Web Summit - DV Media Partner

Web Summit. O último dia, minuto a minuto

A Web Summit chega esta quinta-feira ao fim. Depois de três dias repletos de conferências, reuniões e muita agitação, a feira despede-se por um ano

Quarto e último dia de Web Summit. Pelos corredores da FIL chegam dezenas de visitantes com malas, prontos para regressarem aos seus países mal a feira termine. As portas abriram às 09h00 como habitual e encerram definitivamente por volta das 17h00, com o encerramento do dia.

Além de acompanhar em direto, conheça também todos os espaços da Web Summit com o Dinheiro Vivo. Pode ainda recordar como correu o dia de ontem. O Dinheiro Vivo também está em direto na Web Summit com vídeos que pode encontrar na nossa página do Facebook. Anda à procura de conteúdos específicos? Aqui encontra todas as notícias da Web Summit.

Final sem pompa nem circunstância

Depois de uma cerimónia de abertura marcada pelo espetáculo, a Web Summit despede-se de forma sóbria. O público dispersou logo após a última conferência.

Antes do último evento, Paddy Cosgrave subiu ao palco principal do Meo Arena para agradecer “à casa nova” e dizer “até para o ano Lisboa”.

20161110_172542

A alta velocidade da Hyperloop One no fim da Web Summit

O que é a Hyperloop One? Uma empresa que promete revolucionar o transporte de passageiros através da ultravelocidade. “Será como andar de elevador” explica Josh Giegel, um dos fundadores da empresa, que vai arrancar no próximo ano com a fase de testes do sistema. As primeiras viagens serão feitas com mercadorias e não com pessoas.

É a última conferência do evento.

20161110_164950

Dinamarquesa Kubo Robots vence o Pitch

O anúncio acaba de ser feito no palco principal do Meo Arena. A startup dinamarquesa ensina os mais novos a lidar com programação e a interagir com robótica, através de jogos.

Há um robot que o segue na Web Summit e lhe serve café

robot 2Esperavam servir 100 cafés por dia na Web Summit, mas o Robot que a Delta Q levou para a cimeira tecnológica que esta quinta-feira encerra em Lisboa, já serviu cinco vezes mais, conta Luís de Matos, CEO da Follow Inspiration, a startup portuguesa que tornou o projeto possível usando a tecnologia wiiGo, que coloca os carrinhos de supermercado a seguir os consumidores nas lojas.

Leia mais e veja o vídeo aqui

O teleponto de Gordon-Levitt

É uma das últimas conferências do palco principal do Meo Arena. O ator Joseph Gordon-Levitt, fundador da hitREcord, fala do impulso que a internet deu à criatividade das pessoas e destaca uma das maiores lutas do mundo digital. “Se uma pessoa contribuiu para alguém ganhar dinheiro, ela também deve ganhar dinheiro”, afirma o ator.

Pormenor: o ator está a fazer a apresentação com recurso a um teleponto.

20161110_163329

Falta cerca de uma hora para o encerramento da Web Summit.

Artistas alertam: digital não pode significar gratuitidade

Atores, bailarinos e músicos de Portugal aproveitaram a Web Summit para apelar a uma internet mais justa. Em causa está o pagamento reduzido e por vezes inexistente dos artistas pela utilização das suas obras na internet.

“Estamos a apelar a consciencialização destes geeks todos que estão aqui para que reflitam para um comércio mais justo. Isto não é muito diferente dos produtores de batata. Podemos dizer com segurança que 70% dos rendimentos da indústria digital no que se refere aos conteúdos audiovisuais ficam nos intermediários. Se tivermos a carga fiscal e o direito de autor, estamos a falar de uma coisa abaixo de 5% para os intérpretes e criadores”, explicou ao Dinheiro Vivo Pedro Wallenstein, presidente da GDA, Gestão dos Artistas.

A fundação marcou presença no Pavilhão de Portugal, onde decorreram as festas de sunset desta cimeira com performances de consciencialização para este fenómeno, e convidou ainda os participantes da Web Summit a juntarem-se à campanha internacional “Fair Internet For Performers – FI4P” (Internet Justa para os Artistas).

Loudsurf: Marcar encontro através da música

Encontrar amigos através da música. Esta é a proposta da Loudsurf, uma startup britânica que está em exposição esta quinta-feira na Web Summit.

A aplicação tem um funcionamento simples: escolhemos uma fotografia de perfil, selecionamos três músicas de que gostamos e depois fica criado o nosso perfil, explica ao Dinheiro Vivo uma das co-fundadoras, Emine Pirhason.

