Como escolher a universidade para se candidatar

Veja as dicas de como tornar mais fácil o processo de seleção dos estabelecimentos de ensino superior e dos cursos.

As candidaturas ao ensino superior arrancam já a 25 de julho. A candidatura para as instituições de ensino público é realizada online, no site da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES). E para o fazer, o estudante deve pedir uma senha de acesso ao sistema de candidaturas online através da plataforma da DGES.

Se está nesta situação, a par de escolher que curso seguir, é importante saber a que universidades pretende candidatar-se. Na candidatura ao ensino superior público através do concurso nacional, cada estudante pode, em cada fase do concurso, concorrer a um máximo de seis pares instituição/curso, isto é, a seis combinações de instituições e cursos, indicadas por ordem de preferência.

Neste artigo, vamos dar-lhe dicas de como tornar mais fácil o processo de seleção das suas opções.

Informe-se sobre as instituições

O primeiro é reunir o máximo de informação possível sobre as universidades que disponibilizam o curso que pretende seguir. Pode fazê-lo através das páginas online das instituições, mas não deixe de fazer visitas presenciais, sempre que possível. E não olhe apenas para os rankings divulgados. Não se esqueça que a sua escolha deve contemplar os seus objetivos académicos, pessoais e, também, sociais.

E consoante as suas preferências, alargue a sua pesquisa e não fique pela proximidade geográfica. Procure por instituições de todo o país - ou até, quem sabe, internacionais.

Analise os planos de estudos

Os planos de estudos podem diferir de universidade para universidade, por isso é importante analisar cada um deles ao detalhe. Além disso, perceba também se o programa de ensino superior que escolheu pode oferecer estágios. Nesse caso, o ideal também é escolher uma universidade localizada numa zona onde tenha a oferta destas experiências.

Não se esqueça também de verificar se a universidade oferece material de apoio, recursos tecnológicos e todas as ferramentas necessárias à evolução da aprendizagem na carreira que escolheu.

Saiba ainda que as universidades se subdividem em faculdades, mas também existem institutos e escolas superiores. O tipo de ensino varia entre instituições e, por isso, deve fazer uma análise criteriosa dos planos curriculares.

Tente falar com pessoas que frequentem as universidades

Nada melhor do que saber em primeira mão sobre a experiência que quem frequenta ou já frequentou a universidade em questão. Procure saber mais sobre o seu curso e sobre as ofertas que a universidade disponibiliza.

Seja realista nas suas escolhas

É importante que seja realista nesta fase. Esta dica vai fazer com que evite a perda de tempo e possíveis frustrações. Deve ter em consideração que ingressar em algumas universidades pode ser uma tarefa difícil. Assim, deve ampliar o seu leque de opções e não alimentar expetativas exageradas.

Além disso, se não conseguir entrar na universidade com que sonhou, tenha em mente que este processo não precisa de ser a definição da sua vida profissional. Saiba que é possível entrar noutro programa da sua lista de opções e, mais tarde, pedir transferência para um programa que considera mais prestigiado, por exemplo.

Considere os custos com a universidade

Outra dica muito importante é considerar os custos que terá com caso ingresse na universidade em questão. Pense sobre dos encargos financeiros que esta escolha acarreta e analise a sua disponibilidade para o efeito. Por exemplo, além da propina, uma universidade numa cidade longe de casa vai implicar custos com alojamento.

E não esqueça ainda de verificar se tem direito a apoios, como as bolsas académicas. Estas bolsas de estudo são atribuídas por um ano letivo (exceto em situações em que o pedido é feito a meio do ano). Estas bolsas podem ser renovadas até terminar os respetivos estudos. Mas para que isso aconteça é preciso cumprir alguns critérios. Por exemplo, é necessário que no ano anterior tenha obtido aproveitamento a pelo menos 36 créditos ECTS.

Muitas vezes, a maior barreira para quem deseja entrar no ensino superior não é não ter ficado na sua primeira opção, mas sim conseguir margem financeira para se manter, lidar com o aumento de custos no orçamento, e ainda sobreviver às exigências académicas do primeiro semestre. Por isso, não desanime e lembre-se que os bons alunos nem sempre entram à primeira na sua opção de eleição e nem sempre a universidade da sua primeira opção corresponde à melhor.

Conheça todas as datas

O concurso nacional de acesso tem três fases de candidatura, que são definidas num calendário anual, publicado todos os anos no Diário da República.

O prazo normal para a apresentação da candidatura à primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior inicia-se no dia 25 de julho e decorre até ao dia 8 de agosto. A segunda fase vai decorrer entre 12 e 23 de setembro. E, por fim, as candidaturas de acesso à terceira fase acontecem entre 7 e 11 de outubro.

Os resultados da primeira fase são conhecidos a 12 de setembro. Da segunda fase a 30 de setembro e, finalmente, a 16 de outubro são divulgadas as colocações da terceira fase.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de