Investimento

Startup portuguesa de inteligência artificial capta 10 milhões de investimento

Daniela Braga, fundadora e CEO da DefinedCrowd. 
(Orlando Almeida / Global Imagens)
Daniela Braga, fundadora e CEO da DefinedCrowd. (Orlando Almeida / Global Imagens)

DefinedCrowd vai duplicar a equipa, de 40 para 80 pessoas, nos escritórios de Portugal, Estados Unidos e Japão. EDP é um dos novos investidores.

Nascida em agosto de 2015, a DefinedCrowd é uma startup fundada pela portuguesa Daniela Braga que fornece dados de alta qualidade para que possamos falar, por exemplo, com a assistente pessoal inteligente Alexa, que está presente nas colunas Echo, da Amazon. Três anos depois, a DefinedCrowd fechou uma ronda de investimento, em série A, de 11,8 milhões de dólares (10,1 milhões de euros). Este montante vai servir para duplicar a equipa, desenvolver a plataforma e ganhar quota de mercado a nível mundial.

A revolução da IA está a aumentar a necessidade de dados de alta qualidade, ao mesmo tempo que expõe os desafios inerentes a treinar modelos com precisão. Com este financiamento vamos continuar a expandir os nossos produtos, quer o portal Enterprise, quer o Neevo; vamos continuar a executar o nosso roadmap de machine learning, que nos torna únicos; e vamos continuar a expandir a nossa equipa de vendas mundial para servir melhor os nossos clientes globais”, assinala Daniela Braga em nota enviada às redações esta terça-feira.

Com escritórios em Portugal, Estados Unidos e Japão, a DefinedCrowd conta atualmente com uma equipa de 40 pessoas, que será duplicada nos próximos meses. As 40 vagas estarão disponíveis na página desta startup e vão servir para as cidades de Lisboa, Porto, Seattle e Tóquio, o mais recente espaço da DefinedCrowd.

Isto é possível porque empresas como a EDP Ventures, a Mastercard e os fundos internacionais Evolution Equity Partners e a Kibo Ventures são os novos investidores desta startup portuguesa. Sony, Amazon Alexa Fund, Portugal Ventures e Busy Angels repetiram a aposta na tecnológica.

A DefinedCrowd, além da abertura do escritório de Tóquio, também conta com novos membros na sua equipa. Dennis Smith, fundador da Evolution Equity Partners, vai juntar-se ao conselho de administração; em abril, a startup de Daniela Braga já tinha recrutado Stephen Rauch para o cargo de vice-presidente e responsável pela área de produto, depois de ter passado na Starbucks, HBO e Microsoft.

Os dados da DefinedCrowd estão disponíveis em 46 línguas e são utilizados por clientes como a BMW, Mastercard e Yahoo Japan. A comunidade que fornece dados é constituída por mais de 45 mil membros.

Para saber mais sobre a história da DefinedCrowd pode ler o artigo do Dinheiro Vivo de julho de 2017: DefinedCrowd. Tornar as máquinas capazes de nos entender é com ela.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Governo ganha 128 milhões de euros em receita com aumentos da função pública

Autoridade para as Condições do Trabalho

Inspetores do Estado contra “140 anos para chegar ao topo da carreira”

Fotografia: Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

Incentivos fiscais à inovação dão 200 milhões às empresas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Startup portuguesa de inteligência artificial capta 10 milhões de investimento