fazedores

Startups portuguesas dominam prémios europeus de saúde

Rui Reis, Alexandre Barros e Estevão Lima são três dos quatro fundadores  da HydrUStent, uma das startups premiadas. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens
Rui Reis, Alexandre Barros e Estevão Lima são três dos quatro fundadores da HydrUStent, uma das startups premiadas. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal foi o país que mais galardões recebeu nos prémios EIT Health InnoStars de 2019. Cada empresa vai receber financiamento de 25 mil euros.

Portugal saiu com uma mão cheia de prémios por causa das startups na área da saúde. As empresas portuguesas foram as que mais galardões arrecadaram da terceira edição dos prémios EIT Health InnoStars 2019, que distinguiu um total de 15 novas empresas na região do centro, leste e sul da Europa.

No caso de Portugal, os prémios foram parar à B-Culture, Bright, HydrUStent, SurgeonMate e TimeUP, segundo uma nota de imprensa divulgada pela InnoStars esta quarta-feira. Cada uma destas startups vai receber um prémio de 25 mil euros em financiamento, formação, mentoria e acesso a dois bootcamps na Europa. As startups premiadas também vão ter acesso a encontros com potenciais clientes, investidores e parceiros.

Após este programa de aceleração, serão escolhidos 10 finalistas para a final dos prémios InnoStars, em novembro. Neste evento, poderão receber financiamento adicional de 25 mil, 15 mil ou 10 mil euros.

“O InnoStars Awards proporciona fundos às startups desses países que lhes permite validar as suas soluções de saúde, formação sobre como criar um plano de negócio e é ainda uma oportunidade de entrar em contacto com investidores e chegar a mentores especialistas noutras regiões da Europa, que podem partilhar a sua rede e experiência”, destaca Nuno Viegas, responsável de criação de empresas do EIT Health InnoStars.

Abaixo, poderá ficar a conhecer cada uma das startups portuguesas premiada:

B-Culture – desenvolve modelos de tecido humano in-vitro em 4D para testar medicamentos. Oferece uma solução eficiente e ética para screening e validação dos compostos e implantes para as industrias farmacêutica, dentária e biomédica;

Bright – empresa portuguesa inovadora que desenvolveu o projeto Serious Games for Health, que ajuda os doentes a gerir a sua doença e promove a adesão à terapêutica;

HydrUStentfocada no desenvolvimento de dispositivos médicos inovadores baseados em necessidades médicas, junta uma equipa altamente capacitada com diferentes percursos, da medicina à engenharia e ciência dos biomateriais. A empresa está a desenvolver uma tecnologia de teste portátil, wireless e menos invasiva na área da urologia, que permite a monitorização contínua e a longo prazo das pressões intra-urinárias. Isto impacta positivamente a vida dos doentes, ao reduzir o desconforto associado a este tipo de testes, atualmente realizados apenas em ambiente médico;

SurgeonMate – desenvolvimento de solução técnicas que visam melhorar as condições de trabalho dos prestadores de saúde. Desenvolveram e patentearam uma solução têxtil para ser usada pelos profissionais prestadores de cuidados de saúde enquanto trabalham em locais onde o frio é problemático e existe uma fonte potencial de desconforto;

TimeUp – dispositivo médico que pode ser usado para monitorizar e detetar a presença de bactérias na urina, alertando profissionais de saúde sobre o potencial desenvolvimento de uma infeção.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Startups portuguesas dominam prémios europeus de saúde