Web Summit

Web Summit 2019: “Governo e Câmara apresentarão uma candidatura forte”

web summit

Caldeira Cabral e Pedro Siza Vieira assumem que governo quer que futuras edições da Web Summit se realizem em Lisboa.

A Web Summit já confirmou que está a negociar com várias cidades, incluindo com Lisboa, o local onde vão realizar-se as próximas edições do evento a partir de 2019. O governo português confirma ao Dinheiro Vivo que está interessado que o evento se mantenha na capital portuguesa para além da edição de 2018 e mostra-se confiante quanto à candidatura que vai ser apresentada para que a Web Summit se mantenha em Lisboa por mais anos.

“Confirmamos que há interesse na renovação do acordo com a Web Summit para a realização de edições futuras em Lisboa. Tal como sucedeu em 2015, em que Lisboa apresentou uma candidatura em concorrência com outras cidades, a Web Summit está a auscultar propostas de vários locais para além de Lisboa. A dimensão e visibilidade internacional que entretanto a Web Summit atingiu suscitam um interesse crescente de muitos países e cidades, com grande capacidade financeira da disponibilidade de grandes espaços expositivos”, afirmam o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e o ministro Adjunto Pedro Siza Vieira, numa sequência de algumas questões apresentadas pelo Dinheiro Vivo.

“Ainda assim, o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa estão convictos que apresentarão uma candidatura forte, assente na capacidade de organização comprovada nas duas últimas edições, que permitiu à Web Summit atingir o patamar de sucesso e dimensão de que hoje goza”, acrescentam os governantes.

No início desta semana, o diretor de comunicação da Web Summit, Mike Harvey, revelou que “há negociações com várias cidades incluindo Lisboa”, quando questionado sobre a possibilidade do evento ficar mais dois anos (2019/2020) na capital portuguesa.

Em 2015, quando as autoridades portuguesas e a Web Summit acordaram a vinda do evento para Lisboa, ficou estabelecido que este ficava por três anos (2016,2017 e 2018) na capital, havendo a possibilidade de essa permanência ser alargada por mais dois anos (2019 e 2020).

Há dias, Mike Harvey não quis adiantar mais detalhes, nem pronunciar-se sobre uma data para que o tema fique fechado. Contudo, quando questionado se a Web Summit gostava de Lisboa, o responsável fez rasgados elogios à cidade.

60 mil pessoas e a crescer

O número de participantes na Web Summit tem vindo a crescer a cada edição. Há oito anos, a primeira edição decorreu em Dublin e contou com cerca de 400 participantes. Em 2015, a última Web Summit na capital irlandesa antes da “partida” para Lisboa contou com cerca de 30 mil participantes. E em 2016 foram mais de 50 mil pessoas que participaram já em Lisboa. Este número sofreu um incremento de cerca de dez mil pessoas no ano passado. Para a edição de 2018, a organização estima que participem cerca de 70 mil pessoas.

Mas quantas pessoas pensam que é possível ter nestes eventos? “É uma boa pergunta e a resposta honesta é: não sabemos. Queremos que os eventos decorram garantido que os participantes têm uma experiência fantástica. Queremos garantir que as pessoas têm bons palcos e acesso a bom ‘networking’”, adiantava no início da semana o responsável da comunicação da Web Summit, Mike Harvey.

Em Lisboa, o evento tem decorrido na Altice Arena e na FIL, estando o espaço da Altice Arena “reservado” habitualmente para o palco principal. Os pavilhões da FIL – os quatro – têm recebido vários palcos temáticos e tem sido onde as startups e outras empresas têm o seu espaço de exposição.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Casas em leilão

Selo sobre venda de casas deu num ano mais 50 milhões de euros ao Estado

Former U.N. chief Kofi Annan addresses an advisory commission in Sittwe, Myanmar, September 6, 2016. REUTERS/Wa Lone

Kofi Annan: O diplomata premiado pela defesa da paz

Carlos Saturnino, Sonangol.

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Sonangol vai manter posições na Galp e no BCP

Outros conteúdos GMG
Web Summit 2019: “Governo e Câmara apresentarão uma candidatura forte”