Como poupar nas comissões bancárias

Para os consumidores que querem poupar nas comissões, é aconselhável dar alguns passos.

Os bancos têm vindo a aumentar as comissões bancárias. O Parlamento decidiu agir e deverá mesmo proibir algumas comissões. Para os consumidores que querem poupar nas comissões, é aconselhável dar alguns passos.

Analise os diferentes pacotes nos vários bancos

Se depois de analisar quais são as suas necessidades o consumidor concluir que precisa de mais serviços do que os da conta de serviços mínimos o melhor é analisar a oferta dos vários bancos e comprar preços. "Estão a crescer em aceitação as contas bancárias que incluem um conjunto vasto de serviços a troco de uma comissão de manutenção ou comissão de gestão mensal fixa. Por norma, à medida que vai procurando mais serviço irá ter de suportar uma comissão mais elevada", aponta a Reorganiza. "Dito isto, estas comissões mensais podem compensar se nelas estiverem agrupadas todas as demais comissões, como a comissão anual do cartão de débito e do cartão de crédito, por exemplo", explica.

Pesquise por bancos online

Os bancos online também devem ser considerados como uma opção. Segundo a Reorganiza, "a vantagem destes bancos é que tendo uma estrutura de custos fixos mais baixa podem ter uma oferta mais agressiva, nomeadamente no que toca ao pagamento de comissões e à remuneração das taxas de juro dos depósitos a prazo".

Pesquise as fintechs

Há cada vez mais ofertas de fintechs disponíveis em Portugal, como a Revolut. Existem ofertas e serviços para todos os tipos de necessidades financeiras. "Algumas destas instituições são bancos - como o N26 e o Openbank do Santander - pelo que a proteção que têm é idêntica àquela dos bancos tradicionais", refere a Reorganiza. "Como nos bancos online, a oferta destes bancos é muito diversa e agressiva. Se uns se preocupam mais com os pagamentos no estrangeiro outros são mais transversais", adianta.

Como escolher?

A Reorganiza preparou uma análise da oferta dos principais bancos a operar em Portugal e, no caso das fintechs, disponibiliza uma lista para ficar a conhecer as características das principais plataformas. "O essencial é escolher soluções adaptadas às suas necessidades e fechar as contas bancárias que não precisa. Depois, aproveitar a poupança para fazer o que bem lhe apetecer", sugere a Reorganiza.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de