Depois, o funcionamento da aplicação é semelhante ao do Tinder. Surgem pessoas com gostos musicais semelhantes. Isso é medido por uma percentagem. Depois, a pessoa escolhe ou não a pessoa conforme o interesse.

Esta co-fundadora acredita que a aplicação pode ajudar estrangeiros a encontrar bandas locais ou encontrar companhia para um concerto. Há ainda um chat para grupos.

Com um investimento de 25 mil libras, a aplicação vai expandir-se para a Europa até ao final do ano. Portugal incluído

 

Híbrido de luxo em testes na Web Summit

Está à venda por mais de 130 mil euros em Portugal e pode ser testado. O i8 é um dos modelos que a BMW está a testar durante a Web Summit junto dos participantes.

Este carro tem um motor elétrico e um motor a gasolina 1.5 biturbo que podem funcionar separadamente ou em conjunto, se entrarmos no modo mais desportivo.

Com um peso de 1 300 quilos, este carro tanto permite circular de forma económica (só motor elétrico) como andar bastante depressa (dois motores), como o Dinheiro Vivo verificou há pouco numa demonstração feita na zona de Moscavide e do Parque das Nações.

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa em visita à Web Summit

mareclo 1

Gratidão, felicidade e crença: as três palavras de Marcelo

Marcelo Rebelo de Sousa está neste momento a visitar a Web Summit. O Presidente da República começou por fazer um breve discurso no Fórum, o palco da conferência de acesso reservado a convidados, no qual destacou três palavras: gratidão, felicidade e crença.

Começando pela gratidão, Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu “aos que receberam a Web Summit e à organização que escolheu o nosso país”. Quanto à felicidade, deve-se ao sucesso do evento “e pela geração que estamos a criar com um ADN de inovação”. Por último, a crença. “Numa altura em que parece que um tsunami atingiu a nossa civilização, não podemos deixar de acreditar. A tecnologia é um instrumento de progresso e ninguém pode ficar para trás”, comentou o presidente.

Na sua curta intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou também António Guterres, recentemente eleito Secretário-geral da ONU e a época dos descobrimentos. “Portugal é a nossa casa, mas o mundo é nosso território. Já desde há mais de 500 anos.”

 

“Enorme estímulo económico para Lisboa”

Paddy não revelou números porque, diz, o impacto da Web Summit em Portugal deve ser avaliado apenas dentro de cinco ou dez anos. Só nessa altura será possível fazer o balanço tanto para as empresas como para a imagem do país. “Portugal era conhecido por algumas startups, como a Farfetch ou a Codacy, hoje é conhecido por muitas mais. Mas também pelo bom tempo e pelo café”, brincou o CEO do evento.

Paddy quer ir mais longe em 2017

“Não podemos competir com o Papa mas…”.
Paddy Cosgrave elogiou as infraestruturas lisboetas e afirmou quer vai tentar tirar melhor partido do espaço do Parque das Nações no evento do próximo ano. Este ano a Web Summit recebeu cerca de 53 mil pessoas, mas o fundador da mega confereência admite esticar estes números em 2017. “Não estamos a usar a capacidade limite”.

Web Summit mais feminina em 2016

Paddy Cosgrave em conferência de imprensa antes de encerrar o evento. O CEO da Web Summit destaca o aumento da participação feminina no evento, que passou de 20% em 2015 para 42% em 2016. “É um passo muito significativo e queremos aumentar esse número no próximo ano” sublinhou o irlandês.

20161110_134603

O carrossel do pitch dá duas voltas para convencer investidores

No pavilhão 2 da Web Summit é possível encontrar o carrossel do pitch, que está colocado no espaço da EDP. Cada pessoa tem duas voltas – um minuto – no carrossel para apresentar o seu projeto, que está a ser gravado. Depois, cada vídeo é analisado pelos administradores da elétrica, que contactam os responsáveis de cada projeto para uma curta reunião.

A partir da reunião poderá ou não haver algum investimento feito pela empresa portuguesa.

SoilTron: uma nova forma de energia renovável

A startup cipriota SoilTron promete gerar eletricidade através do solo.

O CEO Wael Al Masri fundou a companhia com um investidor, que trouxe os recursos e o conhecimento, e que permitiu o projeto nascer.

O objetivo da SoilTron é fornecer energia contínua através do solo, com a ajuda de uma tecnologia própria.

PapayaPods: arrendamento simples e eficaz

A startup suíça PapayaPods, de Lausana, é uma plataforma que pretende simplificar todo o processo de arrendamento de uma casa, tanto para os senhorios como para os inquilinos.

