Dicas para não fugir do orçamento nas férias

Planeamento é a palavra de ordem para não fazer derrapar o orçamento familiar quando se vai de férias.

A época de férias já arrancou para muitos portugueses. Apesar de este ser um período de descontração, é importante que não derrape no seu orçamento e cause mossa nas suas finanças pessoais.

Para isso é fundamental planear. Deve preparar o necessário para que depois dos merecidos dias de descanso não surjam dias de ansiedade e stress causados pelo desequilíbrio orçamental. Esta preparação deve ser feita com alguma antecedência. Porém, se não a conseguiu fazer, deixamos-lhe algumas dicas para o ajudar a controlar os gastos nas férias e evitar derrapagens.

Ter as despesas organizadas a contar com as férias

Verifique se tem contas para pagar - luz, água, telecomunicações, seguros, por exemplo - na semana ou nas semanas em que vai estar de férias e confirmar que tem dinheiro suficiente na conta à ordem para pagar os débitos diretos necessários. Quando fizer as contas para os dias de descanso, não se esqueça de contar com essas despesas, para não ser apanhado de surpresa.

E se tem despesas que não são pagas através de débito direto, tente deixar tudo em ordem antes de ir de férias. Verifique todas despesas que calham a meio do mês e deixe tudo tratado para umas férias mais descansadas.

Esteja atento aos descontos de última hora

Em algumas situações vale a pena aproveitar os descontos de última hora, o que pode significar uma poupança de algumas centenas de euros. Por exemplo, nas viagens de cruzeiros, é normal colocarem a preços reduzidos as cabines que não são tão procuradas e que ficam livres nas datas próximas da partida. O mesmo pode acontecer com os hotéis. Por isso, se não se importar de fazer as malas de um dia para o outro, pode conseguir umas férias mais baratas do que estava à espera.

Trace um orçamento e defina um valor

Faça as contas e defina um valor para os gastos com as férias. Pode transferir esse montante para outra conta, de forma a conseguir fazer uma gestão autónoma do seu orçamento. Pode recorrer, por exemplo a um cartão pré-carregado. Assim, o valor que definiu para gastar nestes dias não se mistura com o resto do dinheiro e há menos risco de derrapar no orçamento.

Pode até definir um limite diário para gastar. Mas não deixe que isso o deixe desconfortável. Está de férias, por isso deve manter-se flexível: o que gastar a mais num dia, gasta a menos no seguinte. O objetivo é terminar as férias a cumprir o orçamento que definiu.

Faça as refeições em casa ou opte pela marmita

Jantar ou almoçar fora não estão fora da equação, desde que devidamente orçamentados. Mas claro que, se quer poupar, deve fazer uma gestão das refeições que faz fora.

Se estiver num alojamento com cozinha, aproveite para cozinhar algumas coisas em casa e limitar a uma ou duas noites as refeições em restaurantes. E para a praia, por que não levar marmita de casa?

As despesas em restaurantes muitas vezes não são planeadas e é fácil incorrer em decisões por impulso.

Procure atividades gratuitas

Informe-se das ofertas culturais gratuitas, nesta altura a acontecerem em praças, parques, jardins, entre outros. Seja qual for o seu destino, vai encontrar o que fazer de forma gratuita. Desde visitas a museus, passeios organizados, concertos, feiras, as opções serão várias. Também existem sites onde pode reservar visitas guiadas gratuitas nas mais variadas cidades.

Use aplicações para o ajudar a poupar

Também pode recorrer à tecnologia para o ajudar a controlar os gastos. Se vai viajar de carro, por exemplo, instale a Viva Gas, para encontrar os postos de combustível mais baratos. E para conseguir descontos em restaurantes, descarregue o The Fork.

Se vai de férias em grupo, a aplicação móvel Splitwise não pode faltar. Esta aplicação é uma ferramenta que ajuda a controlar as despesas partilhadas, de modo a que todos possam acertar contas e saldar as suas dívidas.

Pondere bem antes de usar o cartão de crédito

Usar o seu cartão de crédito nas férias de verão tem vantagens e desvantagens. Assim, deve ponderar bem se a sua utilização é benéfica.

O cartão de crédito até pode parecer uma boa solução para pagar algumas contas durante as férias, mas se não tem capacidade para pagar a despesa a 100%, é melhor não o utilizar.

Ou seja, caso acabe a gastar de mais e a pagar as suas férias a prestações, o risco de o seu orçamento ficar afetado nos próximos tempos vai aumentar. E se recorrer mais vezes ao seu cartão, a possibilidade de endividamento aumenta drasticamente.

Corte nas lembranças

Se tinha por hábito, comprar lembranças para amigos e familiares, tente abdicar desse hábito. Para controlar os gastos nas férias, é essencial que se controle nas compras. Traga pequenas peças só para quem é mesmo importante e não se preocupe, os outros vão entender.

Portugueses pretendem gastar 950 euros nas férias

Um estudo do Observador Cetelem revela que os portugueses continuam a preferir fazer férias em Portugal (77%) e planeiam gastar, em média, 950 euros, um valor superior ao registado nos últimos dois anos.

O Algarve é o destino favorito (52%), seguindo-se Lisboa (10%) e Évora (7%), enquanto a nível internacional o destaque vai para Espanha (32%), França (11%) e Inglaterra (9%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de