startups

The Next Web: Há cinco startups portuguesas no top 100 da Europa

empreendedores, fazedores; startups

A The Next Web escolheu as cinco principais startups em 20 países europeus. As portuguesas são: HUUB, Zaask, Landing.jobs, Unbabel e YouClap.

A The Next Web – site noticioso e também uma conferência anual de startups em Amesterdão (Holanda) – uniu-se a um consórcio de investidores, empreendedores e especialistas, espalhados pela Europa, para selecionarem as cinco startups/scale ups mais interessantes do momento em Portugal. A HUUB, Zaask, Landing.jobs, Unbabel e YouClap integram este leque.

Estas empresas vão marcar presença no Tech5 – evento que decorre em maio, tal como a conferência TNW – e apresenta as cinco principais scale-ups de 20 países europeus, com base no seu desempenho, crescimento e potencial.

A HUUB é uma startup que opera na área da logística para o segmento da moda. Fechou uma ronda de financiamento em maio do ano passado para expandir o número de marcas – sobretudo internacionais – com que trabalha. Nasceu em 2015 pela mão de Luís Roque, Tiago Paiva, Pedro Santos e Tiago Craveiro, com a missão de ter facilitar as operações de logística para retalhistas de moda, trabalhando para isso “toda a gestão da cadeia de abastecimento”, explica ao Dinheiro Vivo Luís Roque, CEO, em maio.

“Isto significa que gerimos 100% do fluxo físico, a nível global, de todas as marcas que trabalham connosco.” Para isso, tem uma plataforma, a Spoke, que lhes permite fazer o acompanhamento total das encomendas. Cerca de metade da quota de mercado da empresa é já oriunda da Europa.

A Zaask nasceu em 2012 como uma plataforma que “punha em contacto pessoas que precisam de ver tarefas feitas e pessoas que têm tempo para fazer essas tarefas, os biscates”. Com os efeitos da troika a sentirem-se cada vez mais em Portugal, Luís Pedro Martins, o líder da plataforma, queria “apoiar os desempregados” e dar-lhes uma nova oportunidade de trabalho. Seis anos depois foi a própria Zaask que precisou de uma nova oportunidade para fazer valer o seu negócio e conseguir conquistar novos investidores, como a SIC Ventures e a SDC Investimentos. “Aprendemos que os desempregados não querem ter um negócio próprio. Procuram um emprego”, assume em entrevista ao DV, em outubro, Luís Pedro Martins. Entre 2013 e 2014, “começámos a perceber que eram os profissionais que mais procuravam esta plataforma e que eles precisavam de ter um novo canal para angariar clientes”. Estes especialistas, no entanto, “não dominavam as novas tecnologias”. A startup avaliou o mercado e percebeu que tinha de mudar o modelo de negócio: em vez de cobrar à comissão, passou para um formato em que os profissionais pagam para ter acesso a esse serviço.

A Landing.jobs é uma plataforma de recrutamento de talento na área tecnológica.“Nasceu por mera coincidência” quando os dois fundadores, José Paiva e Pedro Oliveira, foram apresentados por um contacto comum para ajudarem a sua empresa a resolver os seus desafios de recrutamento de engenheiros informáticos recém-licenciados.

A Unbabel é uma startup que, em 2019, comemora o seu sexto aniversário. ‘Casa’ inteligência artificial com pós-edição humana para a tradução automática. No ano passado, angariou uma ronda de financiamento de série B, no valor de 23 milhões de dólares. “Nós ajudamos empresas a comunicarem com os clientes em qualquer lugar. Esta plataforma, que combina tradução automática com tradução humana, é a maneira como o fazemos. Mas o nosso objetivo é permitir que as empresas joguem no mercado global de uma maneira transparente, fácil, escalável”, explicava em junho Vasco Pedro, CEO da Unbabel, ao Dinheiro Vivo.

E, por fim, a YouClap, é uma startup que tem uma aplicação móvel de desafios. Os criadores de conteúdos, bem como, os participantes têm acessos a ferramentas para que possam interagir uns com os outros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

REUTERS/Stephen Lam/File Photo

Moedas como Libra do Facebook podem diminuir poder dos bancos centrais

Outros conteúdos GMG
The Next Web: Há cinco startups portuguesas no top 100 da Europa