Investimento: Sabe o que são ETF?

Dinheiro Vivo
 © EPA

Investir o seu dinheiro é uma boa forma de rentabilizar as suas poupanças. E há vários caminhos por onde pode seguir, consoante o grau de risco que pretende assumir.

Leia também:

Plano Poupança Reforma: uma solução de investimento versátil

Juros baixos e poupanças recorde levam a corrida aos fundos PPR

Assim que receber o salário pague a si próprio. Acha estranho? Saiba como

Já ouviu falar em ETF? Neste artigo, explicamos-lhe o que são e quais as vantagens e desvantagens em investir neste produto financeiro.

O que é um ETF?

Um Exchange Trade Fund (ETF) é um fundo de investimento negociado em bolsa de valores e que segue um determinado cabaz de ativos. Ou seja, é um fundo que replica um índice. Por ser um produto diversificado, pode investir em ações, obrigações, commodities, moedas ou numa mistura de ativos.

Ao comprar unidades de participação, os investidores adquirem indiretamente uma pequena parte dos ativos detidos pelo ETF e proporcional ao valor do montante aplicado.

Entre os vários tipos de ativos, destacam-se três: ações, obrigações e matérias-primas.

- Ações: são a categoria de ETF mais negociada a nível global. Este tipo de EFT replica o comportamento de um índice acionista. Alguns dos ETF mais populares seguem o comportamento do S&P 500, o índice norte-americano, que agrega as 500 maiores empresas cotadas na bolsa de Nova Iorque;

- Obrigações: seguem índices de obrigações, como as governamentais ou de empresas. As obrigações são títulos de dívida e proporcionam um rendimento fixo, designado de cupão;

- Matérias-primas: esta categoria segue a variação de preços das matérias-primas, como por exemplo, petróleo, ouro, gás natural, entre outros.

Há várias composições e tipos de ETF e estes podem ser constituídos com ativos com pesos diferentes ou iguais.

Por exemplo, imagine um ETF que segue um índice de ações, constituído por 100 empresas em que cada uma delas tem um peso de 1%. Para replicar o índice, este fundo compra ações de cada uma das 100 empresas, aplicando o mesmo montante em cada uma. Ou seja, a rentabilidade de um ETF acaba por ser semelhante à do índice que este segue.

As transações de ETF podem ocorrer sempre que a bolsa estiver aberta. Pode comprar, por exemplo, um ETF de manhã e vendê-lo à tarde.

Porém, apesar desta facilidade, não deve cair na tentação de fazer negócios a curto prazo. Tal como acontece com os fundos tradicionais, os ETF devem servir para investir a longo prazo e de forma diversificada.

Quem deve investir em ETF?

Este tipo de produto financeiro destina-se a tipos de investidores com perfis não avessos ao risco. Isto porque ao investir em ETF, não só o capital não é garantido como também a rentabilidade não é garantida. Depende sempre do comportamento do mercado.

Assim, devem investir em ETF, investidores que pretendam investir a longo prazo e investidores que que queiram fazer negociação diária sobre a valorização do índice. Este tipo de negociação não é permitido nos fundos tradicionais.

Vantagens

Entre as vantagens de investir em ETF, destacam-se a diversificação, a facilidade de investimento, a liquidez e os baixos custos.

Quando se fala em boas práticas de investimento, um dos princípios essenciais prende-se com a diversificação. Os ETF permitem um elevado grau de diversificação de uma forma simples, uma vez que replicam um índice, que é composto por um conjunto de títulos.

Outra vantagem é a facilidade em ETF. O investimento em ações individuais exige um grande nível de conhecimento e a necessidade de dedicar tempo ao estudo das empresas. Claro que é essencial tomar decisões informadas e conhecer aquilo em que está a investir o seu dinheiro, mas ao investir em ETF não necessita de tanto tempo.

Além disso, os ETF têm um elevado nível de liquidez. Como estão cotados em bolsas, podem ser transacionados a qualquer momento durante o horário de negociação do mercado.

E por fim, os ETF têm comissões mais reduzidas, quando comparadas com as de um fundo de investimento. Isto acontece porque estes produtos são geridos de uma forma passiva.

Desvantagens

Como desvantagens, podemos apontar o facto de ser um produto que apresenta risco e, por isso, não garante capital nem rentabilidade.

Porém, a principal desvantagem em investir neste tipo de produtos está relacionada com o facto de serem geridos de forma 100% passiva. Isto quer dizer que, no caso de investir num ETF diversificado, dificilmente conseguirá superar o desempenho do mercado em geral. Já se investir em ações individuais ou num fundo de investimento gerido de forma ativa, pode conseguir superar o mercado. No entanto, há sempre que ter em conta a sua predisposição ao risco.

Dicas para quem quer começar a investir

Para quem está a começar, há alguns cuidados que deve ter:

- Trace objetivos;

- Defina o seu perfil de investidor;

- Conheça os vários tipos de investimento;

- Escolha um banco de investimento, sociedade gestora ou corretora;

-Esteja atento às comissões;

- Diversifique os seus investimentos;

- Não invista naquilo que não conhece;

- Não tenha receio de reajustar o seu plano inicial.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG