As vantagens do crédito consolidado para evitar incumprimento

Gerar poupança, juntar vários créditos num só, prestação mensal mais baixa e pagamento fixo são algumas das razões pelas quais vai querer adotar esta solução financeira.

Devido ao impacto que a pandemia da covid-19 pode ter economia das famílias, o Doutor Finanças, empresa especializada em finanças pessoais e familiares, vem alertar para a redução de créditos.

"Sabemos que o novo confinamento trouxe novos desafios às famílias, e isto numa altura em que quem ainda estava com moratória nos créditos pessoais deixou de estar" afirma Rui Bairrada, diretor geral do Doutor Finanças.

Antes de qualquer decisão "é fundamental que analisemos a nossa situação financeira ao detalhe e verifiquemos todos os créditos que temos. Se o valor que pagamos por todas as prestações de crédito for muito elevado, há uma solução que pode aliviar a nossa situação financeira. O crédito consolidado é essa solução e permite poupar, em alguns casos, milhares de euros, evitando entrar em incumprimento", conclui.

O crédito consolidado é uma solução financeira que permite juntar vários créditos num só, com melhores condições, uma única prestação mensal mais baixa e um prazo de pagamento fixo.

Assim, o Doutor Finanças reuniu um conjunto de argumentos que mostram que esta pode ser a opção ideal para si, tendo em conta que:

1. Evita chegar a uma situação de incumprimento

Reduzir o total das mensalidades através da consolidação dos créditos, significa reduzir os encargos. Desta forma, permite contar com uma folga mensal financeira que vai ajudar a evitar cair numa situação de incumprimento. Para um maior controlo dos créditos que possuímos, é aconselhado consultar regularmente o mapa de responsabilidades.

No entanto, importa referir que quem já se encontra na chamada "lista negra" do Banco de Portugal, não reúne condições para pedir um crédito consolidado.

2. Ajuda a fazer face ao fim das moratórias no crédito ao consumo

A moratória privada do crédito ao consumo, celebrada pelos membros da Associação de Instituições de Crédito Especializada (ASFAC), terminou no dia 31 de dezembro, ainda que algumas financeiras já tivessem terminado o seu prazo a 30 de setembro. Terminada esta solução que permitiu aliviar os encargos mensais de muitas famílias no seu imediato, é importante analisar alternativas para conseguir continuar a fazer face às despesas.

Também nesta situação uma das opções passa por consolidar todos os nossos créditos num só. Assim, é ainda possível conseguir melhores condições e um custo de financiamento menor, quando comparado com as condições atuais dos vários financiamentos que estão a decorrer.

3. Reduz o impacto dos créditos feitos no Natal

Dezembro é um mês marcado pelo aumento das despesas. Por tal, nesta altura do ano, muitas famílias recorrem ao crédito ao consumo e ao cartão de crédito para financiarem as suas compras, algo que não tem impacto imediato mas que trás juros associados.

Na hora de repor o valor usado do cartão de crédito, é possível que não tenhamos o total para cobrir o montante e a solução é dividir o pagamento, algo que aumenta a quantia inicial a pagar. É neste momento que entra o crédito consolidado. Através desta solução é possível juntar todos os créditos que contraídos no Natal num só, ou até mesmo juntar os créditos que já tínhamos.

4. É uma solução eficaz para poupar dinheiro todos os meses

Esta é uma solução direcionada para todos os que têm, pelo menos, dois financiamentos - além do crédito habitação - e que procuram reduzir as suas despesas mensais e construir ou reforçar a sua poupança. Gerar poupança é mesmo o objetivo final da consolidação de créditos.

Esta pode ser usada de várias formas: para gerar mais poupança - através de amortizações de empréstimos a decorrer ou aplicações como depósitos, cujo risco é reduzido -, para investir no futuro, através da criação de um fundo de emergência para eventuais necessidades - despesas de saúde, do carro ou qualquer outro evento inesperado - ou para recuperar alguns bens essenciais, como por exemplo o seguro de saúde.

5. Permite um maior conforto nos pagamentos e uma taxa de juro mais aliciantes

Em vez de ter vários débitos aleatórios na conta, ao consolidar os créditos, passamos a ter apenas um único pagamento mensal e uma única entidade credora. A taxa de juro final do crédito consolidado é, normalmente, mais baixa do que a média das taxas de juro de todos os créditos, ou mesmo muito mais baixa se já tivermos um crédito habitação e quisermos tirar partido da nossa hipoteca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de