fazedores

Turismo: Portugal Ventures investe três milhões em quatro startups

Rita Marques é a quarta presidente da administração da Portugal Ventures. (Leonel de Castro/Global Imagens)
Rita Marques é a quarta presidente da administração da Portugal Ventures. (Leonel de Castro/Global Imagens)

Oliófora, XLR8, Homeit e Tripwix juntam-se ao portfólio da sociedade de capital de risco pública. Call para o Turismo está aberta até 16 de setembro.

A Portugal Ventures tem quatro novas startups da área do turismo no seu portfólio. Oliófora, XLR8, Homeit e Tripwix juntam-se à carteira da sociedade de capital de risco pública, que investiu um total de três milhões de euros, em ronda seed, nestes negócios.

Além destes 4 novos investimentos, a Portugal Ventures está a negociar com mais oito projetos, que têm “boas perspetivas” de virem a receber investimento da entidade pública liderada por Rita Marques. A Call para o Turismo está aberta a projetos tecnológicos e não tecnológicos nesta área e que contribuam para o seu desenvolvimento e sustentabilidade.

As candidaturas para esta Call estão abertas até 16 de setembro e será aceites empresas já constituídas ou a constituir, localizadas em Portugal (continental ou ilhas), em fase seed, startup ou early stage, que tenham até ao momento do investimento menos de 7 exercícios económicos completos, desde a data de início da atividade.

Os projetos tecnológicos devem apresentar um protótipo, com validação de mercado e, de preferência, com os primeiros clientes angariados. Os não tecnológicos devem garantir que os eventuais processos de licenciamento obrigatório estejam já concluído por altura da submissão da candidatura à Portugal Ventures.

Leia mais: Turismo: “Apenas a tecnologia consegue” responder a novas exigências

15 dias após a submissão das candidaturas os promotores são convidados a apresentar o projeto a um painel de avaliação, que terá mais 15 dias para decidir sobre a apresentação de uma proposta de investimento.

Desde 2012, a Portugal Ventures já investiu 120 milhões de euros em mais de 100 novas empresas, gerindo, atualmente, uma carteira de investimentos de 200 milhões de euros.

Conheça, abaixo, os quatro novos investimentos da Portugal Ventures:

Oliófora – pequena empresa industrial com unidade de extração de óleos vegetais prensados a frio de alta qualidade e unidade de produção de cosméticos naturais desenvolvidos na base destes óleos com extratos de ervas, algas e essenciais florais. Os produtos são destinados para indústria hoteleira, SPA, termas e venda ao publico. O seu mercado está focado em hotéis-boutique, eco-resorts de gama alta e pequenas cadeias hoteleiras. Em Portugal já se encontram disponíveis em unidades do Douro, Algarve e Lisboa. A equipa liderada por Daria Maximova pretende com o investimento da Portugal Ventures atingir o crescimento e internacionalização da marca Oliófora em Europa, Médio Oriente e mercado Asiático. Para isso será fundamental a aquisição de equipamento que irá permitir o aumento do volume de produção, a criação de uma embalagem ecológica e o desenvolvimento de produto exclusivo para clientes que procuram diferenciação. O investimento também será dirigido para participação nas feiras profissionais, marketing e criação de parcerias estratégicas.

XLR8 – criada em 2015, desenvolveu o seu Revenue Management System, um software utilizado para prever a ocupação diária, mensal e anual de uma unidade hoteleira, fornecendo ferramentas e relatórios que ajudam a otimizar o preço de venda e disponibilidade de números de quartos ao mesmo tempo que permite maximizar o crescimento da receita. Cria uma visão clara dos resultados de vendas atuais e futuros, com o suporte dos dados históricos e de previsão (com base em Inteligência Artificial) e é através destes que a unidade hoteleira pode analisar os padrões de comportamento do mercado e tomar medidas atempadamente para melhorar os seus resultados de curto, médio e longo prazo. Com um potencial de mercado superior a 3 biliões de euros na Europa composto por mais 610 mil estabelecimentos hoteleiros, José Almeida, CEO, pretende com o investimento da Portugal Ventures iniciar o processo de internacionalização e desenvolvimento de produto com o reforço na equipa nas áreas de programação e Inteligência Artificial.

Homeit – liderada por André Roque, apresenta a solução com uma fechadura inteligente que abre as portas através de um código criado pelo proprietário ou através da app, permitindo anular o uso da chave tradicional. Assim, o proprietário pode criar acessos para os seus hóspedes/turistas, staff e manutenção à distância e criar tudo através da internet. Atualmente na Europa existe um mercado de 5 milhões de Alojamentos Locais e a Homeit está presente em 15 países com quase 2000 boxes ativas no momento e desde o seu lançamento já abriu cerca de 3 milhões de portas. O investimento da Portugal Ventures tem como objetivo o desenvolvimento de produto e a continuação da expansão a nível mundial.

Tripwix – uma marca de viagens de luxo para clientes exigentes. Funciona como uma agência de viagens on-line onde todos os alojamentos são sujeitos a elevados padrões de curadoria. As casas são avaliadas pessoalmente por designers de interiores da Tripwix, criando desta forma uma garantia ao cliente na satisfação das suas férias. O aluguer de casas de curta duração tem vindo a registar um crescimento significativo, bem como a exigência dos clientes que pretendem experiências únicas em família, representando atualmente um mercado de 57 biliões de dólares a nível mundial. O investimento da Portugal Ventures irá permitir o aumento da equipa liderada por José Murta, nas áreas de vendas, tecnologia e marketing de modo a potenciar a procura deste tipo de produto e abrir outros destinos de sonho. Atualmente a Tripwix encontra-se em Portugal, México e Espanha, Itália e Turquia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

João Cadete de Matos, presidente da Anacom

Fotografia: Vítor Gordo/D.R.

Anacom “considera essencial” redução de preços no acesso à Internet

Outros conteúdos GMG
Turismo: Portugal Ventures investe três milhões em quatro startups