#UmOutroPaís: Histórias de quem mudou de vida 

A publicação de #UmOutroPaís, do jornalista do GMG Reinaldo Rodrigues, estende-se até ao final do mês de julho.

Há pastores e professores, donos de burros e de unidades turísticas. São trinta histórias, sobre pessoas que escolheram ir viver para o interior, deixando o litoral para trás, sobretudo nas cidades situadas no eixo Lisboa-Porto.

Para levantar questões como a desertificação e a coesão territorial e, ao mesmo tempo, envolver novos públicos, o projeto #UmOutroPaís, com assinatura de Reinaldo Rodrigues, jornalista do Global Media Group, encontra uma nova forma de desbravar caminhos, com as histórias de pessoas reais, publicadas em diversos formatos nas diferentes plataformas do grupo GMG.

A especificidade do projeto prende-se com a forma como as histórias chegam ao público e à forma como o público as pode ir descobrindo. Todos os dias há uma nova vida que se relata na rádio (edição da manhã da TSF, com repetição à tarde) e se lê nas páginas, sites e redes sociais dos jornais (DN e JN), com vídeo a acompanhar. "Cada publicação é trabalhada e adaptada às características de cada um dos meios e canais de comunicação", explica Reinaldo Rodrigues, autor do projeto #UmOutroPaís - que tem também site próprio que reúne todas as histórias (https://umoutropais. wordpress.com), além das redes sociais, onde se pode ir acompanhando novos conteúdos relacionados com cada uma das publicações.

O objetivo do lançamento deste projeto é "lançar a discussão sobre o motivo que empurra a maioria das pessoas para as cidades, num país com a dimensão e acessos como tem o nosso. Há dois terços da população a viver em um terço do território", concretiza o jornalista, autor do conceito, das entrevistas e das imagens.

Esta "reportagem em formato muito alargado", segue um princípio poucas vezes visto no nosso país. É uma forma de comunicar distinta, transmedia, com o resultado final a servir também de base para o trabalho final do jornalista no mestrado em Audiovisual e Multimédia da Escola Superior de Comunicação Social (ESCS). O que justifica a colaboração de cinco recém-licenciados da ESCS: Diogo Nicolau, Duarte Costa Lopes, Patrícia Silva, Tiago Coelho e Tiago Matos que se voluntariaram para auxiliar e concretizar diversas etapas do projeto, com a supervisão de Jorge Souto, professor e orientador científico do projeto.

"Este é o primeiro projeto transmedia com este fôlego feito em Portugal. E um dos poucos no mundo a enquadrar este conjunto diversificado de meios", assegura o coordenador técnico-científico do projeto, referindo ainda, que "além de inovar na área da comunicação, ele pode ajudar a fortalecer a relação entre a academia e as empresas de comunicação social". "Outro objetivo é ajudar a trazer novos públicos, enquanto motiva a discussão de temas do interesse de todos", conclui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de