Web Summit - DV Media Partner

SurfHolidays. “Participantes da Surf Summit não estão aqui para trabalhar”

Nicky Kelly Ceo da Surfholidays
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )
Nicky Kelly Ceo da Surfholidays ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

A startup irlandesa organiza, pelo segundo ano consecutivo, o primeiro evento oficial da Web Summit, na Ericeira.

É a startup aos comandos da Surf Summit. Fundada e dirigida pelo irlandês Nicky Kelly, é este fazedor que, na Ericeira, orienta e acompanha, pelo segundo ano consecutivo, os participantes do primeiro evento oficial da Web Summit. “Metade dos que aqui participam nestes dias nunca fez surf, vêm porque acham graça e querem experimentar, antes de seguirem para o evento maior, em Lisboa,” conta ao Dinheiro Vivo.

Contudo, o trabalho fica de fora das interações dos participantes na Surf Summit. “Eles aqui querem divertir-se, aproveitar. Claro que há pessoas de startups e investidores, tal como empresários e outros. E fala-se da Web Summit e dos próximos dias. Mas o registo é informal. Ninguém está aqui para trabalhar,” assegura Nicky Kelly.

A SurfHolidays é uma startup irlandesa, baseada em Dublin, fundada em 2009. “Somos um marketplace de surf. Quem tiver uma escola ou um hostel relacionado com este desporto pode inscrever-se na nossa plataforma. Por outro lado, quem estiver à procura destes serviços, também pode passar por lá,” explica o fazedor. A empresa está presente em 180 cidades de cerca de 40 países, incluindo a Ericeira, onde tem um escritório virtual, Lisboa e Cascais. Há mais de duas mil escolas e alojamentos registados.

Para além do negócio principal de marketplace, a SurfHoliday atua com a mesma marca como organizadora de eventos relacionados com surf, serviço que está a fornecer por estes dias à Surf Summit. “Conhecemos este negócio muito bem e fazemos muitos contactos, por isso, há grupos e empresas que nos contactam para fazer este tipo de programas,” conta Nicky Kelly.

Da edição de 2016 para a de este ano, destaca como principal diferença o aumento do número de atividades. “Este ano há uma oferta maior. Não nos limitámos às aulas de surf, paddel e montanhismo. Temos também a yoga, o hiking e a fotografia de surf, com Ricardo Bravo, um dos fotógrafos portugueses mais reconhecidos do meio.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Pedro Nunes/File Photo

Programa de arrendamento acessível arranca a 1 de julho. Tudo o que deve saber

Fotografia: Pedro Rocha/Global Imagens

Governo questiona RTP sobre não transmissão de Jogos de Minsk

DHL Express Store2

DHL Express vai investir até 600 mil euros em rede de lojas pelo país

Outros conteúdos GMG
SurfHolidays. “Participantes da Surf Summit não estão aqui para trabalhar”