. A Breadfast, um serviço de entrega de pequeno-almoço ao domicílio, foi fundada por Mário Tarouca e aproveitou este programa para começar a trabalhar em novas ideias com o apoio da Amazon Web Services, da Delta e da AHRESP.

As três startups vencedoras vão ter acesso direto a incubação na Startup Lisboa, de forma gratuita, durante seis meses. As equipas não tecnológicas poderão mostrar os seus conceitos, de forma gratuita, num espaço próprio no Mercado de Campo de Ourique.

As 21 equipas foram selecionadas depois de a Startup Lisboa ter recebido mais de 100 candidaturas. “Quisemos diferenciar-nos e trazer uma comunidade de tech e non-tech e o mercado respondeu positivamente a esta estratégia. Mas o que nos deixa ainda mais orgulhosos é o facto de sabermos que há já negociações com vista à implementação de pilotos de vários projetos com entidades parceiras ou mentores, e captação de investimento de alguns projetos que participaram”, assinalou Marta Miraldes, responsável por este programa.

Esta foi a primeira vez que foi organizado um programa de aceleração especializado na área da restauração.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Startup Lisboa serve prémios de 25 mil euros na área da restauração