empreendedorismo

Se eu tiver uma ideia de negócio, onde posso ir buscar financiamento?

(DR)
(DR)

Existem várias soluções para arranjar dinheiro para um projeto, dependendo do tipo de negócio que se quer concretizar. Fique a conhecer as opções.

Teve uma ideia brilhante e acredita mesmo que pode resultar num negócio lucrativo? Então é provável que precise de dinheiro para pôr o seu projeto em marcha. O investimento é uma etapa inevitável no arranque de todos os negócios e, caso não tenha um bom pé-de-meia ou capacidade para apostar o seu dinheiro, saiba que há alternativas e locais onde pode ir buscar o financiamento que necessita.

Ainda assim, antes de ir bater a qualquer porta, é importante que leve consigo mais do que uma ideia. Estude o mercado, veja quem são os seus potenciais clientes e também qual é a concorrência. Projete o futuro, de forma realista. Delineie um plano de negócios robusto. Construa um protótipo. Estas são as suas armas. Quanto mais munido estiver, mais aumenta as hipóteses de alguém estar disposto a investir e financiar o seu projeto.

Family, friends and fools

São os três F’s usados na gíria do empreendedorismo. Traduzindo à letra para português, são “a família, os amigos e os parvos”. Basicamente é a sua rede de contactos mais próxima e as pessoas que – por terem algum tipo de afinidade consigo, – mais dispostas estarão a tornar o seu sonho realidade, mesmo que ele seja pouco realista. Tenha, contudo, em atenção que junto do grupo family, friends and fools, raramente consegue levantar uma grande quantia e que, se o negócio der para o torto, pode ver a relação em maus lençóis. O ideal é tratar o assunto da forma mais profissional possível e oferecer contrapartidas que contemplem todo o tipo de situações.

Bancos

Com o disparar do empreendedorismo e o florescimento do ecossistema nacional de startups, cada vez mais instituições bancárias oferecem soluções, com condições vantajosas, para quem está a lançar um negócio e precisa de financiamento. Informe-se junto do seu banco e conheça também as propostas da concorrência para avaliar se alguma solução se adequa ao seu caso. Lembre-se sempre que informação é poder. Mostre que sabe do que fala. Também aqui o profissionalismo pode ser a chave para abrir as melhores portas.

Crowdfunding

Para quem não está familiarizado com os termos do mundo dos empreendedores, o crowdfunding é o financiamento através do público, ou seja, é como angariação de fundos para uma causa, sendo que a causa aqui é o seu projeto. Existem várias plataformas, nacionais e internacionais, especialmente dedicadas a crowdfunding para negócios. As ideias com maior potencial, neste modelo, são as relacionadas com produtos, uma vez que o financiamento acaba por funcionar como uma venda antecipada.

Bootstrapping

Mais um conceito específico do universo das startups. Uma empresa que faz bootstrapping é aquela que não depende de nenhum financiamento externo e reinveste todo e qualquer lucro no seu próprio crescimento, até ao sucesso. Aqui começa-se devagar, de forma muito micro, e vai-se crescendo a cada pequena vitória. O lado bom é que não se presta contas a ninguém e, sobretudo, não se tem de dar percentagens do negócio (e por conseguinte da decisão) a terceiros. O lado mau é que, com este modelo, é difícil alavancar as ideias e conseguir um crescimento rápido.

Business angels

Business angels são investidores, muitas vezes individuais e a título privado, que investem em empresas em fases muito iniciais. Normalmente são pessoas com grande olho para o negócio e que conseguem perceber o que vai ou não resultar em determinados mercados, conseguindo participações simpáticas nos projetos por valores residuais, caso a ideia se concretize num grande sucesso. São bons aliados, logo no início, para quem precisa de algum capital para alavancar um negócio, sem querer ficar preso com dívidas a bancos, caso, no final, o projeto não tenha o sucesso esperado.

Capitais de risco

As sociedades de capitais de risco funcionam como os business angels mas numa escala maior, com financiamentos bem mais elevados e, normalmente, em fases de negócio mais avançadas. Por norma, uma capital de risco só vai avançar caso a equipa (sim, aqui precisa mesmo de ter uma equipa, dificilmente alguém apostará em si se estiver sozinho) mostre dados palpáveis e números que antevejam sucesso. Convém já haver vendas, ou um número considerável de clientes interessados. Nunca se esqueça que envolver uma capital de risco no seu negócio – tal como um business angel, – significa ceder uma parte da participação na empresa.

Incubadoras e aceleradoras

Ainda que a maioria das incubadoras e aceleradoras não financie diretamente empresas, são os parceiros perfeitos para o ajudar a perceber que solução funciona melhor com o seu negócio e a pô-lo em contacto com as pessoas certas para conseguir o financiamento desejado. Para além disso, as incubadoras e aceleradoras oferecem ainda uma quantidade de serviços vitais para o sucesso de qualquer empresa, desde espaço de escritório a aconselhamento jurídico.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(TIAGO PETINGA/LUSA)

Procuram-se especialistas para indústria em alto voo

LISBOA, 02/05/2019  - Convidado do programa “A Vida do Dinheiro” - António Bernardo
(João Silva/Global Imagens)

António Bernardo: “O modelo económico e social europeu é um modelo de futuro”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Se eu tiver uma ideia de negócio, onde posso ir buscar financiamento?