Investimento

Startup portuguesa de inteligência artificial capta 10 milhões de investimento

Daniela Braga, fundadora e CEO da DefinedCrowd. 
(Orlando Almeida / Global Imagens)
Daniela Braga, fundadora e CEO da DefinedCrowd. (Orlando Almeida / Global Imagens)

DefinedCrowd vai duplicar a equipa, de 40 para 80 pessoas, nos escritórios de Portugal, Estados Unidos e Japão. EDP é um dos novos investidores.

Nascida em agosto de 2015, a DefinedCrowd é uma startup fundada pela portuguesa Daniela Braga que fornece dados de alta qualidade para que possamos falar, por exemplo, com a assistente pessoal inteligente Alexa, que está presente nas colunas Echo, da Amazon. Três anos depois, a DefinedCrowd fechou uma ronda de investimento, em série A, de 11,8 milhões de dólares (10,1 milhões de euros). Este montante vai servir para duplicar a equipa, desenvolver a plataforma e ganhar quota de mercado a nível mundial.

A revolução da IA está a aumentar a necessidade de dados de alta qualidade, ao mesmo tempo que expõe os desafios inerentes a treinar modelos com precisão. Com este financiamento vamos continuar a expandir os nossos produtos, quer o portal Enterprise, quer o Neevo; vamos continuar a executar o nosso roadmap de machine learning, que nos torna únicos; e vamos continuar a expandir a nossa equipa de vendas mundial para servir melhor os nossos clientes globais”, assinala Daniela Braga em nota enviada às redações esta terça-feira.

Com escritórios em Portugal, Estados Unidos e Japão, a DefinedCrowd conta atualmente com uma equipa de 40 pessoas, que será duplicada nos próximos meses. As 40 vagas estarão disponíveis na página desta startup e vão servir para as cidades de Lisboa, Porto, Seattle e Tóquio, o mais recente espaço da DefinedCrowd.

Isto é possível porque empresas como a EDP Ventures, a Mastercard e os fundos internacionais Evolution Equity Partners e a Kibo Ventures são os novos investidores desta startup portuguesa. Sony, Amazon Alexa Fund, Portugal Ventures e Busy Angels repetiram a aposta na tecnológica.

A DefinedCrowd, além da abertura do escritório de Tóquio, também conta com novos membros na sua equipa. Dennis Smith, fundador da Evolution Equity Partners, vai juntar-se ao conselho de administração; em abril, a startup de Daniela Braga já tinha recrutado Stephen Rauch para o cargo de vice-presidente e responsável pela área de produto, depois de ter passado na Starbucks, HBO e Microsoft.

Os dados da DefinedCrowd estão disponíveis em 46 línguas e são utilizados por clientes como a BMW, Mastercard e Yahoo Japan. A comunidade que fornece dados é constituída por mais de 45 mil membros.

Para saber mais sobre a história da DefinedCrowd pode ler o artigo do Dinheiro Vivo de julho de 2017: DefinedCrowd. Tornar as máquinas capazes de nos entender é com ela.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Margarida Matos Rosa, presidente da Autoridade da Concorrência

Tiago Petinga/Lusa

Concorrência acusa 5 seguradoras e 14 administradores de formarem um cartel

Turismo. Fotografia: REUTERS/Nacho Doce

Excedente comercial nacional afunda mais de 68% no 1º semestre

empresas

Quando o nome de família trava o crescimento das empresas

Outros conteúdos GMG
Startup portuguesa de inteligência artificial capta 10 milhões de investimento