Fazedores

The Loop. Economia circular como serviço para as empresas

João Rodrigues, Manuel Tovar, João Parreira e Ricardo Morgado são os fundadores da The Loop Company, sediada em Coimbra. (Fernando Fontes/Global Imagens)
João Rodrigues, Manuel Tovar, João Parreira e Ricardo Morgado são os fundadores da The Loop Company, sediada em Coimbra. (Fernando Fontes/Global Imagens)

Quatro anos após a criação da Book in Loop, dona da plataforma de troca de manuais escolares terá centro logístico na Guarda e já aposta em Espanha.

Em 2016, a Book in Loop revolucionou o mercado dos manuais escolares, ao promover a reutilização destes livros e a poupança de centenas de euros por ano às famílias portuguesas. Quatro anos depois, a empresa faz parte do grupo The Loop Company e há mais uma transformação a caminho: esta startup de Coimbra prepara-se para lançar uma plataforma de economia circular como serviço para o segmento empresarial.

“Os modelos de economia circular têm cada vez mais procura. A compra de produtos em segunda mão com garantia tem aumentado cada vez mais. Acredito que as grandes marcas e retalhistas, mais tarde ou mais cedo, queiram também ter as suas próprias operações nesta área. Temos um sistema construído de forma abstrata e agnóstica para permitir a sua integração com qualquer tipo de produtos. Queremos estar na linha da frente”, ambiciona Ricardo Morgado, um dos fundadores da The Loop Company.

em contacto com potenciais parceiros, a The Loop assinala que as marcas, graças à economia circular, “poderão vender o mesmo produto mais vezes”. Ou seja, reduzem a sua pegada ambiental e, ao mesmo tempo, conseguem criar receitas com isso.

A especialização na economia circular foi um processo de aprendizagem iniciado com a criação da Book in Loop. “Quando começámos, mal sabíamos o que era esse conceito. Só sabíamos que havia uma oportunidade para os manuais escolares.”

O sistema da empresa permite “gerir uma operação desde a intenção de venda até à finalização de compra, recuperação e limpeza de forma muito organizada e simples. Os produtos voltam ao mercado com valor acrescentado”.

A abertura de um centro logístico na Guarda, em setembro, vai ajudar a acelerar este objetivo. “Se queremos oferecer esses serviços a terceiros, faz sentido que apostemos cada vez mais nas nossas valências logísticas e de processo.”

A localização não foi escolhida por acaso: “Há uma proximidade às nossas instalações em Coimbra e também ao mercado espanhol.” A chegada da The Loop ao país vizinho aconteceu no início deste mês, através da reutilização dos manuais escolares.

Em Espanha, as famílias poderão deixar ou recolher os livros usados em mais de 2 mil lojas dos Correos – os CTT do lado espanhol – ou então podem pedir à empresa que vá buscar tudo a casa. Só neste ano, a empresa conta reutilizar mais de 50 mil livros. No espaço de 12 meses, “poderemos ter entre 500 mil e 700 mil manuais escolares reutilizados”.

A expansão internacional desta operação deve-se, em parte, à quebra de rendimentos da Book in Loop no mercado português nos últimos dois anos, devido à utilização gratuita dos livros usados na escola pública. “A plataforma mantém-se em Portugal porque o ensino privado não está abrangido” por esta medida, assume Ricardo Morgado.

Quanto às famílias espanholas, também vão poder poupar dinheiro com artigos para bebés. O lançamento da BabyLoop no país vizinho está previsto para setembro ou outubro.

A The Loop Company, entretanto, tem outros pontos de interesse na economia circular, como produtos desportivos, tecnológicos, roupas e geriatria. Este trabalho é desenvolvido por uma equipa de cerca de 50 membros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Economia portuguesa afunda 16,3% entre abril e junho

Visitantes na Festa do Avante.

Avante!: PCP reduz lotação a um terço, só vão entrar até 33 mil pessoas por dia

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 235 infetados e duas mortes por covid-19 em Portugal. Números baixam

The Loop. Economia circular como serviço para as empresas