fazedores

Yudecor. Mobiliário adaptado às pessoas e à atualidade

Susana Queirós é fisioterapeuta e fundou a empresa de mobiliário adaptado em 2013, de momento focada na divulgação dos produtos no mercado nacional.
Susana Queirós é fisioterapeuta e fundou a empresa de mobiliário adaptado em 2013, de momento focada na divulgação dos produtos no mercado nacional.

Uma fisioterapeuta juntou-se a um engenheiro civil, a um marceneiro e a uma responsável de contas e juntos criaram uma marca de mobiliário inovadora - a YudCare - para pessoas com mobilidade reduzida

Uma cama com estrado e colchão. Mas há mais. Uma cama com grades laterais para a proteção das quedas, estrado articulado e estrado elevatório e ainda com apoio de transferência para a locomoção da cama.

Em complemento, uma mesinha de cabeceira com tampo amovível, um cadeirão que se eleva e ajuda a levantar com apoio de braços para ajudar na entrada e na saída e um roupeiro com um varão rebatível e um apoio para calçado. Um quarto completo e mágico que, à primeira vista, teria tudo para ser comum. E é. Mas aqui, a maior surpresa, é parecer normal e ser especial.

“Quisemos ir um pouco mais além (…) criar mobiliário que quem olha à primeira vista não note nada de diferente”, diz Susana Queirós, diretora-geral da Yudecor e cofundadora da empresa. Foi esse o ponto de partida para a criação da empresa especializada em mobiliário pensado para pessoas com mobilidade reduzida. A fisioterapeuta recorda que, sempre que olhava para o mobiliário para pessoas com mobilidade reduzida, ficava com a sensação de que tudo o que existia era “desconfortável a nível visual” e, ao mesmo tempo, “pouco funcional”. “O aspeto funcional existe apenas nalgumas peças como camas e cadeirões, que estão mais exploradas. Nesse sentido decidi que iríamos mudar esta filosofia e este negócio.”

A Yudecor começou com a vontade de criar um negócio próprio aliada ao desenvolvimento de um produto que fosse inovador e diferente de todos os que existiam no mercado. “Tendo como base a minha formação académica e a minha experiência profissional, detetei uma carência no mobiliário adaptado a pessoas com mobilidade reduzida”, recorda a cofundadora. Com mais três sócios – um engenheiro civil, um marceneiro e uma oficial de contas -, Susana tinha criado a equipa perfeita para a missão. Reuniu-se com os sócios e começaram a trabalhar. O olhar de fisioterapeuta – de quem trabalha todos os dias com as necessidades dos doentes – serviu na perfeição para complementar o trabalho do engenheiro civil, que realizou todos os mecanismos possíveis tornar o mobiliário mais funcional de maneira a facilitar as tarefas diárias de pessoas com mobilidade reduzida, o do marceneiro – que pegou nestas funcionalidades e adaptou-as aos diferentes tipos de modelos de mobiliário – e, finalmente, às valências da técnica oficial de contas, ajuda preciosa na área financeira. “Com esta equipa fundámos a Yudecor, que originou a marca Yudcare, dedicada a criar e a envolver funcionalidades para facilitar a vida diária das pessoas com mobilidade reduzida de uma forma mais autónoma possível”, pormenoriza.

Criada em setembro de 2013 e focada fundamentalmente no mobiliário pensado para pessoas com mobilidade reduzida, os quase dois anos de investigação e de investimento de cerca de 20 mil euros levaram a empresa a criar alternativas de rentabilidade. No decorrer desse período nasceram ainda a Yudstore, que se dedica à decoração de lojas de comércio, e a Yudhome, que trabalha decoração para clientes particulares. Os produtos da Yudecor dirigem-se a clientes particulares, hotéis, lares e residências seniores e encontram-se em fase de divulgação no mercado. Um quarto com todas as funcionalidades “ocultas” e totalmente equipado custa cerca de seis mil euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Inspeção Geral das Finanças tem inquérito a decorrer.

IGF detetou ilegalidades de 1900 milhões de euros em 2016

Patrick Drahi lidera grupo Altice. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Acionistas da dona do Meo apresentam queixa por “informação falsa ou enganosa”

Fotografia: JOSÉ COELHO/LUSA

OE2018: Aprovado aumento extraordinário de 6 ou 10 euros nas pensões

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Yudecor. Mobiliário adaptado às pessoas e à atualidade