Unicórnios Portugueses. Histórias dos zero aos mil milhões contadas em livro

O último trabalho de Ana Pimentel como jornalista é uma publicação com mais de 200 páginas para retratar todos os acontecimentos que levaram algumas tecnológicas portuguesas ao patamar mais desejado.

"Unicórnios Portugueses" é o primeiro livro que conta como cinco startups fundadas com ADN nacional passaram a valer mais de mil milhões de dólares (887,4 milhões de euros). Ultrapassar esse patamar é marcante para qualquer empresa tecnológica. A autora do livro, Ana Pimentel, também quis deixar a sua marca em mais de 200 páginas.

Como uma startup, a obra nasceu de uma necessidade. "Desde o tempo que comecei a acompanhar o ecossistema, apercebi-me de que não havia nada onde as pessoas pudessem perceber tudo. Apenas havia artigos dispersos por jornais, revistas e links na internet. Não havia nada que contasse como este fenómeno nasceu, quem é que lhe deu este nome e como é que chega a Portugal", recorda a ex-jornalista.

Ana Pimentel escreveu sobre startups e tecnologia durante quase uma década para o jornal digital Observador. Ao longo da carreira, conheceu os fundadores dos unicórnios portugueses, contando os momentos de sucesso e mostrando os períodos de maior desafio.

"Acho que isto pode funcionar como registo histórico: do início do fenómeno, do que foi e do que está a ser. O livro resulta da minha observação enquanto jornalista do que se estava a passar a nível nacional e internacional."

O livro não se limita a republicar as centenas de artigos que a ex-jornalista publicou sobre estas empresas: há entrevistas a personalidades como Cristina Fonseca (cofundadora da Talkdesk) e a José Sérvulo Rodrigues (Armilar Venture Partners), além de mais algumas explicações para quem quer perceber como funciona o mundo das startups e do empreendedorismo.

"Quis escrever de uma forma próxima, descomplicada e acessível a qualquer pessoa. Quando alguém fala em startup, unicórnio e tecnologia e, a outra pessoa fica logo a pensar que não é para si. Na verdade, isto é para todos nós: estas empresas empregam muita gente, têm um alcance brutal, os produtos ou serviços que desenvolvem chegam a quase todos de forma direta ou indireta e parece-me importante que toda a gente saiba o que anda a consumir."

A ideia para o livro nasceu em 2019 e começou a ser escrito "nas folgas, nas férias e nos fins de semana" porque "era difícil conciliar" com o trabalho de jornalista. Inicialmente, a obra seria publicada no final de 2020. Mas foi necessário esperar mais um ano até chegar às bancas.

"Quando rebentou a pandemia o livro não estava todo escrito e foi necessário colocar projetos em pausa. Fiquei na expectativa de perceber como a pandemia teria impacto nestas empresas." O próprio livro fala sobre a chegada da covid-19 e as várias iniciativas que foram tomadas para ajudar a economia e os empresários durante o primeiro confinamento.

Depois de uma conversa com o editor, José Prata, a autora retomou a escrita. "As empresas continuaram bem e a crescer depois da chegada da pandemia". Já neste ano, Feedzai e Remote viraram unicórnios e ainda entraram a tempo de verem as suas histórias contadas, tal como Farfetch, OutSystems e Talkdesk.

Já depois de chegar às bancas, houve mais duas empresas tecnológicas que passaram a valer mais de mil milhões de dólares: SWORD Health e Anchorage.

Isso não é problema para Ana Pimentel, que até escreveu um aviso aos leitores logo no início da obra: "Tudo o que aconteceu até à data está no livro. Também os livros de história não ficam desatualizados", graceja.

Depois da carreira de jornalista, Ana Pimentel trabalha como coordenadora editoral na Lua de Papel, editora do grupo LeYa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de