O objetivo é que todos os processos sejam tratados de uma forma eficaz e digital, desde pagamentos a contratos, poupando tempo e dinheiro a todos os envolvidos.

Kubo Robots: a preparação das crianças para a tecnologia

A startup dinamarquesa Kubo Robots ensina os mais novos a lidar com programação e a interagir com robótica, através de jogos.

O objetivo é ajudar as crianças a sobreviverem num mundo cada vez mais tecnológico, numa altura em que a programação já faz parte do currículo de 15 países da União Europeu e sendo estimado que no futuro, 47% dos empregos atuais terão desaparecido.

 

Competição final de PITCH no palco principal

As startups finalistas da competição PITCH vão começar agora a fazer as suas apresentações finais. O júri é composto por representantes da Aspect Ventures, da Baseline Ventures e da aceleradora Y Combinator.

O prémio final, de 100 mil euros de financiamento pela Portugal Ventures, será disputado entre a dinamarquesa Kubo Robot, a cipriota SoilTron e a suíça PapayaPods.

Estavam cerca de 200 startups em competição, mais de 30 eram portuguesas. O vencedor será revelado às 16h30 por Paddy Cosgrave.

Meo Arena com lotação esgotada

20161110_123005-1

Neeleman: Situação no aeroporto da Portela está a tornar-se “insuportável”

David Neeleman admite que a situação no aeroporto de Lisboa está a tornar-se cada vez mais difícil. “Nós estamos crescendo mais rápido do que o aeroporto está crescendo”, afirmou aos jornalistas assim que terminou o painel sobre tarifas aéreas.

O empresário considera que “ter só uma pista no aeroporto da capital é insuportável” e que isso limita o crescimento das companhias que, mesmo assim, têm de suportar taxas aeroportuárias elevadas.

 

Forbes testa realidade virtual

A revista Forbes já está a testar conteúdos em realidade virtual. Para Mike Perlis, CEO da revista norte-americana, “o mundo está a tornar-se cada vez mais tecnológico”, o que está a obrigar esta publicação a desafiar-se. “daqui a alguns anos alguns dos nossos conteúdos serão publicados mesmo neste formato”.

A Forbes celebra 100 anos no próximo ano e 17% dos utilizadores já vêm das plataformas móveis. Nos últimos 10 anos, a revista tem apostado bastante no formato digital, apesar de manter o foco da revista em dois pontos: “Temos apoiado o mercado livre e o empreendedorismo”, lembrou Mike Perlis.

Neeleman: “A TAP está a aprender a competir com a Ryanair e easyJet”

“A TAP não é low-cost”, começou por dizer David Neeleman, esta manhã, numa conferência dedicada à inovação e desafios da aviação no mundo digital. No entanto, “está a aprender a competir com a Ryanair e easyJet”, admitiu o acionista privado.

neeleman

David Neeleman lembrou que o modelo da Ryanair funciona, factor que justifica os 500 milhões de dividendos distribuídos pelos acionistas e os mil milhões de euros de faturação registada. É neste contexto de competição cada vez mais cerrada na Europa, que Neeleman lembra as novas tarifas diferenciadas da TAP. “Cada um vai pagar pelo serviço que quer ter”.

A seguir: O mundo segundo a Forbes

Daqui a poucos minutos vamos seguir no espaço Content Makers (pavilhão 2) a palestra “O mundo segundo a Forbes”, onde a revista norte-americana vai mostrar como está a expandir-se internacionalmente ao mesmo tempo que mantém uma marca icónica na comunicação social.

Hoje todos podem ser estrelas, mas não ganham dinheiro

Os serviços de streaming tomaram conta do mundo da música, mas será que isso está a ajudar os artistas?

“Hoje toda a gente se pode tornar uma estrela e isso é bom. Por outro lado, os músicos não estão a ser devidamente compensados”, afirma Tinie Tempah.

Ne-Yo dá o exemplo do serviço de streaming Pandora, que paga 90 dólares aos artistas por cada milhão de streams. “Quem consegue viver com isso?” questiona o artista, que já foi ao congresso norte-americano duas vezes bater-se por novas leis.

“A música está a evoluir radicalmente mas a forma de compensar os artistas não muda há pelo menos 70 anos”, sublinha o rapper.

Eric Wahlforss, fundador do Soundcloud, garante que plataformas como a que ajudou a criar estão a “partilhar devidamente os lucros com os artistas”. Mas admite que, apesar de acreditar que “o futuro será brilhante, os últimos anos têm sido penosos em termos de receitas”.

