Saúde

Tonic App. Tecnologia do Porto recebe 100 mil da Portugal Ventures

(DR)
(DR)

O investimento na aplicação que liga profissionais de saúde poderá aumentar mediante o cumprimento de objetivos.

É o segundo investimento em 2017 da sociedade de capitais de risco estatal num projeto na área da saúde. Depois da BSIM2, a Portugal Ventures passou a integrar na sua carteira de investimentos a Tonic App, uma aplicação móvel com tecnologia que aproxima médicos e hospitais.

A startup portuguesa sediada no Porto receberá um primeiro financiamento de 100 mil euros, que poderá ser estendido caso sejam cumpridos os objetivos estabelecidos entre as partes. Com esta parceria, a Portugal Ventures reforça a sua aposta na área das ciências da vida.

“Estima-se que em 2017 o mobile health market atinja receitas na ordem dos 24,2 mil milhões de dólares a nível mundial. De referir que os principais concorrentes estão concentrados no mercado americano, o que faz com que o investimento na Tonic App venha suprir uma falha no mercado europeu”, explicou em comunicado Celso Guedes de Carvalho, CEO da Portugal Ventures.

Para além da Tonic App, a capital de risco do Estado tem participações ainda em 18 outras empresas no mesmo ramo.

Fundada em abril de 2016, a equipa da Tonic App SA tem-se concentrado em desenvolver uma aplicação que foi feita “de médicos para médicos”, pode ler-se no site. A app está em fase beta e pretende-se que facilita a troca de informação entre profissionais de saúde e que centraliza conteúdos que se encontravam dispersos numa única plataforma.

“A equipa da Tonic App tem as competências necessárias para fazer do projeto um sucesso. Tem know-how médico, tecnológico, financeiro e de business intelligence. Estes aspetos são determinantes, sobretudo no mercado Europeu, dadas as diferenças existentes entre os vários países, nomeadamente quanto à regulação no setor da Saúde”, acredita Daniela Seixas, CEO da Tonic App.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Paulo Azevedo, Chairman e Co-CEO da Sonae, e Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae.

(Leonel de Castro / Global Imagens)

Sonae SPGS com lucros de 200 milhões até setembro

Veículos estacionados no porto de Setúbal, durante a greve dos estivadores precários, em Setúbal, 14 de novembro de 2018. Em causa está um diferendo laboral desencadeado por um grupo de estivadores precários e a empresa de trabalho portuário Operestiva, que afeta várias empresas, entre as quais a Autoeuropa. ANDRÉ AREIAS/LUSA

Setúbal: Operestiva disposta a negociar se estivadores voltarem ao trabalho

Primeira-ministra Theresa May, 14 de novembro de 2018. EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Brexit: May consegue apoio do Governo e aprova rascunho do acordo final

Outros conteúdos GMG
Tonic App. Tecnologia do Porto recebe 100 mil da Portugal Ventures