fazedores

Tonic App: Aplicação para médicos recebe 3,5 milhões de investimento em série A

Daniela Seixas, ao centro, é a presidente executiva da Tonic App. (DR)
Daniela Seixas, ao centro, é a presidente executiva da Tonic App. (DR)

Plataforma criada no Porto vai aproveitar ronda de investimento para entrar em Espanha, França e Reino Unido nos próximos meses.

A aplicação para médicos portuguesa Tonic App acaba de fechar a sua série A de investimento. A startup sedeada no Porto recebeu um investimento de 3,5 milhões de euros, numa ronda co-liderada pelo fundo especializado em saúde Vesalius Biocapital Partners (Luxemburgo) e pela Armilar Venture Partners (Portugal), juntando-se aos investidores Portugal Ventures e TheVentureCity.

A Tonic App é uma aplicação móvel que reúne todos os recursos necessários para o dia-a-dia dos médicos. Além de ajudar a comunidade a diagnosticar e a tratar os seus doentes, também conta com uma ferramenta de troca de mensagens para os profissionais comunicarem entre si. Resolver 90% dos problemas profissionais dos médicos é a missão desta plataforma.

Graças a esta série A, a Tonic App vai poder entrar, nos próximos meses, em Espanha, França e Reino Unido. Estes são considerados três dos cinco maiores mercados de saúde europeus, segundo a nota de imprensa divulgada esta terça-feira.

Os investidores também ficaram convencidos com o facto de esta startup portuguesa ter parceiros de saúde como a Novartis, a Pfizer e a Lilly, a Medtronic, e, na área de recursos humanos, a Randstad. A captação de mais de 30% dos médicos portugueses para a plataforma e a marcação CE como dispositivo médico foram outros dos fatores que conquistaram os investidores.

O início

A série A da Tonic App surge três anos após a fundação da empresa, em 2016, no Porto. A médica Daniela Seixas criou esta plataforma em conjunto com mais três colegas do MBA na IE Business School: Andrew Barnes (área tecnológica), Christophe de Kalbermatten (área financeira) e Dávid Borsós (inteligência médica).

“Começámos com capitais próprios da equipa fundadora e usámos algumas das nossas poupanças – é uma das vantagens de sermos empreendedores mais tardios – comecei aos 40 anos”, recorda Daniela Seixas ao Dinheiro Vivo.

A fazedora portuguesa recorda que, em 2016, “a Tonic App queria ser a app que facilitava a comunicação entre médicos – comunicação mais fácil, segura, sem barreiras (nomeadamente aquelas que as próprias organizações de saúde criam)”. Utilizar apenas capital próprio, “sem constrangimentos externos, foi útil no desenvolvimento inicial do projeto”.

Daniela e os outros fundadores aperceberam-se de que “a medicina é cheia de incerteza, os médicos têm uma necessidade grande de comunicar no seu dia-a-dia, seja para discutir casos clínicos, referenciar doentes entre diferentes especialidades médicas, para coordenar cuidados, entre outros”.

O desenvolvimento da plataforma conduziu, por isso, esta startup para um produto mais completo: “À medida que fomos desenvolvendo o produto e do diálogo permanente que mantemos com os médicos, percebemos que poderíamos ajudar muito mais os médicos e que a Tonic App poderia resolver também a questão da fragmentação dos recursos profissionais que os médicos necessitam profissionalmente”, recorda Daniela Seixas ao Dinheiro Vivo.

Na Tonic App, além da plataforma de troca de mensagens, é possível encontrar “motores de busca especializados para a procura de normas de orientação clínica ou congressos médicos, árvores de decisão para o diagnóstico e tratamento, emprego médico e notícias da saúde”.

Porquê Portugal?

Daniela Seixas foi a única fazedora lusitana da Tonic App. Portugal acabou por ser o país escolhido para desenvolver a plataforma porque “seria mais fácil conseguir o nosso primeiro investimento de capital de risco aqui. Tínhamos uma equipa muito forte e equilibrada e isso, nessa etapa, foi fundamental”.

Mesmo que Portugal fosse considerado um “mercado pequeno e perifério na Europa”, a Tonic App conseguiu fechar, em dezembro o primeiro financiamento. Recebeu 100 mil euros da sociedade pública de capital de risco Portugal Ventures.

Três anos depois, a Tonic App já foi nomeada pela revista Forbes como uma das 60 startups lideradas por mulheres que estão “a agitar a tecnologia pelo globo” e está pronta para crescer na Europa a partir do escritório na associação Founders Founders, no Porto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Tonic App: Aplicação para médicos recebe 3,5 milhões de investimento em série A