novos negócios

Wegho. A montra de serviços onde encontra tudo num minuto

Carlos Magalhães é o presidente executivo e um dos três fundadores da plataforma sediada na Maia. Fotografia: D.R.
Carlos Magalhães é o presidente executivo e um dos três fundadores da plataforma sediada na Maia. Fotografia: D.R.

Plataforma reúne serviços para o lar, manutenção e reparação, babysitter, saúde e bem estar. Grupos Lúcios e Lusocargo investiram nesta startup.

A Wegho é uma plataforma que permite encontrar num minuto alguém para limpar a casa, reparar a canalização ou mesmo tomar conta do seu plano de treino. Nascida no ano passado na Maia, esta startup já recebeu um investimento de 1,7 milhões de euros, conta com uma equipa de 35 pessoas nas regiões de Lisboa e do Porto. E faz questão de ter todos os serviços faturados.

“Connosco, a pessoa agenda o serviço num minuto, tem acesso a um preço e tem uma descrição sobre a qualidade. Nós selecionamos os profissionais e ainda recrutamos”, explica Carlos Magalhães, presidente executivo e um dos três fundadores da Wegho, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

O segmento do lar é o mais importante para a Wegho, porque existem equipas próprias para a limpeza, “com controlo de referências e de currículo. As funcionárias são pagas à hora e acima da média, além de terem seguro”.

Nos restantes serviços, são fechados “acordos de médio e longo prazo” com vários fornecedores de especialistas para desentupir canos, instalar torneiras e candeeiros ou então fazer pinturas no interior da casa.

A plataforma da Maia faz questão de distinguir-se de outras empresas de prestação deste tipo de serviços, como a Zaask e a Fixando. “Limitam-se a vender contactos a fornecedores de clientes. Não definem preços nem níveis de qualidade. São uma espécie de Páginas Amarelas mais modernas”, resume este fazedor.

O esboço da Wegho nasceu em fevereiro de 2016, quando Carlos Magalhães estava no conselho de administração do grupo de construção Lúcios. Foi nessa altura que começou a falar desta ideia com os outros dois fundadores, João Magalhães e Luís Machado.

“Optámos por carreiras na gestão para criar contactos mas sentimos que tinha chegado a hora de entrar no mercado uma plataforma em que as famílias pudessem comprar um conjunto de serviços que, à data, eram difíceis de comprar, como uma empregada de limpeza, um eletricista, um canalizador”, recorda Carlos Magalhães.

Com a ajuda de uma empresa externa, para desenvolvimento da plataforma eletrónica, a Wegho nasceu em julho do ano passado, com o serviço de limpeza doméstica. Meses depois, em fevereiro, os grupos Lúcios e a Lusocargo investiram 1,7 milhões de euros, o que permitiu a introdução de novos serviços.

As novidades não ficam por aqui: nas próximas semanas, a Wegho vai encontrar pessoas que possam tomar conta dos seus filhos graças a uma fusão com a agência de babysitters Nanny for Me. No próximo ano, deverão ser incluídos os serviços de geriatria e de estética.

O crescimento da plataforma da Maia não fica por aqui: Braga e Faro serão as duas próximas cidades a beneficiar deste serviço. E a entrada em Espanha pode ocorrer em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

CGD perdeu 1200 milhões em empréstimos de risco

Miguel Setas, presidente da EDP Brasil

EDP Brasil quer duplicar presença no país até 2020

Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado Adjunto e das Finanças. Fotografia: Jorge Amaral/Global Imagens

Portugal não vai concorrer a vaga de topo no BCE, nem mexe na previsão do PIB

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Wegho. A montra de serviços onde encontra tudo num minuto