Até quanto posso pagar pela prestação da casa? (Simulador)

Para adquirir uma casa não basta comprar ou pedir um crédito habitação. É também necessário saber qual é o limite que pode pagar por mês para não estar em esforço financeiro.

Para quem está à procura de casa para comprar e precisa recorrer a um crédito habitação, é importante não só saber todos os documentos necessários, as comissões e as condições do contrato de crédito, mas também qual é a sua taxa de esforço.

Quando se decide contrair um crédito é importante que se estabeleçam alguns limites. O recomendado é que as prestações de crédito representem até 30% dos seus rendimentos. Através do simulador saberá qual o valor ideal para o seu caso.

A taxa de esforço vai revelar como estão as finanças e se o imóvel que se pretende está alinhado com o que se pode pagar. Além disso, se a taxa de esforço for muito elevada, é muito provável que nem se consiga a aprovação do crédito. Isto porque há regras que definem limites máximos a partir dos quais os bancos não podem aprovar créditos.

Para quem já tem um crédito habitação contraído, esta análise também deve ser feita para saber o estado das suas finanças e se deve procurar soluções para melhorar as mesmas. Se a conclusão for de estar sobre-endividado é preciso tomar medidas para superar a situação.

O que é a taxa de esforço e para que serve?

A taxa de esforço é a relação entre as prestações financeiras que um agregado familiar tem face ao rendimento mensal disponível. Por isso, sempre que se pretende contrair um novo crédito, seja ele de que natureza for, é necessário calcular a taxa de esforço do cliente, uma vez que é a forma de os bancos e financeiras perceberem se tem capacidade para suportar o crédito que está a solicitar.

Mas a taxa de esforço não serve apenas para dar a conhecer às entidades financeiras o estado das finanças. É relevante para que cada pessoa tenha noção de qual é a sua situação financeira, saiba qual o real do estado de saúde da sua carteira e consiga prevenir possíveis situações de sobre-endividamento ou, até mesmo, de incumprimento.

Como pode ser calculada

Ao dividir o total dos encargos com créditos pelo total dos rendimentos, calcula-se a percentagem do rendimento que está alocado aos encargos com créditos, isto é, a taxa de esforço. A fórmula de cálculo é a seguinte:

[Total de Prestações Financeiras / Rendimento do Agregado Familiar] x 100 = total em percentagem

Tal como já foi referido, recomenda-se que a taxa de esforço ronde os 30% do rendimento agregado familiar. Assim, por exemplo, se um agregado familiar com dois titulares tem um rendimento total de 2.000 euros, não deve ter uma prestação superior a 600 euros. Este patamar é considerado seguro, para que se consiga enfrentar alguma perda de rendimento ou uma subida de juros, uma vez que a maior parte dos créditos à habitação em Portugal estão indexados a uma taxa Euribor. Quando se faz estas contas, deve-se sempre considerar como despesas todos os gastos do agregado familiar, nomeadamente prestações do crédito habitação, crédito automóvel, cartões de crédito, bem como mensalidades de infantários, escolas, gastos com deslocações e alimentação, por exemplo. Isto para se ter uma noção realista do total de encargos fixos.

Como rendimento mensal líquido deve entender-se todos os ganhos, independentemente da sua origem. Deve considerar-se o salário de um emprego a full-time, bem como remunerações de um part-time, trabalho freelance ou rendimentos de aplicações financeiras e rendas imobiliárias.

Quando há dúvidas sobre quantos créditos se tem ao certo ou quais são os seus valores, é possível verificar estes dados através do Mapa de Responsabilidades disponibilizado pelo Banco de Portugal.

A taxa de esforço pode limitar o valor do imóvel pretendido?

Sim, se se concluir que a casa que se quer comprar representa uma taxa de esforço preocupante, recomenda-se que se procure um imóvel que respeite estes patamares. A solução poderá passar por procurar um outro imóvel mais barato ou pela revisão dos encargos de forma a conseguir reduzir a taxa de esforço. Até porque, à partida, se a taxa de esforço for elevada, o banco não concede o empréstimo.

Para saber qual é o valor do imóvel a comprar, e quando não se sabe qual o valor da prestação de um crédito daquele valor, pode-se fazer simulações, com base nos sites dos bancos, por exemplo.

Com estes conhecimentos há uma noção real de que tipo de casa se pode procurar, limitando as pesquisas para que apenas mostrem os valores máximos que se conseguem comportar.

(Este artigo assinado pelo Doutor Finanças resulta de uma parceria com o Dinheiro Vivo, onde serão publicados conteúdos de finanças pessoais e literacia financeira quinzenalmente e um simulador por mês)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de