Startup Momentum

Startup Momentum: Cinco ideias portuguesas com apoio durante um ano

João Neves da Sensi Guitar, vencedor do Startup Momentum em 2015.
Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens
João Neves da Sensi Guitar, vencedor do Startup Momentum em 2015. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens

Vencedores têm direito, durante um ano, a incubação, alojamento e uma bolsa mensal de 691,70 euros atribuída pelo Governo

Foram anunciados esta quarta-feira os cinco projetos vencedores da primeira edição do Startup Momentum, programa de apoio a projetos de base tecnológica de alunos finalistas do Ensino Superior. Os vencedores têm direito, durante um ano, a incubação, alojamento e uma bolsa mensal de 691,70 euros.

Este programa começou em 2015, na Startup Lisboa, liderada, na altura, por João Vasconcelos. Com a entrada do secretário de Estado da Indústria no Governo, esta iniciativa Momentum passou a ter abrangência nacional e a figurar no programa Startup Portugal, estratégia do Governo para o empreendedorismo.

Agro-indústria, calçado, saúde realidade virtual e empreendedorismo social são as áreas com projetos vencedores na primeira edição deste concurso.

A Startup Portugal vai contar com o apoio da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), da Movijovem, a entidade gestora da rede de Pousadas da Juventude e que vai dar alojamento gratuito aos vencedores, e da Rede Nacional de Incubadoras, que vai integrar gratuitamente os projetos.

Na primeira edição, os vencedores vão ter as ideias incubadas na Healthcare City (parceria entre a Nova Medical School e Faculdade de Ciências Médicas), Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro, Startup Braga, TecLabs (centro de inovação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e Vodafone Labs (incubadora da Vodafone).

As candidaturas para a primeira edição do Startup Momentum terminaram a 31 de dezembro, tendo havido 50 candidaturas a este apoio. Os vencedores foram anunciados esta quarta-feira, no Porto, por João Vasconcelos durante o evento WE’BIZ Talk Scaling Up Globally from Portugal, organizado pela ANJE

Conheça abaixo os cinco projetos selecionados:

Green 2 Feed (TecLabs)Tiago Vidreira tem um projeto que pretende transformar resíduos orgânicos em alimento natural e nutritivo para animais. Para o fazer, utilizam uma técnica de compostagem recorrendo a insetos. Estes alimentam-se de resíduos provenientes de explorações agrícolas e supermercados e são depois adicionados às rações animais. Assim, utilizando um processo de produção rápido, de baixo custo e ambientalmente sustentável, reduzem os desperdícios alimentares e os custos de produção de carne e peixe;

Meal Healthy App (HealthCare City) – Ana Catarina Miranda criou uma aplicação no formato de rede social orientada para a área de fitness/lifestyle, com uma loja virtual associada. Permite encontrar profissionais certificados da área de nutrição e do exercício, nomeadamente personal trainers e nutricionistas. Enquanto rede social, reúne informação, ideias, receitas, contacto com outros utilizadores e profissionais da área, possibilidade de compra de planos de treino/alimentação e acompanhamento online. A aplicação diferencia-se pela elevada customização do serviço, recorrendo a um sistema por categorias em constante atualização, e também pela qualidade do acompanhamento via chat;

Feet IT (Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro) – Rui Martins está a desenvolver uma aplicação móvel que vai mudar o paradigma de compra de calçado. 
Já disponível online para iOS, permite criar um perfil dos seus pés (com fotografia). Introduz melhorias significativas na experiência de compra de calçado online, ao recomendar o tamanho e modelo certo, em função da marca, tipo de calçado e características especificas de cada pé. Esta aplicação permite ainda às marcas escoarem stocks através de promoções e apoiar utilizadores que requerem números diferentes para cada pé;

VRSSP (Startup Braga) – Víctor Marçal lidera o VRSSP, que foca-se em tornar serviços baseados em tecnologia de realidade virtual e pré-visualização 3D acessíveis a empresas que comercializam produtos à base de catálogo, com especial foco nas PME. A utilização de sistemas de realidade virtual permite ao utilizador sentir-se imerso num ambiente virtual de extremo realismo, transmitindo uma noção exata de espaço e escala impossíveis de transmitir por outros meios, sejam eles renderizações 3D, maquetes ou simples catálogos. Através da tecnologia RV é possível promover uma localidade/espaço de forma inovadora, aumentando o turismo em determinada região ou melhorando a experiência de compra de lojas online;

Polis (Vodafone Labs) – Bernardo Branco Gonçalves está a criar uma aplicação móvel para revolucionar a forma como os millennials se relacionam com a política. Propõe-se a apresentar as propostas de cada partido de forma rápida, ágil e interativa. Permite criar ranking de propostas, proporciona feedback rápido aos decisores políticos e ligação dos cidadãos com a sua comunidade, ligar eleitores aos seus representantes políticos, acompanhar as iniciativas que estão a ser trabalhadas e votadas a nível nacional e local, publicar conteúdo sobre a atualidade política nacional para quem queira aprofundar as notícias, criar um perfil de cidadão com compilação de propostas e votações realizadas. A aplicação está assente numa lógica de gamification, que maximize o engagement e torne a participação divertida e um processo de afirmação social.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Turismo vale 16% da atividade económica portuguesa

Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Défice público cai 59% até ao final de outubro

Marco Schroeder

Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Startup Momentum: Cinco ideias portuguesas com apoio durante um ano