IMG-20161110-WA0007

Reddit “funciona como segundo ecrã”

O Reddit “funciona como segundo ecrã para todos os grandes eventos”, considera Alexis Ohanian, um dos fundadores deste portal e que está a dar uma conferência de imprensa neste momento.

“As pessoas comentam antes dos eventos, durante e depois.” Futebol e séries estão entre as comunidades.

Ne-Yo e Tinie Tempah dão música ao Meo Arena

Os músicos Tinie Tempah e Ne-Yo estão no palco principal do Meo Arena a discutir a importância da tecnologia na forma de ouvir e fazer música.

“Não há leis que regulem os serviços de streaming. É uma treta”, afirma o rapper Ne-Yo.

 

Vencedores anteriores da competição PITCH deixam conselhos aos finalistas

O último dia arranca com a presença no palco central dos vencedores do PITCH das outras conferências organizadas pela equipa da Web Summit.

Corinne Clinche venceu a competição no Collision, que teve lugar em Nova Orleães em abril, e recomendou todas as startups presentes na Web Summit a “prepararem-se e marcarem as reuniões que interessam”. A CEO da Rorus, um sistema que pretende levar água potável ao mundo inteiro, recomenda aos finalistas da edição de Lisboa que “mostrem o que têm de diferente”.

A startup Arcatron, que ajuda idosos e pessoas com mobilidade reduzida, foi a vencedora da conferência SURGE, que teve lugar em Bangalore, na Índia, em fevereiro. O CEO Ganesh Sonowane está convicto de que venceram porque “tínhamos uma missão na qual acreditávamos. É preciso ter apoio, construir uma equipa e procurar oportunidades”.

Para Mohit Rajpal, co-fundador da My Taxi India, vencer a competição RISE, em julho em Hong Kong, “mostrou-nos que estávamos no caminho certo e mostrou também aos nossos investidores que tinham investido na startup certa.”

Participantes enchem exposição de startups

Os milhares de participantes da Web Summit estão a encher as zonas de exposição das startups, que procuram fazer uma apresentação tão boa quanto possível em apenas cinco minutos.

IMG_8326

As tendências para o último dia de Web Summit

Para esta quinta-feira, as conferências mais procuradas na aplicação oficial são: “A verdade sobre a indústria da música”, com o músico Ne-Yo e Eric Wahlforss, um dos fundadores do Sound Cloud; “A diferença entre multidão e comunidade”, do ator Joseph Gordon-Levitt; e “Storytelling com um objetivo”.

Destaque ainda para o anúncio dos vencedores da competição PITCH, marcado para as 16:30.

As empresas mais vistas pelos participantes são a ROI Hunter, uma plataforma de marketing de performance avançada; a CASHYT, uma aplicação específica para millennials; e a Comiere Healthcare, de gestão em saúde.

Os oradores mais procurados são: Rana el Kaliouby, CEO da Affectiva; a supermodelo Andreja Pejić e a fazedora norte-americana Lily Cole.

David Neeleman já chegou à Web Summit

O fundador da companhia de aviação Azul e acionista da TAP vai falar às 11h00 no espaço PandaConf sobre a tecnologia ao serviço da aviação, numa conferência que o Dinheiro Vivo vai acompanhar ao minuto. O empresário aproveita os minutos antes do debate para conhecer o espaço do evento.

Não há startups portuguesas entre as finalistas do Pitch

Nos últimos três dias mais de 200 startups competiram pela distinção de melhor startup a concurso na Web Summit. A organização revelou hoje as três finalistas, entre as quais não há empresas portuguesas.

A dinamarquesa Kubo Robot, a cipriota SoilTron e a suíça PapayaPods vão competir pelo prémio final que será anunciado às 16h35 no palco principal do Meo Arena.

Em 2014 a portuguesa Codacy foi a vencedora do concurso.

Prémio de 100 mil euros para o vencedor do Pitch

O vencedor do Pitch, que distingue a melhor startup a concurso na Web Summit, é revelado hoje às 16h35. A organização revelou esta manhã em comunicado que a empresa vencedora vai ter direito a 100 mil euros de financiamento através da Portugal Ventures.

Bom dia, o último dia já começou

Novo e último dia na Web Summit. Há muita gente a chegar para as primeiras conferências e, muitos trazem já as malas para depois arrancarem diretamente para o aeroporto.

Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Comentários
Web Summit. O último dia, minuto a minuto