Hackathon

Startup portuguesa Findster vence maratona de programação da Google

Findster

Em poucas horas a startup do Porto conseguiu reduzir o tempo de carregamento do seu site em 57%.

A Findster venceu uma maratona de programação (hackathon) promovida pela Google, em Dublin. A startup portuguesa, que desenvolve um sistema de localização em tempo real para animais, criou uma versão otimizada do seu website utilizando a tecnologia de aceleração de páginas mobile (AMP) da gigante norte-americana.

“O futuro do comércio eletrónico é mobile e uma página mobile lenta é o suficiente para um cliente abandonar a página antes sequer dela carregar. Com o conhecimento adquirido nesta competição, implementámos também nós a tecnologia AMP na nossa página”, comentou em comunicado o diretor-geral da Findster, André Carvalheira.

A competição da Google contou com a participação de 26 empresas de diferentes países. Além de reunir o maior número de votos junto dos outros participantes, a Findster também convenceu a equipa de transformação móvel que a Google tinha a acompanhar a competição.

“A Findster foi eleita a vencedora do evento com uma página muito bem desenhada e completa que respondia a todos os critérios. Com uma AMP foram capazes de reduzir os tempos de carregamento em 57% e conseguiram fazer esse trabalho impressionante em apenas algumas horas”, disse por seu lado a gestora de experiências mobile da Google para Portugal e Espanha, Olga Nozal.

A Findster recebeu no início do ano um investimento de três milhões de euros e anunciou a chegada dos seus dispositivos à Amazon.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Startup portuguesa Findster vence maratona de programação da Google