Web Summit

Web Summit 2019: “Governo e Câmara apresentarão uma candidatura forte”

web summit

Caldeira Cabral e Pedro Siza Vieira assumem que governo quer que futuras edições da Web Summit se realizem em Lisboa.

A Web Summit já confirmou que está a negociar com várias cidades, incluindo com Lisboa, o local onde vão realizar-se as próximas edições do evento a partir de 2019. O governo português confirma ao Dinheiro Vivo que está interessado que o evento se mantenha na capital portuguesa para além da edição de 2018 e mostra-se confiante quanto à candidatura que vai ser apresentada para que a Web Summit se mantenha em Lisboa por mais anos.

“Confirmamos que há interesse na renovação do acordo com a Web Summit para a realização de edições futuras em Lisboa. Tal como sucedeu em 2015, em que Lisboa apresentou uma candidatura em concorrência com outras cidades, a Web Summit está a auscultar propostas de vários locais para além de Lisboa. A dimensão e visibilidade internacional que entretanto a Web Summit atingiu suscitam um interesse crescente de muitos países e cidades, com grande capacidade financeira da disponibilidade de grandes espaços expositivos”, afirmam o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e o ministro Adjunto Pedro Siza Vieira, numa sequência de algumas questões apresentadas pelo Dinheiro Vivo.

“Ainda assim, o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa estão convictos que apresentarão uma candidatura forte, assente na capacidade de organização comprovada nas duas últimas edições, que permitiu à Web Summit atingir o patamar de sucesso e dimensão de que hoje goza”, acrescentam os governantes.

No início desta semana, o diretor de comunicação da Web Summit, Mike Harvey, revelou que “há negociações com várias cidades incluindo Lisboa”, quando questionado sobre a possibilidade do evento ficar mais dois anos (2019/2020) na capital portuguesa.

Em 2015, quando as autoridades portuguesas e a Web Summit acordaram a vinda do evento para Lisboa, ficou estabelecido que este ficava por três anos (2016,2017 e 2018) na capital, havendo a possibilidade de essa permanência ser alargada por mais dois anos (2019 e 2020).

Há dias, Mike Harvey não quis adiantar mais detalhes, nem pronunciar-se sobre uma data para que o tema fique fechado. Contudo, quando questionado se a Web Summit gostava de Lisboa, o responsável fez rasgados elogios à cidade.

60 mil pessoas e a crescer

O número de participantes na Web Summit tem vindo a crescer a cada edição. Há oito anos, a primeira edição decorreu em Dublin e contou com cerca de 400 participantes. Em 2015, a última Web Summit na capital irlandesa antes da “partida” para Lisboa contou com cerca de 30 mil participantes. E em 2016 foram mais de 50 mil pessoas que participaram já em Lisboa. Este número sofreu um incremento de cerca de dez mil pessoas no ano passado. Para a edição de 2018, a organização estima que participem cerca de 70 mil pessoas.

Mas quantas pessoas pensam que é possível ter nestes eventos? “É uma boa pergunta e a resposta honesta é: não sabemos. Queremos que os eventos decorram garantido que os participantes têm uma experiência fantástica. Queremos garantir que as pessoas têm bons palcos e acesso a bom ‘networking’”, adiantava no início da semana o responsável da comunicação da Web Summit, Mike Harvey.

Em Lisboa, o evento tem decorrido na Altice Arena e na FIL, estando o espaço da Altice Arena “reservado” habitualmente para o palco principal. Os pavilhões da FIL – os quatro – têm recebido vários palcos temáticos e tem sido onde as startups e outras empresas têm o seu espaço de exposição.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
psp

Governo prevê poupar 3 milhões com fardas de militares e polícias

Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: EPA/MARKUS HEINE

Capitalização da CGD deixa Portugal com segundo maior défice do euro

Pequim gostaria de trabalhar com Washington

Portugal e China discutem comércio e investimento em Pequim

Outros conteúdos GMG
Web Summit 2019: “Governo e Câmara apresentarão uma candidatura forte”